domingo, 31 de dezembro de 2017

Terminados em Novembro

A rotina até que não mudou, mas precisei priorizar uma coisa ou outra para melhorar o consumo dos muitos produtos que tenho em casa. Novembro foi um mês difícil.  O texto estava pronto ainda em novembro, mas as fotos não consegui tirar. Então, quase junto com os de dezembro, estão os terminados de novembro.

Contava terminar a última miniatura de sabonete em novembro. Mas depois de abrir a última, que gostei muito e compraria de novo, achei outros sabonetes pequenos que tinha em casa, destes para lavabo. Então abri o primeiro dos três para usar. Ainda tenho mais alguns, mas novamente estou contando estes três como últimos. Este outro sabonete da foto foi um dos novos produtos que ganhei em novembro.

Também contava usar alguns envelopes de shampoo e condicionador, mas acabei deixando de lado. Passei a usar alguns envelopes de cremes que carregava na bolsa mas não cheguei a terminar nenhum.
Nem cheguei perto de terminar o frasco de borrifador do perfume. Usei alguns dias, mas achei que não está rendendo. Como ainda tenho outros frascos de colônia pretendia terminar este logo. E este é outro produto que estava listado em 5 para terminar. Em dezembro tenho uma última chance.
Também esperava terminar um dos potes de repelente que tínhamos em casa. Ainda tenho mais 2 abertos, mas um deles falta bem pouco para acabar.
Infelizmente não tive muitos avanços em outros produtos. Gastei um pouco mais do batom e agora falta bem pouco para poder desmanchar a embalagem para aproveitar o finzinho, mas este deve ficar para 2018.
Também avancei um pouco no óleo para os cabelos mas sei que demora mais de mês para terminar. Não vejo a hora de me ver livre dele. 
Apesar de ter percebido um avanço no meu creme hidratante que tenho precisado usar com mais frequência também demora mais alguns meses para terminar. 
Como acabei usando mais os sabonetes em miniatura, o sabonete líquido também ficou esquecido na prateleira. Mas como esse está separado para terminar em 2018, só de estar em uso já é um grande avanço. Vou deixar de lado mais um pouco e logo que terminar as miniaturas volto para ele.
Outro que venho usando diariamente é o creme facial, mas no calor não adianta que é mais fácil melar a pele do que hidratar. E olha que a quantidade que tem é uma grande incógnita, não sei explicar. A consistência está mais oleosa e eu não sei dizer se percebo alguma diferença na quantidade. Uma vez por semana eu uso uma espátula para juntar (ou espalhar melhor, não sei explicar nem o que eu faço..) e parece que tem pouco. Então digo que deve demorar para eu conseguir terminar este também. E eu queria terminar logo porque tenho muitas amostras de creme para o rosto que quero usar antes de abrir o refil, mas preciso deste frasco.
Esmalte e produto de maquiagem também estou passando longe, não tenho usado nada. 

Em Novembro, ganhei um sabonete de Lavanda da foto anterior. Está longe de ser o meu preferido, mas certamente vou usar em breve. Também comprei um gel para os pés que vinha sofrendo bastante com inchaço e com câimbras. Sinto que tenho estado melhor, mas não é mérito exclusivo deste produto.
Em dezembro precisarei comprar alguns produtos para bebê e certamente também ganharei outros tantos. Já adiantei a compra de alguns produtos, mas não fotografei. Vou esperar fazer a bolsa da maternidade para fotografar. Não vejo como não aumentar um pouco o que eu tenho, mas ao longo do ano devo consumir boa parte. Estou conseguindo controlar melhor por agora, pelo menos quanto às compras. Mas logo começo a fazer o inventário e veremos como estou.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Experiência de Leitura: "Virgínia Woolf"

Comecei a me interessar por Virgínia Woolf depois de ler Vanessa e Virgínia. Havia comprado um box com as obras da autora, mas descobri que este box não continha as obras mais famosas, tipo Mrs. Dalloway ou Rumo ao Farol.
Optei por ler na ordem de publicação. O primeiro livro foi difícil de terminar, mas não que tenha algo demais nisso. O segundo demorei meses e por pouco não desisti de ler. Os demais a leitura fluiu. 
Pulei aqueles que eu não tenho para terminar logo os livros do box e passar para frente, mas confesso que para cada leitura, fui percebendo um ponto diferente da evolução da escrita da autora.
Ela começa com romances mais tradicionais em que a prosa é descritiva e narrativa, dividida em capítulos. Mais pra frente, os romances passam a ser mais psicológicos e muita coisa passa a ser não dita. A escrita é contínua, não se tem mais a divisão dos capítulos, não está mais claro quem é o personagem de quem se está falando e os acontecimentos já não são contínuos, muda-se de assunto ao mudar de parágrafo parte do contexto fica subentendido.
Em O Quarto de Jacob temos esquetes da vida de Jacob em ordem cronológica sob pontos de vista diferentes. Jacob aparentemente só sofre ações, a vida acontece com ele.
Depois em As Ondas, os personagens se confundem dentro do espaço tempo, em que um diálogo se inicia sem sabermos quem está presente.
E em Entre os Atos, apesar de tudo acontecer num único dia, durante a apresentação de uma peça de teatro, os sentimentos dos personagens interagem com o enredo da peça, as opiniões são contidas e existe todo um formalismo entre o que se espera que ocorra. E é sempre igual, ano após ano, apesar de suas diferenças.
Não sou capaz de qualificar Virginia Woolf como poeta como ela gostava de ser encarada, mas admiro imensamente a capacidade de mudar a forma de contar uma história.
E por fim, não poderia deixar de dizer que Virginia Woolf sempre me lembrará os longos dias em salas de espera para entrar na UTI neonatal. Era a leitura que estava em andamento e que marcou os dias que estive entre lá e cá.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Housekeeping Parte 6

Está na hora de terminar esta jornada, não porque a casa esteja em ordem, mas porque é tempo de reduzir o esforço. Terminei finalmente algumas grandes tarefas que vinha fazendo, inclusive com a reforma do quarto das crianças. Já montei o álbum de fotos e cadastrei alguns itens lá, agora é esperar as ofertas para desfazimento e continuar anunciando. Eu não anotei o meu total de livros, mas creio ter diminuído pelos espaços na estante que foram abertos. Algumas pilhas diminuíram. Só posso concluir que tive sucesso nesta jornada. 

