quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Mais Pesado que o Céu

Venho experimentando livros de não-ficção. Confesso que a maioria não é fácil de ler. Mas sempre tive um pé atrás em ler biografias. É como se todo mundo virasse perfeito depois de morrer. A obra se limitaria a elogiar o morto. Os vivos também são preservados dos aspectos mais sórdidos. Mesmo em livros de memórias, me parece que a pessoa escolhe qual faceta que vai apresentar. 
Então escolhi ler uma biografia que tratasse de alguém que eu não admiro nem sou fã. E desta forma consigo fazer uma boa leitura sobre quem está sendo apresentado.
"Mais Pesado que o Céu" me despertou para vários aspectos que eu não imaginava. A visão deturpada que sempre foi passada de que os músicos precisam da droga para se inspirar, de que todo músico é drogado e de que os poetas morrem cedo foi a primeira delas. Não vou discutir o que veio antes: o ovo ou a galinha. Neste aspecto foi um pouco mais do mesmo, mas sem colocar a culpa em uma coisa ou outra. 
A quantidade de pessoas que contribuiu com seus relatos e permitiram que o autor costurasse a história reconstruindo o passado com uma riqueza de contribuições foi outro aspecto positivo. Houve o bom senso de utilizar uma versão possível sem descartar as outras e ainda sem inferir como sendo a verdade.
O livro é bem extenso. A leitura foi um pouco lenta nos primeiros anos de infância até o início das primeiras formações de uma banda. O Nirvana acaba sendo uma pequena parte da carreira de Kurt. Em tempos em que as bandas persistem por 30 anos, é até estranho pensar que fez tanto sucesso em tão pouco tempo. Apesar de algumas músicas terem feito muito sucesso, muitas mais foram gravadas e deixadas de lado. Apesar de não ser fã, eu ouvia algumas músicas durante a narrativa como se elas estivessem tocando.
Pessoas não seguem nenhuma lógica e é típico da natureza humana. Impressiona saber da obsessão para preservar a voz e as mãos e o total descaso com a integridade e amor-próprio. 
Alguns fatos levantados são críticas à sociedade e confrontados pela visão de "especialistas". Não me parece algo que seja arranjado. De fato existe muito preconceito com remédios para quem é diagnosticado com DDA. As gravadoras depois reconheceram as práticas tanto quanto arbitrárias.
Os capítulos que tratam dos últimos dias, do suicídio e das últimas horas de vida são impressionantes. Apesar do fim ser conhecido, em alguns momentos parecia ser possível que a história mudasse. É triste saber da quantidade de vezes que ele esteve muito perto da morte e foi ressuscitado enquanto que tantas outras pessoas lutam para viver e não têm a mesma sorte. Mas paciência. Admiro todos aqueles que salvaram esta vida.
Não vou estender o assunto já que, como disse, não era e continuo não sendo fã do cantor nem do grupo. A minha visão não mudou após esta experiência mas passei a respeitar grandemente autores como este que soube transformar algo que poderia ser um tributo a um ídolo em uma experiência de vida bem contada. Não sei se um fã diria a mesma coisa, mas também percebi que o autor soube valorizar o que havia de melhor em seu personagem.
Provavelmente a biografia de um artista que não cometeu nenhum destes excessos não venda livros, mas existem tantas pessoas maravilhosas que podem ter sua vida contada que acredito que um bom 'biógrafo" pode até transformar um zé ninguém em alguém valoroso. Recomendo ler esta obra e estou atrás de outras do tipo. "This is a Call" será a próxima.

sábado, 26 de dezembro de 2015

Rever e Renovar

No ano passado eu resolvi repensar o que eu queria para a minha vida e comecei a usar o blog como local de expressão para os meus pensamentos. Foi quando resolvi trocar as resenhas pelos resumos e pelos balanços mensais das minhas metas com as capas do que eu li. Não inventei nada, só repeti o que outras blogueiras fazem e o que eu compartilhava no Facebook em um dos grupos que participo. Imagino que estou mais perto de encontrar a cara que eu quero dar para o blog.
Em 2015 me distanciei bastante de algumas atividades online e inclusive deixei de participar de alguns grupos e seguir alguns blogs e comecei a acompanhar outros. 
E neste fim de ano, depois que acabei as aulas da pós tenho revisto tudo o que fiz ao longo do ano e tentado por a casa em ordem. Atualizei e finalizei uma série de postagens que estava como rascunho para publicar e nestas estão vários itens concluídos que nunca haviam sido comentados. Isto não faz parte dos itens, mas finalmente falei sobre o item 05, o item 17, o item 68, o item 53 e o item 32. Se estiver faltando algum, já deve estar rascunhado para publicar em breve.
Tenho passado por um período de pouca leitura e por isso fiz algumas tentativas de avanço em outros itens da lista. Entre o fim de novembro e começo de dezembro o que mais consegui fazer foram planos. Pouca coisa avançou até agora. 
Um item que foi concluído é a leitura das revistas, item 29. Ainda tem uma edição mensal que chegou em casa e está em andamento. Projeto para as férias.
A arrumação das roupas teve novas etapas e agora tem uma parte do guarda-roupa que está ok. A Ágata tem resistido a experimentar, mas preciso esvaziar a pilha para poder guardar o resto. A danada está crescendo, e isto é bom, mas ainda tenho muitas e muitas pilhas.
Também estou com umas ideias para as roupas do meu guarda-roupas e quero trocar algumas coisas de lugar. Por isso, creio que vou ter mais acesso a tudo o que eu tenho para não juntar tanta coisa. Aproveitei os primeiros dias de férias para também concluir o item 33.
Também comecei a pegar uma coisa ou outra para costurar e devo retomar a arrumação em breve.
Percebo algum avanço no consumo dos cremes e sabonetes, mas ainda tenho muitos potes em cima da bancada. O mesmo para os perfumes. Até consegui não ganhar outro perfume, e sinceramente, será um presente muito aproveitado.
Sabe que tentei pegar de novo as agendas antigas mas não fui muito longe. Ao menos estou me preparando para usar melhor meus papéis e canetas.
Uma outra tarefa que estou ensaiando a cumprir é fazer biscoitos com a Ágata. Já tenho tudo em casa, mas tive outras prioridades. Devo fazer num próximo fim de semana.
E por fim, outra atividade que quero passar a me dedicar são as montagens das fotos para os álbuns. Está tudo separado. Só preciso de tempo e coragem.
De uma forma geral acredito que foram bons avanços enquanto que tem outros itens próximo de conclusão também. 2016 vai ser um ano de muitas conquistas, estou apostando. E provavelmente vou ver os resultados pouco a pouco.

Balanço do Projeto de Organização Pessoal
Décimo Sétimo Mês
itens concluídos: 18
itens em andamento: 35
itens pendentes: 54
itens cancelados: 0

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Item 32: Separar Todas as Roupas Manchadas

Um grande dilema de quem trabalha fora é colocar alguém para ajudar com o serviço de casa. Morando em apartamento, o espaço é pequeno. Mas eu tenho relativamente muita coisa e pouquíssimo tempo. Dificilmente conseguiríamos dar conta de tudo sem ter alguém para ajudar em casa. Eu conto com o serviço de uma faxineira que vem uma vez por semana. A proposta é fazer uma faxina completa e passar roupa. Como o apartamento é pequeno e são poucas pessoas, não é um trabalho para mais de 5 horas, então pode ser feito em um dia. Eventualmente, algumas tarefas excepcionais procuro dividir para não sobrecarregar. E as limpezas mais pesadas, muitas vezes prefiro eu mesma fazer.
Uma coisa que sempre foi complicada é conhecer o seu jeito. Quando moramos na casa de nossos pais, a casa é do jeito que os pais querem. Mas depois que mudamos para a "nossa" casa, temos de descobrir como é o nosso jeito. Algumas decisões tomamos sem perceber, mas outras são grandes conflitos, principalmente depois de estar acostumados. Mas escolher dentre as tarefas que cada um pode realizar de forma harmônica na família não é o mais difícil. Com o tempo curto, acaba aparecendo alguém de fora para ajudar. E esse alguém nem sempre aceita o "seu" jeito. Conseguir uma faxineira, principalmente caprichosa não está fácil. Acabo passando alguns períodos sem ninguém. Por enquanto, ainda me irrito quando chego em casa e preciso arrumar a bagunça, mas preciso manter o serviço. Sinto não conseguir deixar mais coisas para outras pessoas fazerem, sinto sempre que estou em débito com a minha casa. E o resultado por deixar outra pessoa fazer é que o jeito da pessoa lavar roupa deixava manchas de amaciante.
Eu experimentei algumas tarefas que eu pudesse deixar para outra pessoa fazer que tivesse o resultado aceitável, mas mesmo eu não sendo chata com roupa, não dava para ficar com as roupas manchadas. Tentei diluir o amaciante, pedi para colocar menos para não pingar na roupa (que é o que eu faço) mas não adiantou.
Eu não quis ofender dizendo que a pessoa faz errado, mas eu estava tendo que lavar roupa na mão e bater na máquina duas vezes o que é um baita desperdício de tempo e de água. Então preferi deixar a roupa apenas para eu lavar. É uma correria danada todos os fins de semana. Eu preciso estar com a roupa em dia para passar uma vez por semana e sempre ter roupa limpa pra usar. Claro que esta rotina me obriga a ter um pouco mais de roupa do que o estritamente necessário, mas é importante definir esta rotina para saber a quantidade de roupas de cada tipo ter para conseguir guardar no armário. Mais do que isso, preciso descartar.
Voltando para as roupas manchadas, a maioria eu mesma já havia esfregado, mas como eu não passo roupa, algumas vezes eu só descobria que a roupa estava manchada depois de sair de casa já que geralmente eu me visto com luz indireta, na penumbra ou até no escuro. Embora eu tenha preferido eu mesma lavar a roupa, inclusive o que se lava na mão e separar para tirar as manchas, passar roupa era demais. Então coloquei este item na lista para terminar de conferir as pilhas de roupas e lavar as que achasse manchada. Depois de alguns meses, percebi que praticamente todas as roupas que poderiam ter sido manchadas já haviam sido usadas novamente e não encontrei mais peças manchadas e defini que o item estava concluído.
Bem se vê que eu tenho um grande problema com roupas em casa. Mas agora, manchas não são um problema e a rotina de lavar roupas não está tão tensa. Às vezes tenho até uma ajudante para separar e colocar a roupa na máquina.
Ainda tenho muita coisa para fazer para ficar satisfeita com o meu guarda-roupa como por exemplo separar as que eu não tenho usado, costurar as que estão com pequenos ajustes pendentes e etc. Mas roupas manchadas não são uma preocupação para mim.
Um próximo passo para uma nova lista será adequar a quantidade de roupa que tenho para uma quantidade menor. 