Relatando este último mês de Organização da Casa, na primeira semana ainda estava com o foco nas roupas. Falta tão pouco para terminar... Pelo menos a pilha eu terminei e comecei uma das sacolas, mas ainda tenho mais uma e as roupas que já estão guardadas.
Finalmente terminei de separar a quantidade enorme de sapatos. Eu já tinha lavado mas faltava guardar. Haviam caixas de sapato pela casa e mais um tanto de sapato sob uma mesinha na sala. Agora estão limitados a 5 pares na sala e todos os outros guardados no armário.
Também precisei fazer dois projetos que estavam congelados: o cordão de minions e o calendário do advento. Não consegui fazer tudo de uma vez, tive algumas sobras, mas até que está bem. Pelo menos o volume ocupado diminuiu. Um deles eu já entreguei, mas ainda tenho outros para finalizar e entregar.
Consegui resistir bravamente às ofertas do black friday, mas felizmente não compensavam. O frete e o prazo de entrega inviabilizavam se fosse comprar cada item em um lugar. Ainda tive alguns compromissos neste dia que não consegui nem chegar perto de uma loja.
Outro grande contribuidor para o avanço foi o fim da temporada de Nascar que me deixou assistir outras coisas e passar mais tempo fazendo outras coisas que não assistindo.
E como se eu já não tivesse coisa demais para me preocupar, começamos mais uma organização dos brinquedos, desta vez focando nos livrinhos. E já temos mais uma caixa de coisas para doar. Só espero encontrar a melhor forma de realizar esta doação.
Também consegui tirar um tempinho para ler e consegui terminar mais uma revista e um livro. Não queria ter a pilha de livros e revistas sobre a mesa, mas não estou dando conta de ler. Será um desafio para eu tentar resolver em seguida.
Nesta segunda semana, novamente o foco foram nas roupas. Conseguimos montar a árvore de natal e também fizemos algumas pequenas organizações que estavam pendentes. Pretendia terminar com as roupas no domingo, mas ao invés disso, entrei em trabalho de parto e nada mais pode ser feito. Por fim, até fiz mais algumas coisas mas nem cabe chamar de housekeeping. A minha vida atual não comporta muito planejamento. É uma coisa de cada vez de acordo com as prioridades. Tenho noção de tudo o que está pendente, mas só quando estiver com as meninas em casa vou tentar me organizar para terminar a minha arrumação.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Os Livros que eu Troquei, 2017, Parte 2

Eu tinha uma meta pouco ousada e bastante realista para as trocas de livros, mas com a crise, comprar livros não é uma prioridade, então pagar só o frete do envio tem sido uma boa opção. No dia seguinte de eu enviar o Décimo livro do ano, recebi outras duas solicitações. Uma delas tive que recusar porque o livro já havia sido trocado e não estava mais disponível, mas a outra, providenciei o envio.
Alguns dos livros que eu troquei já nem contava mais em conseguir trocar. Só que então fiquei com poucos livros disponíveis para troca já que não estou conseguindo ler muitos dos meus e tenho lido mais livros que pretendo guardar. Todo este esforço é para reduzir a quantidade de livros que eu tenho em casa e organizar os livros que pretendo manter, separando mais livros para troca. Estava com duas prateleiras de livros já lidos sendo que a metade de cada uma estava para troca. Agora, mal tenho uma prateleira inteira de livros lidos.
Mas voltando para a encrenca, eu havia parado em maio. Ainda no meio de maio recebi uma solicitação para o livro "Coisas Frágeis 2". Eu gostei de ler estas coletâneas de contos do Neil Gaiman, mas está longe de ser o meu favorito. O volume 1 já havia ido em uma troca e agora enviei o volume 2. Pelo menos 3 pessoas já haviam perguntado sobre o meu exemplar, mas na hora de solicitar preferiram o de outro usuário. Não sabia que tanta gente se interessava por este livro.
Já em junho, voltei a receber mais uma solicitação para "Confie em Mim". Foi um livro que gostei, mas seu que não leria novamente. Já emprestei para algumas pessoas e estava disponível para troca faz uns meses.
Em julho recebi uma solicitação por "Rei Davi". Eu comprei este livro quando estava comprando todos os livros do Allan Massie. Eu gostei e gosto da história, mas assim como muitos outros, cheguei a conclusão que não queria guardar. Estava disponível para troca faz alguns anos e fiquei satisfeita por poder enviar.
Em agosto, apesar de não estar esperando receber novas solicitações, recebi consulta sobre dois livros e enviei mais um: "O Bem Amado". Este livro eu já comentei aqui, eu estava curiosa com a novela e não lembrava muito bem. É uma edição simples de bolso, mas com algumas fotos das gravações. Não pretendia manter.
Já bem no fim do mês também recebi uma solicitação pelo vira-vira: "Conte-me seus Sonhos" e "O Céu está Caindo". Desde que eu li o primeiro romance do Sidney Sheldon eu gostei demais. O que não quer dizer que eu queira guardar para reler. Até que é bem fácil achar estes livros para baixar, mas comprei algumas destas edições de bolso que são bem baratas e tem 2 livros pelo preço de 1.
No começo de setembro recebi uma solicitação pelo outro vira-vira de Sidney Sheldon "Se Houver Amanhã" e "Nada Dura para Sempre" e então o meu total de livros diminuiu em 2.
Já não esperava trovar nada, mas em novembro voltei a receber uma solicitação. Desta vez, por "A Estrada da Noite". Esse livro vale a penas contar um pouquinho mais. Eu gostei bastante, emprestei para algumas pessoas, mas resolvi não manter. Apesar de tudo, a maioria das pessoas que eu conheço ao ler outros livros do autor, não chegam a terminar. Então fiquei com a mensagem de que não teria saudade suficiente para querer reler.
Ainda em novembro também recebi solicitação por "Mil Dias em Veneza". Este foi uma leitura recente, terminei de ler em 2017 mesmo, mas depois que li o livro seguinte, "Mil Dias na Toscana" percebi que não queria manter. Não é o tipo da história que me faça querer ler de novo ou consultar mais pra frente.
No fim de ano é sempre tumultuado fazer envios pelos correios. Como havia aproveitado os meus créditos disponíveis e solicitado vários livros em outubro, também não estranhei não receber mais solicitações. Muito porque estava com poucos títulos disponíveis. Então pausei a estante para não receber solicitações. Ainda vou esperar mais um pouco para liberar. Ao todo, consegui ler apenas 8 livros meus em 2017, o que é muito pouco. Por isso foi tão difícil realizar mais trocas. Mas alguns dos livros que solicitei em troca dos créditos foram presentes, o que foi bom.
E o meu saldo de livros no ano foi de 18 livros enviados. Incrível, né? Ainda mais para quem estava com a meta de conseguir trocar 10. Não é algo que eu posso me esforçar para continuar realizando ou aumentar. Minha única contribuição é ler mais livros e disponibilizar para troca. E este tem sido o meu esforço nestes últimos meses do ano. 
Em 2018, vou aumentar a meta para 12 livros trocados e espero conseguir trocar muito mais do que isso. Também quero manter a média de 50 livros disponíveis para trocas. E junto com isso, quero montar mais pacotes de livros para enviar para outras pessoas e reduzir o estoque de livros que eu tenho.
De uma forma geral, 2017 foi um bom ano. Espero que 2018 seja ainda melhor. Continuarei contando sobre os livros que eu estou trocando e doando.

domingo, 3 de dezembro de 2017

Balanço Mensal - Novembro

Leituras de Novembro


Não terminei muita coisa, não me ative à lista de leitura, mas continuei buscando algumas metas. Não fiquei satisfeita com o total. De novo!

Andamento das Metas

1) Ler 120 livros faltam 11
2) Ler todos os livros comprados até 2012 faltam 18 + 38
3) Manter uma Lista de Espera < 250 livros está em 329
4) Terminar 5 séries (IAN, Mundo de Tinta, Cemitério dos Livros Esquecidos, O'Hurley, Asas) faltam 9
5) Tenho e não lido < 200 faltam 141
6) Terminar a pasta Anteriores e IX faltam 1 + 12 + 13 + 5 + 21
7) Vou ler e não tenho < 100 está em 163
8) Terminar todos do Sidney Sheldon faltam 5
9) Alcançar 1400 livros lidos faltam 17

E não é que avancei mais um pouquinho? Ainda tenho algumas metas em condições de atingir. E vou persegui-las. Ainda que seja pouco, vou trabalhar para atingir a 1, a 4, a 8 e a 9 apenas. Duas estão praticamente certas, mas as outras duas depende do meu tempo e do meu esforço.

Metas de 2018

Quase desisti de fazer, mas sejamos realistas, pior eu não vou fazer se for conservadora.
1) Ler 120 livros. faltam 120
2) Manter uma Lista de Espera menor que 250 livros. está em 329
3) Terminar 5 séries da lista. 0/5
4) Tenho e não lidos menor que 200. faltam 141
5) Terminar pasta Anteriores. faltam 1 + 12 + 13 + 5
6) Terminar os projetos de leitura em andamento e escolher o próximo autor/coleção. faltam 12 + 5
7) Quero ler mas não tenho menor que 100. está em 163
8) Passar de 1500 livros lidos. faltam 117
9) Completar a quantidade de livros propostos das metas de anos anteriores (120+31+57). faltam 208

Algumas metas são quase triviais já que estão há tanto tempo por aqui e até agora nada. Mas outras são mais complexas. Continuo almejando atingir todas, mas mais da metade já quer dizer sucesso.

Lista de Dezembro

Como não tinha mais nada para acrescentar, a lista diminuiu, mas continua sendo muito para concluir em apenas um mês. Quero tentar carregar pouca coisa para 2018. Também trarei a atualização do balanço de leituras de 2017 e o planejamento de 2018 em breve.

1. Constituições Federais 3/8
2. Problemas Interessantes de Matemática e Lógica
3. Tecnologia Mecânica v. 03
4. Ensaios Mecânicos Metálicos
5. Cem Anos de Solidão
6. Gossip Girl - Carlyles 21%
7.  Amante Libertada
8. A Ilha Perdida
9. A Grande Rainha
10. A Hospedeira
11. A Senhora da Magia
12. Os Últimos Casos de Miss Marple
13. O Mistério do Cinco Estrelas
14. O Prisioneiro da Árvore
15. Poirot e o Mistério da Arca Espanhola
16. Enquanto Houver Luz
17. Poirot Sempre Espera
18. A Bússola de Ouro
19. A Teia da Aranha
20. Autobiografia
21. Os Diários Secretos de Agatha Christie
22. Crime e Castigo

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

As Metas de Novembro

Muito por conta da coincidência de um feriado e o fim/início de mês consegui fazer muita coisa já nos primeiros dias. No resto do mês, não rendi muito. Novembro foi um mês bem esquisito, tivemos muitos compromissos que surgiram com pouca antecedência. Enfim, não estava preparada para o que veio. Terminei 5/30, o que até é um valor bom e boa parte destes estão saindo definitivamente da lista. Então consegui reduzir o total, mesmo que pouco.

Organização: Depois da entrega dos móveis, resolvi só guardar as roupas e brinquedos que continuariam sendo usados. E deu muito trabalho. Mas consegui separar duas sacolas de roupas (uma já estava pronta). Ainda falta terminar de identificar todas as sacolas de roupas que estavam esperando (faltam duas pequenas), e retirar todas as roupas que faltava serem identificadas.
Com os brinquedos foi muito mais difícil, mas conseguimos separar caixas pequenas com brinquedos que podemos levar nas campanhas de Natal e ainda algumas sacolas de lixo. Nem acreditei que consegui organizar. O que ficou para trás vou tentar fazer aos poucos ao longo do ano.
Associado ao outro item, voltei a assistir um box que estava lacrado em casa para disponibilizar para venda/doação. Foi só o primeiro. Queria ter feito isso com todos os DVDs que tenho parados durante este ano, mas é um esforço longo. Se conseguir separar 2 ou 3 por mês já terei um grande avanço quando me desfizer.
Por fim, comecei a mexer nos meu papéis de presente e afins por conta dos projetos, mas não tive tempo para me dedicar. Tirei dois rolos de papel, o que foi um bom começo. Também precisei mexer nas sacolas e retirei mais duas. Devo deixar para outro momento. 

Leituras: Também no feriado aproveitei para avançar em algumas das leituras que estavam paradas e que atrasaram o início de outras. Finalmente terminei "Noite e Dia" e pretendia começar "O Quarto de Jacob". Preferi adiantar outras leituras mais curtas antes, mas também não renderam muito bem.
Li alguns livros da Agatha Christie, menos do que havia me proposto. Ainda estou tentando terminar os que faltam até o fim do ano, mas provavelmente vai ficar alguma coisa para 2018.
Outra leitura que rendeu foram as revistas. Terminei uma e cheguei perto na segunda. Quero terminar mais no próximo mês.

Produtos: Eu havia contado que dois dos produtos do mês passado eu quase terminei, então consegui terminar com o carretel preto.
O meu azar é que tivemos 6 festas de criança no mês de novembro, e com isso, aumentou bastante a quantidade de doces que temos em casa.
Do que eu havia listado, também contava terminar as miniaturas de sabonetes, mas encontrei mais algumas no fundo da gaveta que devo usar nos próximos meses. Queria terminar antes de fazer o inventário.
Pretendia usar mais os materiais de escritório, então seguem os produtos em quase. Estou preparando a agenda que eu vou usar no ano que vem e atualizando as listas que eu havia feito, então vou ter algum avanço neste mês. Esta parte é uma das que eu gostaria que tivesse mais rotatividade.

Receitas: Estou planejando algumas receitas novas para executar em dezembro, no fim do ano. Mas não cheguei a testar as duas que estavam listadas. 

Outras atividades: Aqui foi onde mais avancei de forma definitiva. Finalmente consegui assistir uma das séries que estava no plástico mas não terminei.
Meus artesanatos também foram realizados, embora tenham sido bem simplesinhos. Vou mostrar fotos aqui da decoração do chá de bebê e do móbile de origami.
Ainda não fiz um calendário do advento mas devo fazer ainda hoje ou amanhã.
E começamos a montar os cordões de minions que eu também venho mostrar aqui depois. São enfeites para árvore de natal com que devo presentear algumas pessoas.
Apesar de estarmos trabalhando nos livros de pintura e caligrafia, avançamos pouco e não terminamos nenhum. Espero que nas férias dê para fazer mais.

Foi um mês intenso, mas estou satisfeita com o que consegui fazer. Poderia ter feito até um pouquinho mais, mas a saúde não permitiu. Já estou com a lista de dezembro mas sou realista que não vou conseguir fazer muita coisa. Apenas dois dos itens são impreteríveis. Os demais devo ir carregando ao longo de 2018. Para saber dos meus planos para 2018 já estou preparando o meu balanço 2017 com algumas metas para 2018.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

O que é o Fim?