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Corridas

Uma coisa que eu vejo cada vez mais as pessoas usando para entrar em forma é correr. Sei que isso fez muito bem para várias pessoas e principalmente foram fundamentais para as mudanças de hábito. Mas corrida não faz o meu tipo.
Acho que todo mundo gosta de assistir competições esportivas na televisão e todos são muito incentivados desde a infância de praticar algum ou alguns esportes. 
Não quero defender prós e contras da prática esportiva. Como disse, para muitas pessoas foi fundamental para uma mudança de hábito.
Bom, eu não posso participar de esportes coletivos e eu tenho um problema físico que me impede de praticar a maioria das modalidades esportivas. Eu cheguei a praticar natação por muito tempo, fiz fisioterapia, joguei futebol durante a faculdade, fiz academia Só para Mulheres por dois ou três anos. Em todos eles eu não me adaptei. Sinto dores, me machuco e não tenho os resultados esperados. Para não ser sedentária faço uso de uma vida agitada e com muitos movimentos e sem prática esportiva. Então jamais espere que eu vá jogar futebol de fim de semana ou resolva correr que eu não tenho condicionamento físico para isso. Mas também não tenho sobrepeso e nem corro risco de ter um enfarto por esforço excessivo. 
Tudo isto para explicar que quando eu falo de corrida é de automobilismo.
A corrida que eu sempre gostei é Fórmula 1. Eu costumava comentar por aqui sobre as corridas que assistia. Por alguns anos consegui acompanhar a Fórmula Indy, a ChampCar, a IRL, a Fórmula Truck. No fim do ano passado comecei a acompanhar a Nascar que tem 3 categorias. E ano passado comecei a assistir a Fórmula E. Infelizmente, dependendo da mudança de regras, da organização das equipes e dos contratos de televisão deixa de ser interessante acompanhar. 
Eu cheguei a assistir uma prova de Fórmula 1 no autódromo, mas não tenho tanta vontade de repetir a experiência.
Com as minhas aulas nos fins de semana ficou bem difícil acompanhar. Então fui anotando as datas das provas, na véspera eu conferia se teria transmissão pela televisão e depois tentava assistir. Perdi muitas e muitas provas porque preferi dormir ou não quis parar o que estava fazendo. Não esquento muito a cabeça com isso. As provas são muito longas. Muitas vezes me embalam no sono que é muito mais precioso que a minha vontade de assistir corridas.
Dentro desta série de apresentações para novos projetos, devo voltar a comentar sobre as corridas que assisto. Elas estarão indicadas pelo marcador automobilismo. Como disse, ainda não dá para dizer com certeza o que eu vou acompanhar, depende de como começam os campeonatos, mas a minha lista inicial tem Fórmula 1, Fórmula E e Nascar SprintCup.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

As Mulheres Francesas não Engordam

É difícil não classificar este livro como sendo um livro de dieta. Mas já que ele não foi escrito por um médico, não tem propriedades para tal. Mas também é difícil dizer que ele não é um livro do gênero.
Em "As Mulheres Francesas não Engordam", a autora relata, através de sua experiência pessoal e seus aconselhamentos, os aspectos culturais que segundo seu ponto de vista permitem que o índice de obesidade não seja tão alto na França como é nos Estados Unidos. Após a experiência de intercâmbio nos Estados Unidos na adolescência, a autora francesa se viu muitos quilos acima do peso sem nunca ter tido este tipo de problema. Após voltar para a França e fazer faculdade, a autora acaba por ir trabalhar nos Estados Unidos como representante da marca de vinhos Clicquot. E desde a primeira experiência nos Estados Unidos passa a conviver com uns quilinhos a mais. A autora teve apoio de um médico de família que a orientou inclusive para a dieta. Mas tem muitos toques pessoais no seu programa.
A minha opinião é muito pessoal. Eu gostei do que me agradou de saber. Ademais a discussão sobre farinha branca, gordura, carboidratos, comer de 3 em 3 horas, ingerir muita água, etc... algumas coisas soaram como mágica para os meus ouvidos. Francesas não vão à academia. Francesas são "sedentárias". Mas francesas não reclamam de andar de um lado a outro pela casa várias vezes ou mesmo no escritório bem como optam por deslocamentos a pé sempre que possível evitando utilizar o carro. Então, por favor, não espere que eu volte para academia. Musculação só desgasta as articulações podendo comprometer a saúde a longo prazo.
Outra coisa que não parece fazer muito sentido atualmente mas que eu adorei saber é a importância de consumir os produtos durante a estação. São dois pontos distintos, um a moderação já que ao associar o produto a uma época do ano acabamos por distribuir uniformemente os alimentos sem exagerar em nenhum. E esperar por ele também faz com que não enjoe. E o outro é consumir sempre os produtos quando estes estão mais saborosos. Uma coisa que percebo que os franceses fazem é saborear a comida. Esta relação de amor com os alimentos faz muita diferença. Curiosamente eu já tinha o costume de saborear a comida desde que eu comecei a cozinhar pra valer. Eu tenho meus dias de preguiça, eu tenho um repertório bastante enxuto, mas eu quase que só como comida caseira.
A receita detox de alho poró e as sugestões de cardápio contendo receitas espero não precisar fazer uso, mas são outras dicas valiosos bem como o cuidado de identificar e controlar as recompensas.
Para quem não gosta de dieta com contagem de calorias, ou pontos ou seja o que for, nesta modalidade também faz parte anotar os alimentos que consome, principalmente aqueles que não fazem parte da refeição.
A autora também faz uma grande crítica para o péssimo hábito de não ter rotina para as refeições. E eu via muito isso nas vezes que eu fui para os Estados Unidos. Cada um almoça no hora que quer e se quiser. Muitas vezes os eventos nem param para a hora do almoço. E os restaurantes servem refeições e lanches comumente. Então fica muito fácil não ter uma rotina. Por outro lado, também é muito fácil adotar a rotina saudável, só basta ter disciplina. Mas este é um conceito que tem estado em desuso.
Mas o ponto principal está em identificar o vilão e estabelecer limites para este vilão. No caso da autora, seu vilão é o chocolate e as variações de doces que vêm junto. A dica dela foi mudar o caminho de volta pra casa para não passar na frente de padarias e confeitarias e não cair pelos doces. Já eu prefiro não ter em casa e só usar como recompensa. Então deve ser muito bem pensado.
Recomendo bastante a leitura para as pessoas que não precisam fazer regime e têm poucos quilos para perder. São dicas simples mais valiosas que podem ajudar a corrigir o que te incomoda.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Retrospectiva 2015

Estou revendo as postagens e muita coisa ficou atrasada ao longo do ano. Tive meses que quis jogar tudo fora e teve meses que eu quis começar tudo de novo. Tive momentos de recomeçar o mesmo e de completa frustração.
Mas neste momento penso que a esperança está se renovando. O meu grande tormento ao longo de todo o ano foi conciliar as outras atividades com o meu pouco tempo livre. Foi muito difícil resolver que eu não poderia mais adiar e precisava dar um jeito na minha vida. A maternidade deixou muita coisa atropelada. Antes disso ainda haviam outras coisas e tal e foi ficando.
Tenho a impressão que esta é uma luta para uma vida inteira. Não vou conseguir ter a sensação que está tudo em ordem. E sempre vou descobrir outras coisas que poderia fazer. 
No meu esforço por tentar me organizar acabei entendendo que um dos meus males é ter muita coisa. Estou longe de ser acumuladora e tenho certeza que estou bem na média. Realizo algumas compras em excesso mas não sou uma compradora consumista. O maior mal é que tenho dificuldade em desapegar e jogar as coisas fora. Tenho uma sensação que eu só posso jogar fora o que não dá para usar. E uso as coisas até virar pó. O problema é que por não poder ficar comprando, acostumei a cuidar das coisas para não estragar. E as minhas coisas, de fato, duram bastante.
Tenho sentido que este ano foi de muito aprendizado. Estou aprendendo melhor a me entender. E quis usar o blog para isso.
Se for levantar tudo o que fiz no blog, comecei a colocar coisas mais pessoais. Comecei a falar mais de mim, comecei a descrever os meus dramas.
Eu amo ler, e mesmo que não tivesse os desafios ainda gostaria de contar das minhas leituras. Mas a dificuldade em sentar e escrever me fez acabar optando pelos resumos. Creio que eles estão funcionando bem para mim. Alguns não acrescentam nada, outros quase conto tudo. Mas alguns livros ainda tenho tentado fazer resenhas.
Uma modalidade de livro que está entrando aqui com regularidade são os de auto-ajuda e dieta. Não estou num programa de emagrecimento nem nada, não tenho sobrepeso, mas estou melhorando a minha relação com a comida. Tenho tentado experimentar alguns alimentos, diminuir os alimentos industrializados e escolher produtos mais saudáveis e principalmente comer menos fora para comer melhor. Eu faço um mensário avaliando como está a minha alimentação de forma geral. Coloquei algumas metas e tenho tentado seguir. Talvez traga para cá um pouco dele com o marcador alimentação.
Voltando a falar sobre leituras, além das postagens de resumo para o Desafio 100, tentei ser regular nos Balanços Mensais. Desde que eu comecei na pós a minha leitura ficou bastante prejudicada. Foi uma das poucas metas que eu tentei manter apesar de ter tão pouco tempo livre. Uma grande vitória foi traçar a minha lista de leitura mês a mês. Já havia visto outras pessoas fazendo mas não achei que combinava comigo. Mas acabou sendo uma experiência positiva e creio que vou manter em 2016 para quem sabe ter um melhor resultado. As minhas metas de leitura para 2016 estão mais comedidas e devem aparecer por aqui. Os balanços também continuam.
Eu dediquei bastante esforço na minha lista de coisas e realmente pretendia segui-la e cumprir a maior quantidade de itens possível. Concluí muito pouco, menos do que eu imaginava. Mas considerando o tempo que eu tenho à disposição por dia, 1001 dias será pouco mesmo. Foi uma primeira tentativa e tenho certeza que posso fazer algo melhor. Vou continuar me dedicando a este projeto e vou fazer uma nova lista quando esta acabar em 2017. Infelizmente terei que repetir uma grande quantidade de itens que não cumpri, mas estou indo num bom caminho, estou certa disso.
Coisas novas que estão aparecendo aqui foi a minha experiência como consumidora. Ela é importante não para eu ganhar dinheiro ou conseguir patrocínio, mas para eu rever os meus valores e repensar meu consumismo.
Outros aspectos que estou tratando aos poucos são dicas de arrumação e decoração. Eu não sei o que eu pretendo com isso, mas me parece que ajuda a repensar o consumismo e principalmente a diminuir a quantidade de coisas e me ensinar a jogar as coisas fora.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Item 53: Enquadrar a tela de Fortaleza