Para mim, é difícil dar um item por terminado. Sempre tenho a sensação que ainda posso melhorar.
Quando fiz a minha lista de tarefas, coloquei uma descrição genérica e depois estabeleci quando estaria no fim. Cheguei a avaliar um divisão em etapas menores para tentar alcançar metas. Mas muitas vezes ainda me deparo com a pergunta: quando vai estar bom de verdade? É que nós vamos mudando, ainda que o objetivo seja o mesmo, a expectativa que temos se torna sutilmente diferente e passamos a querer chegar mais longe.
A minha expectativa com o minimalismo era ter pouca coisa e não precisar me preocupar com elas. Mas eu descobri que se for tentar acabar com o que tenho, vou passar anos tentando reduzir. Eu percebi isso com os cremes e sabonetes, depois com as canetas, lápis e borrachas, e então com as roupas de cama, mesa e banho. Às vezes é simplesmente conveniente se desfazer dos excessos ao invés de tentar chegar até o fim. Eu ainda prefiro buscar a sensação agradável de terminar. Mas então, quando vou poder deixar de me preocupar com estas coisas?
Quando vejo imagens (fotos principalmente) de ambientes esvaziados, tenho a sensação de simplicidade e o conforto desta simplicidade, não tenho a sensação de vazio. Por outro lado, ambientes com as coisas empilhadas, entulhadas e preenchidas me dá uma sensação desconfortável de bagunça e desequilíbrio. Algumas pessoas eu prefiro nem visitar, que a sensação não é boa. 
Pode chamar de coleção, mas ver um balcão com 30 porta retratos e uma parede com 20 pratos pendurados me dá náuseas. É muita poluição visual. E então uma cristaleira (armário com portas de vidro na verdade) com 40 copos de vidro de lugares diferentes como recordação? Desculpa, não quero dizer que a sua coleção é pior que a minha. Mas ninguém usa nenhum dos 40 copos. Faz sentido guardar por guardar? Ter pela coleção? Eu tenho muita coisa guardada porque não está em uso. E deixo muita coisa à vista para conseguir dar o destino certo para elas. Se eu guardar num armário com portas, vou esquecer que eu tenho e ficará lá para sempre. Estou muito longe de minimizar a minha casa. Certamente causo a mesma sensação de desequilíbrio nas pessoas que entram na minha casa. E sempre volto a repetir que o mais importante não é se desfazer; é deixar de comprar (ou trazer para dentro de casa). Outro ponto importante é não tirar da vista e até se possível diminuir os possíveis esconderijos secretos das coisas ainda que isso traga uma sensação desagradável. 
Mas eu vim falar sobre o fim. O fim de tarefas intermináveis que eu venho tentando fazer. Em breve venho contar algumas tarefas que eu finalmente estou terminando, e trazer a evolução das organizações que eu já fiz. Uma das postagens mais acessadas é a que eu falei sobre a Manutenção dos Espaços Vazios. Não nego que muitos voltaram a ser ocupados, mas garanto que hoje, meus espaços são menos lotados e entulhados.
O espaço que eu uso para guardar calças está bem cheio depois da organização. É que eu comprei 3 calças no final do ano passado/começo deste ano, mas pouco depois engravidei e não estou conseguindo usar nenhuma delas. Nos primeiros meses ainda havia 2 calças que me cabiam e fui usando tanto quanto possível, mas depois até elas ficaram guardadas. Provavelmente, ainda demora alguns meses para eu voltar a mexer nelas e quem sabe, separar as que eu sei que não vou mais usar. Mas também posso comentar sobre a quantidade de calças em outro momento. Já o calceiro que deveria estar vazio, estou usando para guardar as mochilas da minha filha embaixo. Vai ficar assim também por enquanto, mas não é definitivo.
O outro espaço que eu esvaziei, a gaveta da cômoda, já está cheia novamente, mas pouca coisa lá é minha. E já digo que as minhas coisas estão listadas para eu me desfazer. Espero que em breve. E as gavetas menores, continuam cheias, mas também consigo fazer um balanço entre o que entrou e o que saiu. Ainda que seja pequena a diferença, a tendência é melhorar.
Veja que não cheguei ao fim. Eu resolvi um problema, mas ainda tenho outros. Consigo fazer a manutenção dos espaços ocupados sem avançar, mas não consigo permanecer com espaços vazios. E a arrumação nunca chega ao fim. Eliminar grupos de itens e reduzir a quantidade ajuda a manter a ordem.
É o caso da arrumação dos sapatos que logo venho contar melhor. Ainda não é suficiente para esvaziar uma gaveta, mas creio que será em breve.
Também é cedo para eu concluir o meu Housekeeping. Mas olhar para a arrumação da casa e toda semana me dedicar um pouquinho, ajudou a avançar. Gostaria de terminar mais tarefas destas monstruosas, mas pelo menos estou conseguindo terminar algumas etapas. E se talvez eu conseguir chegar no fim da arrumação, vou ficar sem assunto e parar de escrever. Mas talvez, a morte chegue antes.

domingo, 26 de novembro de 2017

A Grande Faxina de Férias

Novamente vou tirar as férias no fim do ano e comecei a fazer a lista do que eu pretendo organizar na minha grande faxina. A verdade é que eu queria ter feito muitas limpas ao longo do ano para poder reduzir meu trabalho e dispensar a faxineira. Infelizmente, isso ainda não será possível. Por conta da reforma do quarto e da preparação da casa para seu novo morador, remexi em todos os maleiros e fomos achando coisas. Em geral, tive um pequeno avanço na organização dos livros e nos materiais de escritório. Não aumentei a quantidade de roupas, mas poderia ter reduzido mais. Mas vamos ao que foi feito e o que ficou pendente de 2016/2017 e o que eu quero encarar em 2017/2018.

Quarto das Crianças. Apesar de ter feito uma boa arrumação neste quarto e ter feito depois a reforma que exigiu uma nova limpa, ainda vou precisar fazer mais uma nesta etapa final de preparação. Acho que eu estou aprendendo um pouco mais a lidar com estas coisas e posso fazer ainda um pouco melhor. Os espaços para organização estão melhor dimensionados e eu tenho tentado me convencer que eu aprendi a lidar com as roupas.

Pasta de Documentos. A limpa do ano passado foi muito boa. Não pretendo mexer muito. Provavelmente ainda tenho um pouco de coisas para descartar e sei que tem algumas partes que eu mal mexi, mas vou pular para outras organizações mais urgentes. Já diminuímos bastante a papelada com o cancelamento do envio de faturas em versão impressa. Um próximo passo é reduzir o espaço que uso para estas pastas.

Produtos de Beleza. Depois que eu fiz um inventário, pude descobrir o tamanho da minha bagunça. A minha visão geral ainda é que melhorou, já que parte do espaço que ocupava antes, atualmente estou ocupando com toalhas. Pretendo retomar o inventário nestas férias, incluir mais itens que não foram contados e continuar buscando a diminuição ao longo do ano. Consegui tirar algumas variedades de produtos mas ainda tenho muitos cremes e principalmente miniaturas que pretendia já ter finalizado. Também seria bom se eu conseguisse melhorar a forma de armazenamento para facilitar o acesso e a arrumação. Vou experimentar trocar algumas coisas de lugar para ver se fica melhor.