Uma das minhas preocupações quando fiz a lista era tentar lembrar de tudo que estava como "um dia, eu vou..." e tentar realizar.
O item 53 era um deles. Em 2011 viajamos para Fortaleza e Natal. A viagem teve várias novidades mas compramos poucas coisas. Apesar de não ser sido temporada as opções de turismo eram exaustivamente em cima de consumo e quase tudo só aceitava dinheiro em espécie. Eu não gosto disso.
Apesar de não gostar de comprar as coisas sem pesquisar e com pressão, compramos uma tela numa praia que eu realmente gostei. Não sei se porque eu sempre tive telas em casa, apesar de preferir imagens de aquarelas, eu estava com vontade de ter uma tela de paisagem. Então, para facilitar o transporte, eles entregar a tela em um rolinho. Quando voltamos, teria que levar para enquadrar, mas isso é bom porque dá pra tirar a armação e fazer o espaçador (paspatur) do meu gosto.
A tela é uma paisagem do litoral com uma jangada e iluminação em luz branca. Tinha uma versão em cores quentes que eu não achei tão bonita. O que foi bom, já que eu tinha um sofá com estofado vermelho e o ambiente iria ficar muito carregado pelas estampas e cores fortes. 
Como o quarto é pequeno, os móveis têm tons de madeira e branco. O sofá-cama tem um cobre-leito também marrom para ficar mais neutro. E tem uma persiana em tom claro fosco (um tom creme). O único objeto com alguma cor, agora, é esta tela.
O problema é que logo que voltamos tinha uma monte de coisa para nos preocupar, o casamento, os móveis que faltavam, arrumar o apartamento e fomos deixando para depois. Por isso coloquei na lista para pelo menos tentar fazer.
Aproveitamos a faxina do escritório para separar o que tinha pra fazer. Ainda falta bastante coisa, mas provavelmente o escritório é o cômodo da casa que está mais arrumado. Muito do que precisava ser feito foi concluído, e a tela fazia parte da arrumação do escritório.
Eu consegui levar para enquadrar junto com outras figuras, que inclusive eram presentes que se eu não enquadrassem corriam o risco de ficarem no armário como esta minha. E então pedi para por na parede imediatamente. Demorou mais uma semana.
Com o quadro pendurado em cima do sofá-cama finalmente tive meu escritório pronto.
Algumas arrumações dentro do armário e do gabinete do escritório precisam ser feitas de tempos em tempos. Mas já falei sobre isso aqui. Assim como comentei sobre alguns itens de escritório aqui, pretendo retomar em outros momentos com a minha To Do List.
Felizmente, consegui concluir este item dentro do período do projeto embora a minha participação tenha sido apenas na cobrança. A escolha da moldura, levar para enquadrar, buscar, pagar e pendurar na parede não fui eu quem fez.
E então vou dedicar mais atenção para outros itens. Quero começar a pegar as fotos para organizar e estes já são dois itens.

sábado, 12 de dezembro de 2015

Menos é Mais

Esta frase pode ser usada em uma série de contextos. Aparentemente, o que eu vou contar não é nada demais. Mas assim como me pareceu algo grandioso quando assimilei, vim compartilhar um pouquinho.
Onde eu quero chegar...
O grande tormento dos últimos anos e que tem me feito voltar aqui tantas e tantas vezes é a organização. Comecei estabelecendo metas, fazendo listas e coisas assim. Você pode ver algumas coisas pelos marcadores.
Qualquer pessoa deve ter percebido o que eu não tinha reparado e que é o principal motivo da minha dificuldade em avançar: meus números são grandiosos. Ainda que eu faça muita coisa, sempre quero fazer mais. Ainda que eu leia bastante, as minhas listas de leituras são sempre enormes. Ainda que a minha lista de tarefas seja grande, eu formo a expectativa de cumprir a maioria. 
E na verdade, menos é mais.
Quer dizer, é bom eu posso ter zilhões de listas, mas é melhor eu ter uma lista só. Eu posso ter uma lista gigantesca, mas eu não tenho que esperar cumprir tudo. E se eu tiver uma lista menor, eu posso cumprir a maioria e ainda fazer mais um monte de coisa.
Eu não gosto de contar. Eu gosto quando os números aparecem magicamente. Sempre acredito que a conta fecha.
Mas o que eu estou começando a fazer é contar, sequenciar e reduzir. 
Para a minha casa ficar mais arrumada, eu preciso ter menos coisas. 
E a minha To Do List será baseada em ter menos. Menos trabalho, menos coisas, menos preocupação.
Para ter mais tempo, mais sossego, mais alegria e mais vontade de comprar coisas, que serão importantes, por um tempo limitado e depois sairão da minha vida.
Descobri que tenho dificuldade em me desfazer das coisas. Assim como não me incomodo de ganhar coisas de segunda, mas não me vejo comprando algo usado.
Eu não sou uma pessoa acumuladora ou viciada em compras. Não pretendo usar este espaço para fazer terapia e resolver minhas compulsões. Mas descobri que eu preciso de menos coisas para ter menos preocupações.
Em 2016, voltarei a contar outras vezes sobre a minha To Do List e os meus avanços. Vou dividir em categorias, listar, e praticar. Aguardem!

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Item 68: Escolher um Jogo e Zerar

A maioria das pessoas que eu conheço gosta de jogos de computador ou videogame. Eu não sou muito aficionada em jogos, mas sempre joguei uma coisa ou outra. Como não tenho videogame, minha melhor opção são os jogos pela internet. O problema é que eu perco a paciência e paro de jogar. Depois de um tempo, eu lembro do jogo de novo e começo a jogar até me cansar e abandonar também.
A verdade é que eu tenho um pouco de medo de passar da conta e ficar viciada. É um tipo de fuga muito confortável para pessoas que têm dificuldade de vida social. E não venha com essa de trocar a vida social em carne e osso pela virtual. Não é a mesma coisa.
O mais difícil neste item foi escolher o jogo. Eu já havia decidido que devia ser um jogo simples, com poucas fases e gratuito. Não adianta ser aquelas plataformas que vão aumentando nem os jogos de colaboração das redes sociais. Acabei ficando entre 3 jogos: um caça-palavras no celular, e dois outros jogos de internet.
Um dos jogos de internet demonstrou ser muito longo e aumentava a complexidade a tal ponto que para eu completar deixava de ser divertido. Então fiquei entre o caça-palavras e o outro jogo de liberar os blocos.
Desde o início do ano eu vinha jogando para tentar concluir. Confesso que nos primeiros meses, enquanto ainda estava testando os jogos para escolher, joguei mais do que devia. Perdi a conta do tanto de vezes que fui "advertida", mas era uma forma de também relaxar. Embora nesta época do ano eu ainda estivesse meio perdida.
No mês de janeiro eu queria ter aproveitado para adiantar as leituras mas não consegui. Até março eu queria ter resolvido a arrumação das roupas, comprado uniforme, material escolar e etc, mas ainda estava com muita coisa atrasada. Então em março resolvi fazer pós e ocupar todos os meus fins de semana. Confesso que dentro deste processo, só consegui ficar ainda mais perdida e com uma sensação de incompetência porque não teria tempo para mais nada. Também estava preocupada de não conseguir honrar os meus compromissos e as minhas metas. Até o aniversário da minha filha ficou todo atrapalhado.
Então somando o tanto de coisa que eu gostaria de ter feito e não fiz, por volta de fevereiro e março joguei tanto destes dois que em abril consegui terminá-los. Os dois na mesma semana.
Eu imaginei que após concluir eu não teria mais vontade de jogar. Pelo menos não estes dois. E para um deles foi isso mesmo que aconteceu. Mas o outro de ligar ainda tenho vontade de jogar às vezes. O que ficou desta experiência é se eu devia considerar fazer isto novamente? Não sei. Estou bem tranquila que já zerei algum jogo alguma vez na vida. Não é como resolver um cubo mágico, mas foi algo que eu treinei e fiz.
O Caça-Palavras que joguei é o que tem gratuito na App Store. São três níveis de dificuldade (fácil, médio e difícil). Em cada nível tem 15 pacotes divididos em pequenos normais e grandes. E cada pacote tem 20 jogos. O total dá 900 jogos. E o outro jogo é o Pet Connect que está disponível na internet. São 6 fases sendo duas estáticas e outras 4 dinâmicas com movimentos diferentes
Uma das coisas que eu temia era querer resolver jogos mais longos e mais complicados, mas acho que eu nunca fui muito de video game mesmo.
Provavelmente este foi o item mais tolo da lista. E por conta disso, acabei concluindo logo. Que venham os novos desafios.

domingo, 6 de dezembro de 2015

Alimentação de 2015

Muita coisa mudou na minha vida desde de 2013, mas desde o ano passado eu venho anotando todo mês sobre algumas mudanças na alimentação. Não deixa de ser uma reeducação alimentar. O objetivo não é a perda de peso, mas ter menos desconforto e não ganhar peso.
Eu comecei a ficar muito chata com a comida de todo dia já que eu comia fora quase sempre. Eu comia mais do que eu precisava e ficava com a sensação desagradável de que aquela comida estaria mais saborosa se eu tivesse feito. Com a gravidez e, depois do parto, com a intenção de ter mais tempo em casa, passei a almoçar em casa. Depois de um tempo, com a mudança de prédio passei a fazer marmita e levar para o trabalho. E tem me feito bem. Comer fora voltou a ser um prazer controlado, sem exageros. E os dias de comer porcaria até ocorrem, mas eu não tenho tanta vontade. 
Uma regra que tem funcionado bem é a da salada todo dia. Eu como depois da refeição quente. E sem tempero. Mas está longe de parecer uma penitência. Eu como numa boa. Mesmo sendo praticamente a mesma coisa todo dia. Nos fins de semana, quando como em casa, ainda acrescento um queijo, um tempero, um molho ou algo do tipo.
Melhorei bastante no quesito comer a cada três horas. Infelizmente não é um lanche dos mais saudáveis tipo frutas e cereais, mas em geral são uns biscoitinhos, torrada e um cafezinho. Veja que apesar do café não ser o mais recomendado, evito tomar café em outros momentos que não no horário do lanche.
Eu diminuí bastante os alimentos prontos. Não compro mais comida pronta, preparo para risoto, lasanha congelada, sopa de saquinho, bolo de caixinha, pipoca de microondas e coisas do tipo. Praticamente não tenho biscoito recheado, salgadinho, refrigerante.
Muito de vez em quando compro embutidos, enlatados, suco de caixinha e outros alimentos semi prontos.
A minha opção costuma ser preparar uma quantidade maior e congelar. O freezer passou a ser meu maior aliado. Assim como o forno. Demoro muito tempo cortando e picando, lavando e deixando secar. Escolhendo as receitas e os temperos para não deixar perder. Combinar os preparos para não ter sobra. Mas depois que começo a ligar as bocas do fogão e o forno, tudo vai muito rápido. É só esperar e depois saborear.
Em 2015 aprendi a controlar a despensa, a geladeira e o congelador para não precisar jogar comida fora. Ainda tenho a minha listinha das coisas que precisam acabar e talvez não comprar mais. Mudei um pouco o meu padrão de consumo e aos poucos tenho refinado as minhas escolhas.
Ainda preciso tomar mais água. Ainda abuso de café e outras bebidas cafeinadas.
Também preciso voltar a experimentar coisas novas e receitas novas.
No fim do ano, é bom rever tudo o que se tem em casa e renovar os estoques aproveitando para limpar tudo. Uma grande conquista de 2015 tem sido o fim dos carunchos e das formigas. Estou trocando meus potes de armazenagem para poder enxergar tudo o que tem na despensa. E o melhor de tudo isso é que consigo ver tudo o que eu tenho em casa e ainda consigo ver tudo o que eu tenho nos armários.
Infelizmente, ainda tenho algumas coisas na bancada da cozinha e estou com o freezer muito cheio. Acabei errando a mão e ainda tenho muita coisa. Nos meus primeiros dias de férias, além de tentar me preparar para o natal e para viajar quero por uma ordem na casa e inclusive na cozinha. Terminando a limpeza.
Em 2016 vou prosseguir nestes controle e colocar novos objetos em jogo.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Experiência de Leitura: Tudo e Nada

Poucas vezes fiquei tanto tempo sem conseguir avançar na leitura. Estou com várias leituras em andamento que quando travava uma, eu pegava outra. Daqui a pouco vou estar com 20 livros listados como lendo. Quando isto acontece, que muitos chamam de ressaca literária, sempre tem uma leitura que funciona para você e destrava. Depois você volta a ler como lia antes. Uma coisa importante também é o tempo. É importante diminuir o ritmo de leitura ou até ficar sem ler por uns dias. 
Desta vez, estou enroscada com vários livros. Eu acho que travei depois de terminar "A Esperança". Até terminei outros livros depois deste, mas muito pouco.
Tentei ler "Fábulas" de La Fontaine. Achei que por ser um livro infantil iria fluir. Por ser em versos, parecia que seria rápido. Mas eu voltei pro começo duas vezes. E voltei para a segunda parte outras duas. Então entenda que não está fácil.
Também tentei Agatha Christie mas travou também. Tanto "Cipreste Triste" quanto outro que eu nem lembro qual era.
Também estou tentando ler "A Revolução das Formigas", mas travei na página 75.
Semana passada, com muito custo, consegui ler umas 20 páginas de "Memnoch" mas só.
Estava feliz que a leitura das constituições históricas estava fluindo, mas estava. Não está mais. Travei também.
Os três livros em inglês que estão em andamento mal foram tocados.
Veja que até aqui são 8 livros.
Para tentar aliviar um pouco tentei algo mais curto e consegui terminar "Dez (Quase) Amores". E só.
Achei que por ser curtinho, conseguiria ler "Histórias de Fantasmas", mas também está parado.
Peguei outro livro mais leve para ler, consegui avançar com "Presentes da Vida" e terminei.
Não sei dizer se passou. Aparentemente, agora estou melhor. Tanto que consegui voltar a ler "Fábulas" e "Memnoch".
Neste estilo também peguei para ler "Ser Clara" e a leitura está avançando lentamente.
Vi a Tatiana Feltrin fazendo Maratona 24 horas e pensei que isso é tudo que não vai funcionar para mim. 
Vou tirar o pé e continuar encarando a minha lista de leitura. Só encarando mesmo, porque não devo chegar nem perto de avançar.
Acho que eu tentei quase todos os títulos da lista para chegar a conclusão que não vou avançar e pegar algo que não está na lista.
De qualquer forma, tenho lido tudo e nada ao mesmo tempo e assim os dias vão passando. Que eu renove o fôlego para começar 2016 com bastante energia e muitas leituras. Dezembro já é uma luta perdida.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Materiais de Escritório

Eu tenho fixação por material de escritório. Quando era criança, gastávamos a mesada numa lojinha do shopping que vendia papel de carta, adesivos e coisinhas do tipo. Apesar de eu ter me desfeito da minha coleção de papéis de carta faz mais de dez anos, ainda tenho uma coleção de borrachas, cadernos, algumas agendas, canetas e lápis. 
Eu tenho visto bastante, pela facilidade de comprar estes tipo de produtos no exterior, uns produtos muito bonitinhos, mas não tenho comprado e não pretendo comprar.
Os adesivos eram poucos. Usei como motivação para ajudar minha filha a tirar a fralda. Compramos um caderninho de sticker e ela foi usando para colar adesivo. Aos poucos fui gastando os adesivos que tinha guardado. Ainda tenho algumas cartelas em casa, mas são poucas e penso em mandar para a escola.
Os lápis foram uma forma de eu comprar lembranças baratas que a maioria dos lugares têm. Também tenho vários lápis temáticos que eu não resisti. Só que eu escrevo bastante de lápis, então sempre carrego o lápis e a borracha da vez. Conforme vai acabando, eu troco.
Eu também tinha muitas canetas destas que você ganha de brinde em eventos. Infelizmente (ou felizmente) mesmo que eu quisesse usar até o fim, estas canetas não duram muito e acabei tendo que me desfazer de várias. Ainda tenho algumas a mão na mesa do corredor e mais algumas no porta-lápis do escritório, mas precisei testar e descartar as que estão guardadas. Tem um modelo de caneta que meu pai trouxe dos Estados Unidos e que fez bastante sucesso em casa. Não achei para vender no Brasil, mas quando voltei para lá trouxe duas caixas. Infelizmente também estão acabando. Não sei como vou fazer para comprar mais quando acabar, mas não tenho pressa. Preciso deixar pouca coisa guardada.
Depois que passei a ter que comprar material de escola, tenho um pouco mais de materiais que precisam ser armazenados. Apesar da febre dos livros de colorir, eu não aderi à moda, mas tenho meus próprios desenhos e atividades guardados do curso técnico que fiz. Tenho vontade de voltar a desenhar com alguns materiais e por isso às vezes compro uma coisa ou outra. 
Outra coisa que acontece agora e não acontecia antes era as atividades de tarefa da escola. Não é pedido no material escolar, mas acabamos tendo que usar revistas para recortes, cola, lápis, giz de cera e até alguns materiais diferentes que poderia chamar de artesanato. Procuro improvisar com o que tenho em casa. Uso papéis de presentes, fitas, propagandas impressas que chegam em casa e claro, o lixo reciclável que tiver a mão.
Papéis eu também deixei juntar demais. Alguns cadernos eu me desfiz só mantendo algumas folhas de rascunho que uso como lista de compras ou bloco de notas, mas cada vez mais os celulares estão sendo usados para este fim. Ainda tenho mais nas caixas de papel, mas estas virarão folhas para desenho. 
Nunca mais comprei agenda, a minha última foi de 2013, mas venho utilizando-a como caderno para anotações gerais. E conforme vou usando vou riscando os itens da lista e depois arranco as páginas que não são mais importantes. Faço isso porque gosto de escrever a mão, mas mesmo assim, as minhas anotações são poucas. Recentemente, peguei a agenda que está mais gasta, dividi em seções com aqueles marcadores de páginas por tipo de anotação e separei para usar. Ainda tenho muito caderno para estas anotações, mas ao menos estou usando para um fim.
Também tenho dois cadernos: um para guardar citação de livros e outro para listar os livros que li. É um hábito bobo meio sem motivo, mas descobri que tem bastante gente que anota como eu. Cheguei a comprar um caderninho para dar de presente e resolvi aproveitar para usar para estas anotações quando o atual terminar. Nunca imaginei que isto fosse acontecer mas ele está bem gasto. Dependendo de quanto eu ler em 2016 e 2017, ele acaba.
Tenho tentado reduzir estes materiais limitando os espaços e me desfazendo dos materiais que não estão em condições de uso. Também tenho procurado não comprar mais pelo menos aqueles que eu sei que vencem. 

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Balanço Mensal - Novembro

Leituras de Novembro


Eu até tentei passar mais tempo lendo, mas já comecei a loucura de fim de ano, presentes de natal e preparativos para as férias. E finalização do TCC. Não foi fácil. Ainda por cima, fiquei alguns dias sem conseguir pegar em livro por pura falta de concentração. Comecei a ler quatro livros e nenhum consegui terminar. Passei horas com o livro aberto para ler pouco mais de uma página e meia. Enfim, estes foram os livros.

Desafio 100

Finalmente atingi os 100 livros. Novamente concluí algumas leituras que não contam, mas estou avançando. Como este mês será o derradeiro, pouco além dos 110 devo chegar na contagem oficial. Foi um desafio estimulante, mas estou um pouco frustrada de não ter atingido a minha meta. Não sei o que a Clauo tá pensando em fazer, mas pretendo manter nas minhas metas para 2016 a leitura de 150 livros em um ano. Você pode acompanhar a lista completa que vale para o desafio no tópico de apresentação e os resumos nem tão semanais assim pelo marcador desafio 100.

Andamento das Metas

1) Ler 150 livros faltam 41
2) Terminar a pasta Anteriores faltam 1 + 41 + 15 + 5
3) Manter uma Lista de Espera < 250 livros está em 386
4) Ler todos os livros comprados até 2011 faltam 36
5) Vou ler e não tenho < 100 está em 195
6) Atingir 50% lido entre tenho faltam 117
7) Atingir 100% da meta sem reduzir a lista depois de 01/01/2013 faltam 6


Não foi um completo fracasso este mês, mas todas as metas estão muito longe de serem alcançadas. O desafio se renovará. Foram 4 livros meus, 3 que estavam na minha lista de espera e 2 da pasta anteriores. Como tenho trocado muitos livros, a lista de lidos entre tenho está oscilando bastante.

Metas para Dezembro

Com tudo o que sobrou das listas anteriores e mais um pouquinho, ficou um pouco grande, mas são todos os que eu me comprometi com alguma meta ou que me prepara para as metas de 2016. Provavelmente vai sobrar alguma coisa, mas em tempos de trocas de leituras para continuar tentando, fica difícil cortar alguma coisa. Novamente estou com muitas leituras em andamento. E vou continuar fazendo estas listas no ano que vem.

1. Value-Focused Thinking 53%
2. Aircraft Flying Handbook
3. Tess of D'Ubervilles 19%
4. Mulheres Alteradas 4
5. Fábulas de La Fontaine 60%
6. A Revolução das Formigas 11%
7. Memnoch 21%
8. Bonequinha de Luxo
9. Conte-me seus Sonhos
10. História de Fantasmas
11. O Vampiro Armand
12. Contato
13. O Céu está Caindo
14. Ser Clara
15. O Silêncio da Chuva
16. Os Irmãos Karamazov
17. O Talismã do Poder
18. Beijada por um Anjo
19. Além da Linha D'Água

Metas para 2016

Por fim, a lista com as metas que pretendo estabelecer para 2016. As primeiras 7 são metas que já constavam para 2015, mas não cumpri nada. Vou ser realista, quero atingir metade destas metas em 2016.