Livros, CDs e DVDs. Apesar de ter listado ano passado como um objetivo da faxina de férias, eu diria que não fiz nada. Consegui trocar muitos livros e também dei alguns, mas ainda tenho muitos. Sei que não vou conseguir fazer muita coisa nestas férias, talvez apenas com os livros infantis. O impedimento maior com os livros é a pequena quantidade de livros meus que eu li. Muitos continuam no plástico. Em geral, a estante tem estado arrumada, apesar do entra e sai de livros. CDs e DVDs eu só devolvi os que não são meus. Sem muito compromisso, nesta faxina quero tentar mexer nos DVDs, principalmente os que estão no plástico, assistir e disponibilizar para venda os que não pretendo manter. CDs deveriam ir pelo mesmo caminho, mas não sei se terei tempo.

Roupa de Cama, Mesa e Banho. Eu não havia listado em 2016 e tentei começar a mexer. Várias vezes. Nada indica que desta vez vou conseguir encarar. Como eu consegui separar as que precisavam de conserto e até trouxe novos usos para velhas coisas, espero conseguir fazer algo no sentido de organizar minhas roupas de cama, mesa e banho. Pelo menos terminar com a roupa de banho e começar com as toalhas de mesa e panos de cozinha.

Eletrônicos. Acredite ou não, descartamos vários que havia em casa mas não funcionavam. Alguns pretendemos repor, mas a maioria iremos passar sem. Esta limpa estava pendente desde a Temporada de Destralhamento. Nestas férias não pretendo voltar a mexer nisso.

Maleiros. Além dos itens de bebê que eu tinha guardado e agora tive que pegar para usar, também tenho muitas coisas guardadas que eu nem sabia direito o que era. Com a reforma do quarto das crianças, precisei mexer e pude ver que tenho muita coisa que posso passar para frente. Nestas férias espero ter chance de organizar, anunciar e entregar estes produtos. Estou priorizando o que não está guardado, mas quero gastar um tempo tentando desovar também os objetos dos maleiros. Provavelmente, conseguirei esvaziar muitos espaços com estes esforços.

Materiais de Escritório. Estes podem ser que fiquem para outra vez, mas preciso urgentemente setorizar e organizar os materiais no escritório. Eu diminuí bastante a papelada mas parece que ainda está ocupando muito espaço. Estou conseguindo evitar comprar e estou tentando usar muito do que eu tenho. Tenho mostrado vários projetos aqui, e também quero mostrar melhor as coleções. Eu levei muita coisa para a sala para armazenar na estante de livros para deixar o escritório mais quarto de hóspedes, mas continuou tudo espalhado. Acho que não faz sentido coisas semelhantes na cozinha (material de festa), na sala e no escritório. Então quero setorizar os materiais no escritório e principalmente descartar o que não está em boas condições.

Infelizmente não conseguirei fazer muita coisa, mas também percebo que já não tenho tanta coisa que precise esperar as férias, estou conseguindo fazer pequenas organizações ao longo do ano. Essa vai ser a minha grande faxina de fim de ano, e as próximas organizações que venho contar. Já programou a sua? O que está mais crítico?

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Velhas Coisas e Novos Usos

No meu processo de simplificar a rotina e reduzir as coisas, uma proposta é buscar novos usos para velhas coisas antes de comprar coisas novas para fins específicos. O que quer dizer que se eu preciso de determinada coisa, antes de procurar para comprar, vejo se tem algo que eu possa aproveitar para esse fim.
Desde que eu descobri a gravidez, duas coisas me atormentavam: eu guardei bastante coisa, mas não tenho tudo para um bebê (e aquela pontinha de arrependimento por não ter guardado tudo); as pessoas querem dar presentes mas acham que eu já tenho tudo então oferecem as coisas inúteis sendo que eu ainda preciso de algumas coisas.
Então preparar o enxoval do bebê tem sido uma novela. Narrada em vários capítulos. Mas vamos ao primeiro e então um de cada vez. 
Uma das coisas que eu não guardei foram as toalhas de banho. Com a mais velha, comprei aquelas toalhas fralda que me foram recomendadas. Mas daí lembrei da sensação quando abri o produto novo e percebi como o tecido era grosso. Mesmo depois de algumas lavagens, não era tão macio. Completamente diferente da percepção que eu tive quando fui comprar lençóis e descobri que os lençóis de malha (ou meia malha) já são macios e não vêm engomados precisando de algumas lavagens. Usei estas toalhas bastante, até não dar mais. Ainda tive que ouvir que eu deveria trocar a toalha que mandava na mochila da escola porque estava pequena, mas não pretendia comprar mais toalha e as que eu tinha em casa eram grandes. Pensando nisso, preferi dar as toalhas que já estavam desbotadas e depois resolver o que fazer. Na escola era enviada a toalha diariamente na mochila e eu precisava trocar todas as vezes que esta não secava durante a noite. Por isso entendi que era ,elhor usar toalhas pequenas. Essas toalhas menores de bebê são muito usadas nos dois primeiros anos, depois a criança começa a tomar banho de pé no chuveiro e já dá pra usar a toalha tamanho normal de solteiro. Eu tinha duas toalhas fralda, depois co
mprei mais duas toalhas de bebê, mas só fiquei com uma que vai na mochila da mais velha até hoje. Se fosse menino eu teria mesmo que comprar toalhas, mas se fosse menina, eu poderia aproveitar as da mais velha. 
Conforme fui desempacotando o que estava guardado no maleiro, me dei conta que ainda tinha muitas toalhas antigas (que eram minhas de solteira) que a mais velha adora usar (porque estão macias) mas eu não tinha coragem em descartar ou usar como pano de limpeza porque tem crochê nas pontas apesar de estar desfiando. Então resolvi reformar estas toalhas para usar no enxoval. As duas são coloridas e eu conseguiria usar tanto para menino quanto para menina. 
O projeto é relativamente simples, conheço pessoas que têm máquina de costura e pedi para uma delas avaliar a possibilidade de execução. É simples, cortar no meio e fazer uma nova barra. Como são menores, secam mais rápido. Vou usar apenas até uns dois anos. E nos primeiros meses ainda tem as fraldinhas. Se elas voltarem a desfiar ou até mesmo fiquem sem condições de uso, não vou ter dó de descartar.


