1) Ler 150 livros
2) Terminar a pasta Anteriores
3) Manter uma lista de Espera < 250 livros
4) Ler todos os livros comprados até 2011
5) Quero ler mas não tenho < 100
6) Atingir 50% lido entre tenho
7) Atingir 100% da meta sem diminuir a lista depois de 01/01/13
8) Ler todos disponíveis de Agatha Christie
9) Terminar série Pitt da Anne Perry
10) Alcançar 1300 livros lidos

domingo, 29 de novembro de 2015

E a Esperança se Renova

No último mês consegui perceber que o curso está acabando. Como já havia dito, conquistar o direito de ter os meus domingos de volta foi muito bom. Aos poucos consegui me organizar até para terminar de lavar as roupas no domingo pela manhã, antes de ir ao supermercado. Também estou conseguindo deixar a lista pronta com antecedência e até resolver o cardápio do fim de semana. Também estou tentando voltar a cozinhar, mas isso está um pouco mais difícil de empolgar. 
Seguindo a ordem da lista, no mês que vem preciso marcar médicos e agendar a revisão do carro. Esse mês foi tranquilo.
As tarefas relacionadas a rotina foram bastante lembradas. Desde que eu li "As Mulheres Francesas não Engordam" tirei da cabeça que atividade física tem que ser algo como academia, corrida, pilates ou algo do tipo. Penso em talvez fazer uma avaliação física e um programa de manutenção. Ainda estou ruminando na ideia.
Voltar a ter domingos me ajudou a ter um "dia de beleza" que é como eu chamo quando separo um dia para fazer a hidratação do cabelo, esfoliação da pele e depilação. Como tem estado quente, acredito que vou conseguir colocar estas preocupações na rotina para completar estes itens até o fim do verão. Esse ano já consegui fazer mais que no ano passado. Eu lembro que teve uma semana que eu falei: "Finalmente tive uma semana que consegui tomar banho todos os dias". Não consigo pular dois dias seguidos, mas às vezes acontece de eu só tomar banho dia sim, dia não. Também quero mudar isso para poder ter a rotina de beleza.
Acabei comprando um aparelho de fotodepilação. Caso me adapte, não vou mais precisar fazer depilação a laser. Vou tentar começar a usar para estabelecer na minha rotina de beleza.
Infelizmente ainda não consigo fazer passeios no fim de semana. Ano passado fizemos algumas coisas, mas este ano está bem difícil. E fim de ano sempre temos vários compromissos. Acredito que vai ficar complicado e só vou ter alguma chance a partir do ano que vem.
O meu maior desafio desta lista até o momento, tem sido a pós. Até fico com um pouco de vontade de continuar estudando e me aperfeiçoando, mas a experiência tem me provado que teria que abrir mão de muitas coisas e que inclusive minha família teria que abrir mão de muitas coisas. E é aí que tenho certeza de que estou exagerando. Agora no fim do mês terminam as minhas aulas. Ainda quero rever toda a papelada e os arquivos do mestrado que fiz backup para me desfazer do máximo possível e conseguir virar a página. Talvez eu resolva fazer alguma coisa da vida depois disso, mas o compromisso com pós-graduação terminará quando eu terminar a revisão da papelada. E então vou ter tempo para retomar meus outros estudos que ficaram parados.
Eu consegui trocar dois livros no último mês. E tirei mais um do plástico. Minha filha também me pediu para ler algumas vezes e comecei a revirar o cantinho de livros. Não me sinto pronta para fazer uma arrumação de grandes proporções na minha estante, mas já andei fazendo algumas pequenas mudanças. O cantinho de livros infantis talvez mude de lugar, mas isso também depende de fazer um novo rack. E a pilha de revistas já está bem pequena, faltam apenas 5. Pretendo terminar em dezembro para ficar pouca coisa para arrumar em 2016.
Todos os meses eu tento separar as roupas mas acabo me entregando. Consegui fazer uma grande arrumação em um dos lados do guarda roupa. E me desfiz de alguns sapatos. Também aproveitei para trocar alguns cabides. 
Estou com uma pilha de roupa para experimentar. Engraçado que a Ágata tem resistido, mas separamos algumas roupas. Quando estivermos de férias, vou tentar fazer isso com o que falta, lavar o que for preciso e já tirar do armário para começar o ano com tudo organizado.
Finalmente acabou mais um creme que eu vinha usando. Ainda tenho alguns guardados, mas vou tentar revezar com os óleos que funcionam bem para hidratar no verão. Tenho feito uma limpeza no armário todo mês para trocar a ordem dos itens e não deixar as coisas ficarem muito velhas.
O meu prejuízo do mês foram os esmaltes. Ganhei dois e comprei dois. O pior é que não cabe no pote e vou ter que arrumar outro lugar para guardar. A parte boa disso tudo é que descobri que já dá para liberar mais uma gaveta do guarda-roupa. 
Larguei mão da minha lista de tarefas por enquanto. Não dou conta de fazer e controlar. Pelo menos consegui aliviar o email que estava estourando toda semana. Acabar tarefas ajuda bastante a limpar a caixa.
O principal item que concluí foi o item 84: terminar de ler 5 das séries que eu venho adiando. Na verdade, eu respondi uma tag de 5 séries para terminar em 2014 e ainda faltam 2. Mas contando as séries que já estavam iniciadas antes do projeto, terminei 5. Eu acabei revisando a postagem desta tag, e fiz uma nova lista para 2016. Até o fim de 2015 devo terminar as 5 da anterior.
As minhas leituras continuam sendo aleatórias na maior parte do tempo. Infelizmente, a perspectiva de não terminar nada me desanimou e larguei muito da meta. Mas avancei um tanto. Ao longo de 2016 devo conseguir atender algumas metas. Acho que o que vai ser mais difícil vai ser terminar de ler os livros da Agatha Christie.
Comprei dois álbuns de fotos para montar com as lembranças e fotos do casamento e do primeiro ano da Ágata. Agora quero ter um tempinho para realizar estes itens.

Balanço do Projeto de Organização Pessoal
Décimo Sexto Mês
itens concluídos: 16
itens em andamento: 36
itens pendentes: 54
itens cancelados: 0

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Perfumaria e Beleza

O setor que acredito tenha mais supérfluos é perfumaria e beleza. Não me levem a mal, eu não sou de usar muita coisa e tenho muito mais do que uso. Compro mais pelos olhos do que por necessidade. E tudo é tão bonito que eu sempre penso que vou me acostumar e mudar. Cada vez mais tenho convicção de que não é bem assim.
Estou com algumas tentativas de mudanças de hábito na minha lista de 101 coisas e já estou trabalhando em novas metas para equilibrar esta balança tão torta. Aqui tem algumas dicas para escolher os produtos e as quantidades. Depois venho contar sobre redução.

Acostumei a guardar todos os kits de higiene que vêm nos hotéis e nas revistas. E também não sabia comprar, acabava comprando e testando produtos que eu não conhecia e não sabia usar que depois eu largava. Então coloquei a preocupação de me livrar dos muitos produtos que eu tenho em casa e não usava com frequência.
A principal dica é conhecer o seu gosto e o seu uso

Pele: Eu tentei utilizar sabonete com hidratante mas eu sentia a pele melecada como se não tivesse tomado banho. Então optei por usar um sabonete glicerinado e creme hidratante.
Maquiagem: Também não me acostumei com maquiagem, passo alguma coisa na pele e nos olhos, mas na boca é só gloss.
Cabelo: Para o cabelo o drama é um pouco maior, preciso pintar, usar shampoo e condicionador para tratamento e creme para pentear sempre. Descobri mais alguns produtos práticos para o dia-a-dia que ajudam a ajeitar o cabelo e estou sempre testando produtos novos.
E por fim, o top chatice foi para o desodorante em creme que têm pouquíssimas opções no mercado.

Não vou discutir sobre as linhas de produtos e as marcas porque isso é de cada um. Mas tente encontrar o equilíbrio entre o que você usa e o preço. Se não está funcionando, troque. Se você gosta e funciona, tenha sempre. Se for muito caro, considere a possibilidade de uma alternativa ou encontre outras formas de adquirir para ter descontos
O principal para mim foi reconhecer que desses brindes todos, nenhum vai ter um bom resultado como o do produto que eu escolhi usar.
Outra coisa que aprendi a fazer é só comprar quando preciso. Porque sempre ganho perfume, creme ou sabonete em aniversário ou natal. E não se engane com promoção do tipo comprar um que o segundo sai pela metade do preço ou de comprar um e ganhar amostra dos itens tais e tais. 
E mais uma lição foi padronizar os lugares para guardar os produtos, separar por tipos e saber sempre o que tem.
Quando eu tirei tudo o que eu tinha do armário do banheiro, descobri que eu tenho sabonete para dois anos de uso. Para facilitar saber tudo o que eu tenho, joguei fora os potes vazios que podem ser reaproveitados se eu não pretendo comprar o produto novamente. A maioria das empresas de cosméticos estão fazendo embalagens com refil ou retornável. As embalagens que estavam no armário ocupavam espaço e não permitia ter noção do que de fato havia.
Outra coisa é deixar os produtos de uso contínuo à vista. Um dos motivos de eu não usar é por esquecimento. Se a bancada começar a ficar muito cheia, é melhor reorganizar e distribuir nos locais de uso.
Pode variar de pessoa para pessoa, mas alguns produtos têm o uso mais indicado para determinadas condições climáticas (clima quente, clima frio, tempo chuvoso...). Mude a disposição de acordo com as estações do ano se for o caso.
A não ser que você faça natação duas vezes na semana, não deixe uma necessaire pronta para viagem eventual mesmo que você viaje com frequência. Eu viajava (por isso tinha tanta coisa de hotel). Tenha a mão os produtos de uso diário e uma necessaire grande para por tudo dentro. Uma das piores coisas é chegar no hotel (ou na casa de alguém) e descobrir que esqueceu a escova de dentes. Então prefira usar a escova da vez do que confiar que a escova está dentro da necessaire e pode já estar estragada. Se for o caso, deixe várias cópias da sua lista de itens necessários a mão para conferir na hora de fazer a mala. 

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

O Meu Escritório Como Devia Ser

Estou abrindo um novo marcador para destacar os itens que fazem parte da minha To Do List.
Talvez eu crie coragem para fotografar e colocar aqui. Um dia.
A primeira coisa está em organizar o escritório que eu concluí aqui a principal etapa.
Para esta organização coloquei como requisito manter no escritório apenas itens compatíveis com escritório.
Foi relativamente fácil convencer a retirar as ferramentas e materiais de reforma e etc do escritório, mas a área de serviço e o depósito são minúsculos. Minha maior restrição era pela presença de material inflamável (em pequena quantidade, claro) mas em alguma variedade. Só foram mantidas as tintas de artesanato (infantil, não sou artesã).
Eu também precisava que os itens escondidos tivessem um espaço e houvesse espaço disponível para receber visitas com algum conforto.
As apostilas, materiais da faculdade e os livros foram para a estante da sala. Apenas os materiais que estão em uso ou que tem que estar disponíveis para o computador estão no escritório.
Então a arrumação:

Móveis. O Escritório é o menor quarto do apartamento. Veio com armário embutido e uma persiana curta na janela. Um dos móveis que veio no apartamento é uma espécie de escrivaninha com uma mesa que recua para o teclado, 3 gavetas e um armário pequeno com portas (aberto atrás). Este móvel é todo o espaço que posso usar com material de escritório e artes. O escritório tem também uma cama com bicama embaixo que serve como sofá e cama de hóspedes. Tem uma colcha escura, os colchões das camas são ortopédicos de tamanho solteiro padrão e as almofadas do sofá são travesseiros espalhados. Além destes dois móveis tem uma cadeira de rodinhas reclinável para escritório preta.

Decoração e Adornos. Tenho dois quadros e dois diplomas nas paredes. Todo o espaço disponível de paredes está de alguma forma ocupado. As portas do guarda-roupa são brancas o que deixa o ambiente parecer um pouco maior. E tem um espelho que sobrou do outro quarto atrás da porta. A capa do sofá e das almofadas são de cores lisas, sem estampas variando em tons de marrom a branco como os móveis. Também tem um computador de mesa (praticamente um item de museu) que funciona, ligado a uma impressora, modem e telefone.

Embalagens de Presente. Na casa dos meus pais minha mãe sempre tinha infinitas sacolas de presentes que mal usava. Depois de mudar para a minha casa continuei acumulando algumas embalagens, mas raramente tenho tempo de preparar um embrulho pra presente. Deixo guardado plásticos adesivos e papéis de presentes, junto com sacolas e outros materiais de presentes no guarda-roupa para alguma eventualidade. Durante um período de tempo que estive recebendo pessoas em casa, eu acabei guardando mais coisa do que precisava, quando precisava nunca tinha e eu não sabia o que tinha. Estava na minha To Do List descer com tudo, separar e organizar. Das 3 prateleiras que tinham as sacolas e embalagens, reduzi para duas. Guardei sacos de panos e TNT e caixas dentro de caixas. Separei mais ou menos as sacolas por tamanhos (grandes, médias e pequenas) e coloquei na caixa maior as miudezas (fitas, cartões e adesivos). Todo ano gosto de comprar alguns para os presentes de natal e algumas vezes esqueci de usar porque não estavam à mão.

Materiais de Escritório. Já havia feito uma grande limpeza e separação de materiais para descartar os que não estão em condições de uso e tenho limitado o espaço para não comprar mais, mas tenho usado muito pouco para dar fim a tudo o que eu tenho. A não ser que eu tenha outra opção e comece a doar tenho material para mais de 10 anos. Meu objetivo é encontrar outro fim ou outro uso para os materiais que eu tenho atualmente e não comprar mais.

Documentos. Eu ainda tenho muito para fazer nos documentos. O que eu consegui foi colocar a maior parte dos documentos nas pastas e jogar fora os comprovantes que não precisam ser guardados. Ainda preciso revirar as pastas para descartar o que não preciso manter e queimar os documentos.

Objetos não Classificados de outra forma. Se eu não consigo classificar imagine como poderia tentar saber o que fazer com eles. É incrível como estas coisas existem e persistem. A minha intenção é rever e reduzir de tempos em tempos tentando tirar outros proveitos destes objetos, mas ao que parece, é mais fácil aumentar do que reduzir. Então provavelmente um dia, num futuro próximo, vou abrir e jogar fora tudo sem pensar.

Enfeites de Natal, Decoração e Afins. Eu limitei o espaço disponíveis para estes itens, mas pelo formato e tamanho das embalagens já estava começando a ocupar mais espaço. Abri algumas embalagens, organizei dentro das caixas, descartei poucas coisas e guardei de volta. Estes são itens que preciso fazer a triagem com frequência. Não tenho muita coisa, mas sei que tenho que cuidar para não exagerar.

Presentes. Nos primeiros anos morando sozinha comecei a me planejar para escolher os presentes e comprar independente das datas. E deixo guardado para entregar nos aniversários ou natal. Muitas vezes acabo deixando para a última hora resolver os presentes, mas sempre tenho alguns presentes em casa. Já aconteceu de eu ter que usar meus livros em sacrifício (os que ainda estão no plástico). E depois que a minha filha nasceu passei a ter que guardar presentes que não tenho como trocar para repassar para outras crianças. Então deixo um espaço no armário para estes presentes. Confesso que este armazenamento seria desnecessário, mas ainda não consegui outra solução. Aos poucos estou me acostumando a sempre conferir o que eu já tenho antes de sair para comprar presentes, principalmente para as festinhas infantis.

Estou numa empreitada de diminuir as coisas que eu tenho para tentar deixá-las em ordem. Alguns destes itens vou retomar em outros tópicos trazendo a minha experiência e mais algumas dicas de organização.
Eu um momento futuro vou tentar quantificar os meus desafios e inserir numa forma de To Do List.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Item 17: Voltar ao Museu da TAM

Quem já assistiu "Uma Noite no Museu 2" deve lembrar como é mostrado o Museu do Ar e Espaço do Smithsonian. Já estive lá e é incrível. Só que eu também já visitei outros museus de aviação.
Aqui no Brasil, o Museu mais importante é o MUSAL no Campo dos Afonsos/RJ. Estive lá duas vezes com diferença de dois anos. 
Outro museu da FAB que conheço é o MAB em São José dos Campos/SP que também fui algumas vezes (mais de três) mas que é bem menor. São propostas diferentes de qualquer jeito. Este tipo de museu nos Estados Unidos tem praticamente em qualquer cidade que tenha um aeroporto.
O principal museu particular no Brasil é o Museu TAM em São Carlos/SP. A primeira vez que eu fui lá foi no ano de inauguração, pouco depois que me formei na faculdade. E é muito diferente dos museus da força aérea. 
Diante das minhas escolhas por atividade profissional acabei por me aproximar cada vez mais da aviação. Não tenho a fixação que vejo em outras pessoas próximas, mas gosto de ver a grandiosidade da máquina.
Já fazia um tempo que eu estava curiosa de voltar lá e ver como está. Em parte porque sempre tem um ou outro que passa por lá e volta contando e em parte porque agora eu entendo muito mais do que antes.
Demorei umas duas semanas refinando se tinha como ir ou não, quanto tempo e quanto ($) sairia a viagem, se o museu estaria funcionando, se tinha alguma restrição, lugar para comer, facilitação e etc.
Aproveitamos a necessidade de ir à São Carlos entregar a geladeira para passar no museu. Saímos muito cedo, com o carro carregado, deixamos a encomenda, almoçamos com o meu cunhado e fomos ao museu. Era importante aproveitar para passar um tempo com meu cunhado e fazer algum passeio na cidade. O fato do dia estar chuvoso acabou sendo propício. Outra preocupação era o cansaço para a viagem de volta. Conversamos bastante e chegamos à conclusão de que desde que voltássemos cedo, daria para fazer.
Passamos quase 3 horas lá, entramos nas aeronaves em que era permitido e saímos com os badulaques de sempre. Tiramos algumas fotos que depois quero comparar com as da outra ida ao museu.
Em área, o museu não cresceu muito, mas muitas seções foram acrescentadas do que eu me lembrava.
Também aumentou bastante as áreas temáticas. Basicamente tinha um hangar com alguns aviões. Já impressionava e muito a restauração feita. As aeronaves estavam com a pintura nova e em condições de operação. O hangar é novinho.
Desta vez ainda tem um memorial com a história da aviação numa riqueza de detalhes que para muitos passa batido. Várias réplicas miniaturizadas dos modelos históricos. O que me pareceu curioso foi a linha adotada para definir os principais marcos. Achei um pouco controverso. Mas em toda a aviação o que mais tem é contradição. A entrada lembra o processo de decolagem da aeronave. Só passando por lá para entender. Também tem uma seção de vídeo sobre a história do fundador da TAM.
Uma parte que eu gostei bastante foi o espaço kids que é uma gracinha. Uma pena que os simuladores não estavam funcionando.
Por fim, a seção de uniformes não consegui visitar. Já estava bastante cansada.
Tem uma parte com modelos (plastimodelos) cuja maior parte foi doação. Infelizmente este é um hobby caro no Brasil. Que bom que tantos se desfizeram de suas coleções para o museu.
E na lojinha, claro, alguns objetos de referência ao museu e à aviação. Tento sempre ser comedida nestes casos, mas saí com meus pacotes.
E assim concluí em 08 de março embora tenha deixado a rascunho parado e apenas agora me dei ao trabalho de revisar e finalizar.
Ainda tenho alguns itens atrasados, mas quero voltar a publicar, bem como concluir mais alguns.