Escolhi apenas duas toalhas (que viraram quatro) e não preciso de muito mais do que isso. Comparado com uma toalha de bebê (que está por baixo), ficaram menores no comprimento, mas estão um pouco maiores na largura. As partes cortadas da toalha estão sobrepostas, por isso parece ser uma só. Ainda tenho mais algumas toalhas antigas que acabei deixando guardadas para uma eventualidade. Este foi um dos reaproveitamentos que eu consegui fazer, mas mexendo nos maleiros, sei que poderia fazer muito mais coisas.
A pessoa que se prontificou a fazer para mim teve o cuidado de comprar ainda aquelas fitas para fazer o acabamento (viés) e ficou mesmo com cara de toalha infantil. Eu sei que ficaram pequenas, mas nos primeiros anos vão servir bem e eu gostei do resultado. Depois ainda posso usar as da mais velha até o momento de comprar novas, então coordenadas. Aliás, até os lençóis e toalhas da mais velha dá para serem usados em duas camas com os mesmos temas. Então vai demorar para eu precisar comprar mais toalhas e lençóis.
Já me perguntaram se estas toalhas não estão duras já que são velhas. Não, estão macias. Eu uso pouco amaciante, então a goma do produto novo vai saindo com as lavagens. Também não seco as toalhas ao sol, é luz indireta e vento, por isso, depois de secas, as toalhas não ficam duras.
O pior é que eu tenho vários jogos de toalhas (rosto e banho) nunca usados. E tenho algumas toalhas de lavabo também nunca usadas (precisaria apenas comprar uma de piso coordenada). Um dia, pretendo dar um jeito de usar antes de sair comprando mais. Mas isso fica para a grande limpa das roupas de banho.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

O que Eu Uso: Elian

Eu não estou ganhando nada para fazer esta divulgação, mas não havia como não fazer. Todos os produtos descritos ou exibidos foram adquiridos através de pagamento. Eu já experimentei comprar várias marcas de roupas para criança, mas quando eu avalio o custo e o benefício, considerando o pouco tempo que a criança usa cada roupa e a quantidade de vezes que temos que lavar, não tem como dizer que é tudo igual.
Ainda que a diferença de preço seja pequena, a durabilidade das peças varia bastante. Se considerar que a durabilidade seja igual, o preço tende a ser muito menor. E as roupas não são tortinhas, as estampas não são genéricas demais e mal acabadas.
A primeira vez que vi esta marca foram roupas adquiridas de um distribuidor. A pessoa me mostrou 5 ou seis conjuntos e escolhi 3 para comprar. Comprei um vestido e dois conjuntos de legging com bata. O conjunto mais caro foi 48 reais, o vestido e o outro conjunto foi perto de 30 reais cada. Comprei estas roupas tamanho 1. Achei que tinha as fotos, mas não estou achando. 
Depois de usar umas duas vezes, comparando com as outras roupas de outras marcas, percebi que foi uma ótima escolha. 
Então comecei a ficar mais atenta a produtos desta marca nas lojas, sejam lojas físicas ou virtuais. E encontrei algumas promoções muito interessantes. O único problema destas compras em lojas virtuais e principalmente de comprar em promoção é que geralmente são peças de estação invertida e demoram pra chegar, então preciso comprar um número maior e deixar guardado correndo o risco de não chegar a usar. Pelo menos enquanto as crianças são menores. Depois que começa a crescer mais devagar tem mais chance de aproveitar.
Demorei bastante para encontrar novamente a marca e depois desta primeira experiência positiva voltei a comprar roupas de inverno tamanho 3. Esses dois conjuntos foram pouco usados, mas estiveram disponíveis nos momentos que mais precisei. O vestido foi 50 reais e o conjunto 53 reais. Não encontrei tantas ofertas assim, mas pela qualidade dos produtos, acho que a compra valeu. O vestido foi usado em um casamento. A meia e o casaqueto usei com outros vestidos também. Este conjunto do vestido e do casaqueto são as roupas que minha filha está usando em duas das melhores fotos que temos.
O conjunto do casaco com a calça usou menos vezes. Tanto a calça como o casaco são flanelados por dentro. Mas ela alcançou este tamanho em um ano que não fez muito frio. Quando resolveu esfriar, já não cabia mais. Usou muito pouco e já perdeu.

Na mesma época, também procurei para comprar as roupas de verão tamanho 3. A primeira compra foi um vestido e um conjuntinho sem manga. O conjunto usou bastante, mas o vestido usou pouco. O conjunto consegui tirar uma foto, tem dois laços que ficam do lado na blusa e um botão de pressão para fechar atrás. A calça corsário está mais para uma bermudinha. É bem confortável para os dias de calor. E do mesmo estilo de roupinhas que eu havia comprado da primeira vez. A blusa mais comprida e larguinha dá uma sensação de vestido. E a bermuda é sempre estampada. O vestido é de malha com estampa do Snoopy. Tem um corte reto sem manga e uma faixa de amarrar na cintura. O vestido eu não consegui fotografar. Infelizmente usou muito pouco e já perdeu. Ambos custaram 26 reais cada.

Meses depois comprei mais alguns conjuntos, todos de uma malha muito gostosa e estampas bonitinhas.  Este macaquinho é bem fresquinho, mas ela reclamava um pouco para usar. Depois caiu no gosto e não queria tirar. O tecido contém elastano e ele tem bolsos laterais no short. É bem confortável. Não tem botões ou zíper. Veste pelo pé.
Desde a primeira compra, gostei de conjuntos de calça corsário com blusinha tipo bata que veste mais confortável para menina. Eu me confundi com o tamanho e acabei comprando dois conjuntos iguais em cores diferentes. Era pra ser um 3 e um 4, mas os dois são tamanho 3. Achei um charme o detalhe da dobra na manga com um botão de enfeite. A blusa também tem um babado na barra e é um pouco mais comprida que uma camiseta. A calça tem estampa de maçãs e também está mais para uma bermudinha de cotton. As maças também estampam a blusa. Cada um destes 3 primeiros custou 30 reais. Veja que por serem muitos do mesmo tamanho, acabava não usando muito. Eu realmente comprei errado.
E o quarto conjunto desta compra é tamanho 4. A blusa tem uma prega atrás com um laço que deixa ela mais solta e também um detalhe com sobreposição nas mangas. A bermuda tem a mesma estampa do macaquinho e é o mesmo estilo das outras. Escolhi em vermelho porque não gosto de ficar apenas no rosa e tento variar um pouco em cores e estampas. Este conjunto foi um pouco mais caro e paguei 35 reais. Usou bastante e ainda está usando, mesmo estando mais certinho. 

Depois de reduzir e controlar mais as compras, não havia adquirido nada. Mas como criança cresce de repente, peguei uma promoção em que cada conjunto de moleton custou pouco mais de 50 reais. Não achei tão caro. E foram muito mais que aprovados, foram comemorados. Passei para frente os poucos conjuntos que ainda tinha tamanhos 2 e 3 e estávamos usando estes e mais dois, tamanho 4. Existe uma diferença na modelagem já que apesar de serem tamanho 4 são tamanhos diferentes. Então os da outra marca ficaram curtos, mas estes da Elian ainda consegue usar. Pela primeira vez minha filha está participando das escolhas das estampas e das cores. Agora que aceita casacos que passem pela cabeça, ao invés de só usar os abertos na frente, ela ajudou a escolher um com capuz e outro sem. Novamente tentei fugir um pouco do apenas rosa.  Por isso o de tênis é rosa claro com rosa escuro, mas o de estrelas tem a calça preta e a blusa num tom avermelhado. Por incrível que pareça, esse de estrelas é o preferido.
Quando fui completar com as blusas de manga comprida, acabei encontrando esta em cotton com a estampa na frente. Como já havia escolhido uma em amarelo, acabei pegando esta em rosa. Como ela veste mais certinho, acabou perdendo logo. Não fica confortável escapando na barriga. Apesar de ser tamanho 4 também já passei pra frente. E esta foi nossa coleção de inverno 2016 e 2017.