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Item 5: Levar a Ágata ao Dentista

Com o nascimento dos primeiros dentinhos surge a preocupação dos pais com os cuidados. Parece bobagem, mas o nascimento dos dentes muda bastante a fisionomia da criança. 
Para alguns pais, os dentes são muito esperados já que os alimentos podem ser menos triturados depois que os dentes aparecem. Por outro lado, é um momento em que a amamentação fica prejudicada.
Eu tive a sorte de cada dente vir com uma febre de três dia. Coisa fácil. Não reclamava de dor na gengiva, não roeu a casa inteira,  mas também não comia direito. Passava os dias só no leite.
Por mais que o pediatra diz que não é nada e todo mundo saiba que não é nada demais, ficou a preocupação se está tudo certo.
Muitos pais têm dúvida sobre a época correta de nascerem os dentinhos e já levam no dentista. A minha proposta era levar ela ao dentista ao fim da dentição de leite, mas eu não havia me dado conta que alguns dentes permanentes já estão vindo e os cuidados já devem começar. 
Apesar da trabalheira que era conviver com a febre e o nascimento de um dente de cada vez, não precisei me preocupar com nada, apenas o bem estar da criança. 
Quando procurei passar no dentista para cumprir outro item da lista, perguntei da possibilidade de uma primeira visita para a Ágata. A proposta era mais saber como estavam os dentinhos e trocar informações sobre cuidados e escovação.
O fato é que tenho realmente muita sorte. A natureza da minha filha, embora um tanto temperamental em alguns momentos, é muito tranquila. Não tenho muito trabalho para nenhuma das obrigações de rotina que as crianças devem ter. E escovar os dentes é algo muito tranquilo. É claro que eu preciso usar de algumas brincadeiras como escovar os dentes de alguns brinquedos, lavar a boca junto, brincar de fazer careta no espelho e coisas assim para contornar as situações em que está mais resistente. Mas isso não é um problema. Alguns movimentos ela faz sozinha e inclusive corrige quando fazemos diferente. Tem uma preguicinha na hora de dormir, mas a escovação acaba acontecendo.
A minha preocupação era por conta de umas manchinhas e a pasta de dente já que ela ainda não sabia cuspir.
A ida ao dentista foi muito tranquila. Temos por hábito falar com antecedência que vamos fazer algo diferente, mas sem explicar. No dia, eu fui explicando como ia ser, que era uma moça, que vai olhar os dentinhos, que nem o George e a Peppa e o George estava com medo mas deu tudo certo. Colocamos o vídeo no celular do episódio do George no dentista enquanto eu estava sendo atendida. Ela assistiu o episódio, viu o meu atendimento e depois sentou na cadeira e pronto. Nada demais e uma "aventura" para contar.
Como disse não costumo ter esse tipo de problema. Até exame de sangue e radiografia ela fez de primeira, só pediu para ficar de mão dada.
E concluí o item com a tranquilidade de que não preciso me preocupar com a saúde bucal. Estamos cuidando bem e trazendo um hábito saudável (sem sofrimento) para a criança.
Aos poucos consegui realizar mais algumas mudanças que eram esperadas, mas ainda preciso preparar para a independência. Escovar os dentes ainda requer vigilância e ajuda.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Desafio 100 Resumo da 45ª e 46ª Semanas

E já estou novamente mega atrasada na publicação dos resumos. Tem acontecido bastante de eu começar a escrever e não conseguir terminar. Recentemente tentei dar uma limpada nos rascunhos que estavam aqui e publicar. Deixei vários agendados, mas ainda tem mais de 10 sem contar as várias pautas que escrevi mas não desenvolvi o texto. Na semana de 5 a 11 de novembro terminei a maior parte dos livros que vou listar, mas nem todos contam para o desafio.

A Esperança é o último volume da trilogia Jogos Vorazes e eu já estava enrolando para ler faz tempo. Havia lido alguns comentários de pessoas que leram e a maioria não gostou muito. Então estive receosa de não gostar também. Para minha sorte, achei o final super coerente. E mais ou menos como eu imaginava que poderia ser. A autora Suzanne Collins pode não ter acertado para a maioria dos leitores, mas me convenceu bem. Comecei a ler ainda na semana anterior e terminei dia 05/11. Avaliei com 5 estrelas.

O Natal de Poirot começa com um crime na véspera de natal. É uma família muito orgulhosa, cheia de vícios mas também cheia de dinheiro e interesses. Para azar de Poirot, que se encontrava de visita ao delegado, foi convidado a participar da investigação  e obviamente teve uma boa percepção da psicologia envolvida e identificou o criminoso. Agatha Christie consegue nos deixar desconfiados a respeito de várias personagens e depois traz um final nem tão mirabolante assim, mas bastante criativo. Li entre 01 e 07 de novembro e avaliei com 4 estrelas.

O Mundo Inteiro é um livro de poesias infantil que recebi pelo banco Itaú no projeto Leia para uma Criança dos autores LG Scanlon e M. Frazee. Incentivo muito a leitura em casa e costumo ler os livros muitas e muitas vezes. Este, foi a primeira vez que fiz a leitura para minha filha embora estivesse em casa faz um bom tempo. Este livro não conta para o desafio, mas nos faz pensar na grandiosidade da natureza e do "mundo inteiro". Li em 08/11 e avaliei com 5 estrelas.

O Ratinho, o Morango Vermelho Maduro e o Grande Urso Esfomeado é o outro livro da mesma coleção do Itaú que li neste dia e era inédito. Os autores Audrey e Don Wood apresentam um narrador que conversa com o ratinho que carrega um morango vermelho maduro que é irresistível para o grande urso esfomeado. Outra historinha infantil bem bonitinha que li em 08/11 e depois fomos dormir. Avaliei com 4 estrelas. Engraçado que estes livros infantis prefiro mais quando têm rimas ou são em versos. E também gosto mais quando trazem situações corriqueiras ainda que sejam de seres que não existem.

Estas foram as leituras da semana embora metade não conte para o desafio, são leituras que valem para a minha listinha de metas.

A semana de 12 a 18 foi um pouco mais complicada. Terminei duas leituras que estavam em andamento mas não consegui ler mais nada. Sério, comecei 4 livros e mal passei das primeiras páginas. O que eu melhor consegui ler foram revistas e as constituições históricas. Não vou contar como leitura mas vou comentar a leitura oportunamente.

Romeu Imortal é a continuação de Julieta Imortal da autora Stace Jay. Apesar da confusão das passagens de tempo gostei do final proposto para o destino de Romeu e de Julieta. Apesar de ter dúvidas de qual foi o final da Julieta já que os destinos estavam entrelaçados e foram sendo mudados. Então a mudança do destino de Romeu parece ter afetado o destino da Julieta. Comecei a ler em 06 de novembro e concluí dia 12 de novembro. Avaliei com 3 estrelas.

O Caso dos Dez Negrinhos é mais um da autora Agatha Christie que havia colocado na minha lista de leitura. Ainda me espanta a quantidade de obras tão distintas que ela conseguiu criar. Ainda que eu não tenha acesso a todas, consegui a maioria. Mesmo lendo um em seguida do outro ainda falta muita coisa. Estou tentando terminar até 2016 (já que para 2015 é impossível) mas começo a achar pouco provável. Este livro teve que mudar o título em português embora o título original seja "niggers" é relativo ao nome da ilha e não a pessoa de pele negra. O que também não é o caso de nenhum personagem. Como vocês podem imaginar, são dez assassinatos aparentemente sem solução para o caso. Mas não aparece Poirot com a resposta. Esta vem de uma forma inusitada. Li entre 08 e 13 de novembro e avaliei com 4 estrelas.

Então foram estas as leituras que eu de fato concluí. Comecei o mês mega empolgada achando que iria zerar a lista. Depois de A Esperança achei que não ia conseguir ler mais nada. Mas não consigo ler mais nada desde o dia 13. Já comentei que comecei e parei 4 livros. Normalmente quando isso acontece, o melhor é ir trocando a leitura até achar algo que deslanche. E dessa vez nem Agatha Christie me empolgou para avançar na leitura. O que foi melhor até agora foi "A Revolução das Formigas" que cheguei perto da página 100 (de mais de 640). Mas enquanto não destrava, estou lendo as constituições históricas. Estou na terceira e faltam mais 3. Depois vou ler o código vigente e a versão comentada. A parte boa é que todas estas leituras estão em um das minhas listas, o que contribui para as minhas metas. A próxima semana pode ser a primeira que não tem nenhuma leitura concluída.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Desafio 100 Resumo da 43ª e 44ª Semanas

Que mês intenso foi outubro. A Semana de 22 a 28 de outubro parecia que não ia acabar nunca. Felizmente, consegui me distrair com alguns livros que nem estavam na lista de leitura, e foram boas leituras.

Amor Veríssimo foi uma leitura despretensiosa de uma coletânea do Luis Fernando Veríssimo. Tenho a impressão que uma ou duas das crônicas já havia lido em outra coletânea, mas de qualquer forma, foram crônicas sobre relacionamentos, e sobre amor. Bem contextualizadas com sempre. Li entre 21 e 22 de outubro e avaliei com 4 estrelas.

Coisas Frágeis coincidentemente também é uma coletânea mas de contos do Neil Gaiman. As situações descritas nos contos são bem "doidas". Um dos contos eu já havia lido. Mas o que me impressionou foi na leitura do prólogo que muitos destes contos foram premiados. Não que não sejam bons, a maioria poderiam ter grandes desdobramentos, mas são contos. Li entre 15 e 22 de outubro e avaliei com 4 estrelas. Não foi a minha primeira experiência com o autor, mas não amei nem odiei.

Sentindo sua Falta foi a tradução que adotei para "Missing You", o último volume da série Desaparecidos, da Meg Cabot, que ainda não foi lançado no Brasil. Acho que o salto no tempo corresponde a todo o amadurecimento da personagem, mas foi surpreendente como tudo aconteceu. Gostei bastante. Li entre 22 e 23 de outubro e avaliei com 4 estrelas.

Outubro tem sido um mês de boas leituras. Ainda tenho leituras em andamento mas estou sem vontade de retomar a lista de leitura.

A semana de 29 de outubro a 04 de novembro me trouxe a benção da diminuição das tarefas e trabalhos da pós. Apesar do aumento da carga de trabalho. Estou ficando com o tempo bastante contado. Comecei a reorganizar as leituras para me manter na lista. E consegui resgatar itens que sobraram dos meses anteriores.

É Fácil Matar é outra obra da Agatha Christie. Desta vez o crime ocorre numa pequena cidade e é astuto para ser detectado pelo delegado. Numa comunidade em que todo mundo se conhece, é mais fácil acreditar que não seja crime ou eventualmente o crime ocorra por alguém de fora. Ao investigar disfarçadamente, a população se questiona se de fato existe algo que relacione as mortes a um crime. Li entre 27 e 30 de outubro. Avaliei com 4 estrelas.

Coisas Frágeis 2 é a segunda parte da coletânea de contos do Neil Gaiman. Neste volume também tem algumas poesias e os contos são mais curtos. Tentei aproveitar mais cada um dos contos, mas por serem curtos, não me envolvo tanto. Quando começo a entender melhor, ele acaba. São profundos e densos. Ainda tenho mais alguns livros do Neil Gaiman em casa, mas estou acabando. Li entre 23 e 30 de outubro. Avaliei com 3 estrelas.

Ainda foi um pequeno avanço, mas estou indo. Estou bem perto de atingir os 100 que valem para o desafio. Mas não vou chegar aos 150, mesmo na minha contagem paralela.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Balanço Mensal - Outubro

Leituras de Outubro


Outubro foi o mês difícil que eu imaginei que seria. Li o que deu, a grande maioria de livros que já havia iniciado ou livros curtos. Apesar de tudo, alcancei 12 conclusões. Fugi bastante da minha lista de leitura, mas gostei bastante de cada uma destas leituras que é o que me faz querer ler cada vez mais. Em novembro devo ler pouco e vou tentar me fixar mais na minha meta. Já iniciei alguns 

 Desafio 100

Continuando o ritmo lento, estou com 98 lidos em 2015. Você pode acompanhar a lista completa que vale para o desafio no tópico de apresentação e os resumos semanais pelo marcador desafio 100. Praticamente já atingi os 100. Apesar de ter me comprometido com 150 vou batalhar para chegar o mais perto possível, mesmo que fique nos 120.

Andamento das Metas

1) Ler 150 livros faltam 49
2) Terminar a pasta Anteriores falta 1 + 43 + 15 + 5
3) Manter uma lista de Espera < 250 livros está em 389
4) Ler todos os livros comprados até 2011 faltam 36
5) Vou ler e não tenho < 100 está em 195
6) Atingir 50% lido entre tenho faltam 119
7) Atingir 100% da meta sem diminuir a lista depois de 01/01/13 faltam 5

Avancei nas metas, não como gostaria. De novo. Foram: 3 livros meus, 4 livros da pasta anteriores e 1 que estava na lista de espera. 

Metas para Novembro

Para novembro continuo conservadora, vou tentar terminar ao menos 10 livros. Quero terminar três livros da Agatha Christie. Pretendo finalmente terminar um dos livros técnicos em inglês que estão diminuindo a minha perspectiva de leitura. E, por fim, ler 2 livros meus. Para a lista de leitura vou manter os que sobraram das listas anteriores e acrescentar os que eu havia reservado para novembro. O total está aumentando, mas não se preocupe, o que sobrar desta lista está para dezembro. Por enquanto está assim:

1. Value-Focused Thinking 53%
2. Aircraft Flying Handbook 46%
3. Tess of D'Ubervilles 15%
4. Mulheres Alteradas 4
5. Fábulas de La Fontaine
6. A Esperança 19%
7. A Revolução das Formigas 7%
8. Memnoch
9. Bonequinha de Luxo
10. Conte-me seus Sonhos
11. O Natal de Poirot 13%
12. O Caso dos Dez Negrinhos
13. Dez (Quase) Amores
14. Histórias de Fantasmas
15. Romeu Imortal
16. O Vampiro Armand
17. Contato
18. O Céu Está Caindo
19. Ser Clara
20. O Silêncio da Chuva
21. Os Irmãos Karamazov

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Nem Tudo são Flores

Estou tentando conter o sono e o cansaço. É muita tensão e muita coisa para terminar. Não vejo a hora de voltar a ter fim de semana.
Não fiz nenhum dos passeios que eu gostaria de fazer, mas estou planejando alguma coisa neste fim de ano.
Pouca coisa avançou neste mês de outubro. Consegui fazer algumas leituras, mas mesmo os itens que estava perto de terminar, ainda não terminei.
Um item que avançou foram as revistas. Parecia-me que li pouco este mês, mas juntando às leituras do mês passado diminuí bastante a pilha e agora faltam 7.
Também li mais para minha filha, mas estou longe de arrumar o cantinho dos livros.
Estou proibida de comprar mais livros até o final do ano e de quebra preciso sumir com a pilha que está em cima da mesa. Nesta semana este item será emergencial já que terei finalmente um domingo livre.
Estas leituras, seja os livros ou as revistas, devem avançar para terminar no próximo mês.
Terminei mais um vidro de perfume. Como a meta estava muito genérica, avaliei todos os vidros de perfume que eu tinha e optei por terminar com 4 deles. Dois já se foram e quero concluir mais dois vidros. Comecei pelos vidros menores que estavam mais gastos, mas vou voltar com um item deste tipo na minha próxima lista do projeto.
Também acabei com mais um creme, mas tenho tantos que nem conto mais.
O mesmo para os sabonetes e etc. Pelo menos tenho organizado o armário para colocar os produtos em uso.
Comecei a arrumar as roupas que estão no meu armário e separei uma grande sacola de roupas para doação. Ainda estou longe de terminar, mas fico satisfeita de ter avançado. Comecei a separar os cabides e estou tirando os velhos.
Não é um trabalho para um fim de semana, mas para alguns. Mas creio que estou avançando.
Finalmente, com um pequeno atraso, chegaram as compras que eu estava esperando e juntei mais dois filmes da coleção de animações da Disney. Ainda não concluí as minhas compras, mas como havia fixado em 10, estou chegando lá. Também comprei algumas roupas mas estavam faltando umas peças para combinar. Agora tenho que voltar para o guarda roupa. Essa deve ser a prioridade do próximo mês.
Nenhum outro mês foi tão pouco produtivo. Espero conseguir reverter esta situação e voltar a avançar.
2015 tem sido um ano muito intenso de tantas coisas. Estou me libertando de coisas que me incomodam e aos poucos tenho sentido algum resultado.

Balanço do Projeto de Organização Pessoal
Décimo Quinto Mês
itens concluídos: 15
itens em andamento: 37
itens pendentes: 54
itens cancelados: 0

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Séries que eu quero terminar, 2015!

Em 2014 eu fiz um lista de livros para terminar que apenas no mês passado eu consegui pegar o primeiro deles para ler. Agora que avancei um pouco mais, estou terminando o terceiro, resolvi repetir a lista com mais 5 séries para terminar que eu pretendo incluir na meta de 2016. A experiência foi bem interessante, por isso quero repetir. Apenas que agora a lista é mais difícil, mas acho que só assim que a coisa funciona.

Cântico de Sangue é o último volume das crônicas vampirescas. Ao menos o último da minha lista. Esta série é muito densa e de difícil leitura. Ainda falta bastante, mas agora que consegui engrenar na leitura, pretendo até o final de 2016 concluir este livro se eu continuar lendo a série no ritmo atual.
Edit.: Concluído em 15/02/2017.

Extras é o último volume da série Feios. Eu li rapidamente Feios e Perfeitos pelo livro viajante e acabei comprando os outros dois livros: Especiais e Extras. Como todos os livros que compro demoro muito para ler, estes estão parados e quero terminar em 2016. Ao que me lembre, apesar de ter muitas páginas, a leitura é rápida e creio conseguir terminar de ler os dois volumes dentro da meta de 2016.

Como o desafio de 2016 não vai ser pequeno, tentei durante 2014 e 2015 retomar a série The 39Clues inclusive relendo os primeiros volumes. Antes que eu me esqueça completamente e precise voltar ao começo, quero terminar esta série em 2016. Pela minha lista, faltam 6 livros, mas como são histórias rápidas, vou tentar terminar.

Outra série que estou com saudades e quero terminar em 2016 são os livros do investigador Pitt da Anne Perry. Não tem edição brasileira mas achei as traduções na internet e gostei bastante. São policiais históricos e ainda faltam 14 volumes. Li os 10 primeiros em 2013 e deixei parado. Tentei retomar em 2015, mas foi um ano muito turbulento em minhas leituras. Vou tentar terminar a coleção em 2016 embora seja possível escorregar para 2017.

E pra não me matar pra conseguir ler tudo, vou terminar Laguedoc com o livro Sepulcro. Também li o primeiro volume pelo livro viajante e agora pretendo terminar. É um livro grosso, mas é um livro só. Se eu me colocar mais do que isso é pouco provável que eu tenha sucesso.

Quem sabe eu tenha a possibilidade de terminar esta lista em 2016 e possa fazer nova lista no próximo ano. Não tenho como me comprometer com mais listas, mas gostei bastante de ver minha primeira lista concluída. É muito na linha da minha lista de coisas para fazer. E até por isso estou colocando itens como esse na minha próxima lista de coisas.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Desafio 100 Resumo da 40ª, 41ª e 42ª Semanas

Daqui a pouco já teria que fazer o resumo do mês ao invés de resumo da semana. Como havia anunciado anteriormente, o mês de outubro é um mês terrível. Não sei como dar conta de tudo. Na semana de 1º a 7 de outubro li bem pouco.

Da Magia à Sedução é o título de um romance de banca de Cara Summers. É sobre uma saia alegada mágica que conquista todos os homens. Terminei dia 01/10 e avaliei com 4 estrelas.

Morte no Nilo é outro livro da Agatha Christie sobre um assassinato de uma jovem, muito rica que casou com o noivo de sua amiga. Poirot cumpriu seu papel. Terminei de ler em 03/10 e avaliei com 4 estrelas.

E foram estas as leituras da 40 semana.

A semana de 8 a 14 de outubro não foram significativamente melhores. Tive oportunidade de avançar algumas leituras simples mas principalmente as leituras que estavam em andamento.

Assassinato no Beco, da Agatha Christie trata de um assassinato ocorrido durante uma queima de fogos, disfarçado de suicídio ou algo parecido. Li entre 03 e 09 de outubro e avaliei com 4 estrelas.

Encontro com a Morte foi mais um livro da Agatha Christie sobre uma família atormentada por sua matriarca. Nesta história se debate a aplicação da morte boa ou de um assassinato justificável de uma pessoa má. Li entre 09 e 13 de outubro e avaliei com 4 estrelas.

A História do Ladrão de Corpos é o quarto livro das Crônicas Vampirescas de Anne Rice. Até o terceiro volume desta série não conseguia relacionar esta coleção aos outros livros de vampiros que se tornaram modinha. Mas neste quarto volume, apesar da abordagem ser totalmente diferente, senti uma trama um pouco boba, os personagens menos vigorosos. Lestat e seu ego mega inflado é desafiado perante a oportunidade de trocar de corpo e possuir um corpo mortal, numa tentativa de reviver. Claro que nada é exatamente como parece e no desenrolar da história Lestat volta a demonstrar todos os sentimentos contraditórios que lhe são típicos (e tão adolescentes...). Estava lendo há bastante tempo, desde 10 de agosto e avaliei com 5 estrelas.

Com certeza esta foi a melhor semana de outubro. Ao menos terminei um dos livros que vinha lendo a tempos.

São dois ou três dias que eu não preciso estudar que já consigo avançar na leitura. Acabei furando a minha lista de leitura do mês de novo mas avancei algumas leituras que estavam listadas e que são curtas. Na semana de 15 a 21 de outubro concluí mais dois.

Vaclav & Lena é uma delicada história de duas crianças que são separadas e se reencontram 8 anos depois. O que os uniu foi a mágica, mas era amor de verdade. Vaclav não conhecia direito Lena, e Lena achava que um dia Vaclav seria diferente. Mas os dois sabiam que sempre seria Vaclav & Lena. Li entre 02 e 14 de outubro e avaliei em 4 estrelas. Apesar das críticas que li, gostei da história.

Segunda Chance para Amar é um romance histórico de Lucy Vargas com todos os ingredientes de um romance histórico. Annelise sabe dar a volta por cima e seu príncipe encantado sabe ser valoroso e merecer sua heroína. Leitura rápida no dia 16 de outubro. Avaliei com 4 estrelas.

E enfim, com esta lista avancei em algumas leituras em outubro. Fugi muito da lista de leitura mas estou avançando. Estou com 93 leituras válidas no desafio e tantas em andamento que devo concluir algumas na próxima semana.