O maior ponto negativo que eu vejo são os pontos de venda. A marca Elian não tem loja própria que eu conheça, mas está presente em muitas lojas físicas. Na maioria das vezes eu compro pela internet o fim da coleção em sites de ofertas. Neste caso compro tamanhos maiores para usar no ano seguinte. E algumas vezes foi difícil encontrar as numerações que precisava. Veja que comprei bastante roupas tamanho 3 mas não tenho conseguido comprar nos outros tamanhos.
Como disse, pelo preço que venho pagando nas peças, a qualidade do produto é impressionante. Ainda preferia mais variações nas cores das peças e nas estampas. As mensagens que vêm escritas são inocentes, mas a criança geralmente não sabe o que está escrito. É importante atentar se não está passando a mensagem errada.

De certa forma reconheço que estou fazendo propaganda gratuita, mas lembro como foi difícil confiar nas compras que fazia e acabei escolhendo as minhas preferidas. Como esta marca, têm outras. Vou trazer mais algumas aqui também. Não pretendo fazer propaganda negativa embora algumas marcas eu desaconselhe. Mas é uma opinião pessoal. Se eu não me preocupasse de gastar um valor justo provavelmente indicaria ainda outras marcas.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Housekeeping Parte 5

Finalmente estou fazendo algo que possa ser chamado de housekeeping. Depois de preparar as lembrancinhas para o piquenique das crianças e festa de dia das bruxas, lavei a bomboniére e retirei uma latinha que usava para guardar doces. Mesmo os poucos doces que sobraram, devem durar apenas mais uns dias e então terei liberado bastante espaço do meu buffet. Ainda tenho algumas coisas para esvaziar lá, mas já percebo uma grande mudança.
Além dos doces, usei alguns materiais para festas e papelaria que estavam guardados no armário do escritório. Não deu para perceber a diferença, infelizmente, mas diminuí um pouco das coisas que eu tinha. Ainda quero organizar os papéis para tentar abrir espaço neste armário.
Gostaria de ter terminado com as pilhas de roupas, mas fiquei tão cansada que não tive disposição para costurar. E olha que agora falta super pouco. Então quero tentar terminar até o fim do mês.
Fotografei alguns objetos como lembranças para descartar e também levei para doação alguns bichos de pelúcia. Precisava ter separado mais coisa, mas quero ver o quanto consigo separar a mais quando puder voltar a guardar as coisas no quarto.
Nesta primeira semana, uma coisa muito boa que ocorreu foi a entrega dos móveis do quarto das crianças. Com o fim da reforma, pudemos descartar alguns materiais que sobraram e os eletrônicos.
Então precisei selecionar o que voltaria para o guarda roupa novo e o que colocaria para doação. Neste processo, completei mais uma sacola de roupas que não cabem mais e que está com data marcada para ser levada embora.
Esta etapa da roupa novamente demorou muito mais tempo do que eu gostaria. A única parte boa foi ter conseguido terminar de separar as roupas para marcar. Também faltaram cabides e como não tinha mais para vender, fiquei com as pilhas de roupa no guarda roupa.
Consegui esvaziar uma sacola de roupas que aguardavam a triagem. Mas a luta para organizar a casa está acirrada.
Agora, nesta segunda semana, estou fazendo o mesmo com alguns brinquedos. Tive que me dedicar para lavar todos os bichos de pelúcia e limpar todos os brinquedos para conseguir guardar de volta no quarto.
Também tentei acabar com a pilha de roupa que já estava separada para identificar. Durante a triagem também separei uma pilha de roupas que precisava de pequenos ajustes (tirar etiqueta ou refazer a costura) o que aumentou um pouco o meu trabalho. Ainda preciso terminar com as sacolas (faltam duas) e separar do armário as poucas roupas que sobraram sem nome. E terminando de marcar as roupas da mais velha, começo as da mais nova.
E finalmente, estou trabalhando na decoração e demais preparativos para o chá de bebê. Novamente aqui foi positivo ter usado muitos dos materiais que eu já tinha em casa. Foram 5 folhas de papel brilhante que eu tinha comprado para fazer dobraduras.
Não consigo fazer tudo o que quero. Não dá tempo. Então pouco avancei nesta terceira semana. Quer dizer, tudo o que eu vinha fazendo, ainda está em andamento. A única vantagem foi ter conseguido levar embora algumas sacolas de roupas e outros objetos para crianças. Mas também vieram mais outras sacolas para a mais nova.
Apesar de eu ser adepta da praticidade de lavar roupa de bebê na máquina, eu lavo separado com sabão e amaciante específico, com cheiro mais suave. Então providenciei a compra e estou começando a lavar antes de guardar no armário novo. E com isso, o meu escritório com cara de depósito de coisas. O quarto das crianças tem permanecido em ordem. E a sala também parece estar menos entulhada. Mas gostaria de já ter tirado os brinquedos da sala e levado para o quarto.
Ainda estou com muita coisa separada para ser levada embora. Consegui entregar um vestido de festa e as peças de uniforme que estão pequenos. Mas como parece que a casa ainda está entulhada.
O tempo passou super rápido e já foi mais um mês. Em nenhum momento consegui ver tamanho avanço como agora. De fato parece que estou conseguindo terminar coisas. Estou preparando a minha grande faxina de férias, mas já foi uma grande conquista o que já consegui fazer. Ainda tenho algumas sacolas de coisas para descartar, e como sempre, muitos projetos.
Finalmente estou acabando de organizar as roupas da mais velha. Ainda faltam as últimas sacolas. Estou batalhando para organizar os brinquedos, já tiramos muita coisa, inclusive para mandar para o lixo. Ainda faltam os livros, a penteadeira e os materiais de artes. Esse esforço deve durar algumas semanas, mas o trabalho de maior volume já foi concluído.
É incrível como abrimos espaço retirando coisas do maleiro para colocar em uso e que não devem mais voltar. Quero ter mais espaços vazios na minha casa, e os maleiros estão tendo algum avanço. Também aproveitamos este esvaziamento para passar o veneno de cupim.
Enfim ainda tenho um pequeno esforço com as roupas, mas agora é principalmente com as de bebê. Ainda preciso atacar a parte dos brinquedos que ficou faltando, mas principalmente preciso destinar os brinquedos para o local adequado, tirando-os de casa. E preciso me livrar de tantas outras coisas que separei para descarte e que não pretendo manter.
O escritório ainda está tomado pelas coisas de bebê. Pretendia fazer isso mais perto da data prevista para o parto, mas tive que adiantar. Agora preciso conter esta grande bagunça. Dei um jeito fácil para armazenar as fraldas no quarto, mas ainda tenho muita coisa pela frente.
Por conta dos projetos que realizei, precisei mexer novamente nos meus papéis e diminuí mais um pouco. Já os materiais de costura, ainda precisam ficar por cima que uso constantemente. Na verdade, ainda tenho muito para fazer neste sentido, mas não é minha prioridade.
Este último mês avancei bastante no Housekeeping. Fomos para a bagunça da reforma (um grande caos) e aos poucos estou colocando ordem na casa e até esvaziando alguns cantinhos. A partir de agora será determinante conseguir levar as coisas embora. Entregamos os eletrônicos e alguns móveis que sobraram, tirei alguns brinquedos e roupas para doação e até consegui enviar alguns livros, mas ainda temos muitos objetos a serem destinados para venda/troca/doação.

sábado, 18 de novembro de 2017

O Meu Problema com as Roupas

Há alguns meses atrás, eu resolvi assumir e declarar abertamente que estou tendo dificuldade em lidar com as roupas. Também admiti que não estava preparada para o desafio desgastante que seria cuidar do enxoval de um bebê/criança. Muito me criticaram pelo excesso, mas eu não tinha roupas em excesso, eu tinha acúmulo de roupas que não usava mais. Muitas vezes eu não sabia o que tinha e principalmente, estava guardando roupas com esperança de usar, mas nunca chegaram a ser usadas. Foram vários problemas e várias tentativas de solução. Algumas coisas me ajudaram a amenizar este problema.
Tudo começou a mudar quando, preocupada em ter outro filho, comecei a trabalhar para experimentar e retirar do guarda roupa as peças que não cabiam de tempos em tempos. Acho que nos últimos 4 meses, fizemos isso várias vezes. Comecei a separar sempre as roupas que estavam paradas no guarda roupa para usar e depois de lavadas e passadas, eu identificava e voltava para o guarda roupa com aquelas que vestiram bem. Nesse processo, bastante lento, consegui tirar muita coisa. Muitas vezes, metade do que foi lavado ia para a sacola de doação. Depois fiz outro filtro grande quando chegou o guarda roupa novo, troquei os cabides e reorganizei as roupas. Desta vez tirei bem pouca coisa e tudo coube no espaço que eu havia determinado. Com sobra.
Outra coisa que ajudou foi ter passado a receber bem menos roupa de outras crianças, então consigo comprar em quantidade suficiente, sem exageros. Era complicado ficar usando as roupas curtas e justas, depois resolver sair para comprar roupas e na semana seguinte receber sacolas com as roupas do tamanho que precisava. Eu sempre procurei esperar o máximo que eu aguentava para sair e comprar e comprar pouca coisa, mas quando eu me deparava com o dobro da quantidade de coisas que eu comprei, ficava difícil administrar. 
De tudo o que eu tirei, fixei uma quantidade bem pequena para reposição e estou sendo rígida com isso. Acho que vai dar certo.
Quando terminei de arrumar as roupas da mais velha, com os cabides e todos os itens do vestuário ainda ouvi: "Está tudo lá?" A minha resposta foi sim. Agora só falta organizar as coisas da mais nova. E está indo bem.
Acho que essa foi a minha sensação de vitória. Receber o reconhecimento que não parece mais um problema aos olhos dos outros é sinal que trabalhei de forma correta. Estes últimos meses com as roupas espalhadas, um pouco guardado em cada canto, não foi fácil. Mas o trabalho não está terminado.
Já tenho em casa algumas peças tamanho maior que posso pegar para uso antes de precisar procurar para comprar. Tenho anotado alguns tipos de roupas que penso em comprar quando mudar de estação. E estou tentando estabelecer a quantidade mínima por tipo de roupa para não exagerar na quantidade.
Também experimento e identifico as roupas logo que chegam em casa. Ainda falta fazer uma última limpa com tudo o que falta identificar, mas estou deixando para fazer isso quando acabar com as sacolas. Agora falta pouco.
Vou tentar fazer o mesmo com as roupas da mais nova. Espero que dê tempo de terminar antes de nascer para ficar mais fácil depois e ter tempo para fazer outras coisas. Não vejo a hora de poder arrumar a parte dela do guarda roupa para acabar com as pilhas de roupas que ainda estão pela casa. Para um bebê, a sensação é que eu tenho um monte de panos (Manta, fralda, fraldinha, cueiro, lençol, babador, toalha, toalha-fralda.... tem algum limite?). Mas roupas mesmo, tentei ser mais comedida.
As minhas roupas, ainda tenho alguns excessos, mas tenho comprado pouca coisa no último ano. Tenho usado exaustivamente as roupas que tenho, principalmente as que cabem em mim neste momento, que não são muitas. Pelo menos um sapato e várias peças íntimas irão para o lixo depois que o bebê nascer. Depois posso explicar melhor sobre isso. Não descarto a possibilidade de descartar ainda mais peças. E desta vez, sei que as roupas de grávida não serão guardadas para uma gravidez futura. Aos poucos, vou tentar descobrir o que veste em mim e o que eu não quero mais tentar usar. Talvez até procure algumas peças novas, mas espero que nem tanto. Considerando o espaço que as roupas ocupam no armário, sei que já diminuí bastante. Mas posso reduzir um pouco mais. Também estou limitando a quantidade de itens por tipo de roupa para não exagerar na hora de comprar. E tenho tentado me libertar dos meus presentes e a carga sentimental de um presente que não combina com você.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Material da Vez

Assim como eu fiz uma atualização com os meus itens de beleza, resolvi fazer também com os materiais de meu estojo. Queria atualizar só depois que renovasse, mas eu uso pouco o suficiente para não trocar todo ano. Se eu continuar esperando renovar para atualizar, não vou publicar tão cedo. 
Então primeiro quero mostrar o avanço no consumo dos produtos. Eu tenho uma foto com o material no fim do ano passado e a outra foto é deste ano, quase um ano depois. Dá para perceber um pequeno progresso. Fotografei menos vezes em 2017, mas fiquei gratamente surpresa com o avanço da caneta preta. Não havia percebido que usei tanto e já estava contando em terminar em breve, mas deve durar mais alguns meses. Eu tenho outra caneta destas promocionais preta no estojo que logo devo começar a usar.
A caneta vermelha eu ainda não esperava terminar mesmo, mas estou preocupada que pare de funcionar, então quero tentar usar um pouco mais no ano que vem. A primeira foto agora percebo que está horrível, mas eu percebo uma redução no conteúdo do tubo. Ainda por cima, a vermelha é a última cor de uma caneta de 4 cores, então descartar ela é como descartar 4. Vou tentar fazer alguns tipos de anotações de vermelho para usar mais e finalmente poder trocar de caneta em 2018.
Em compensação, gostaria de ter usado mais o lápis e a borracha que também estão comigo por muito tempo. Uma das borrachas, a azul, está tão perto de acabar que já estou pensando em outras maneiras de apoiar para terminar. Esta azul era uma borracha em forma de batom. Ela era bem grande e já faz um tempinho que está acabando. Por isso deixei a rosa também no estojo. Tentei fotografar na mesma posição do ano passado para conseguir comparar. A borracha rosa não dá pra perceber diferença, mas eu sei que ela consome rápido. Ela era de coração e já está pela metade. Como a azul está mais perto de terminar, estou usando mais ela e a rosa praticamente não usei. Também tenho esperanças de terminar as duas e passar para a próxima borracha em 2018.
Já o lápis, não percebi diferença entre as fotos do ano passado e deste ano. Eu só sei dizer que apontei este lápis pelo menos duas vezes. E olha que eu usei não só para fazer anotações mas também em apoio aos meus projetos. Acho que demora mais alguns anos para terminar.
Não tenho certeza do que acaba primeiro: a borracha ou a caneta. Por isso ambas já estão na minha lista de metas mensais. Achei que a esta altura a borracha já teria acabado.
Como não tinha muita coisa para mostrar, e não substituí nenhum material, também aproveito para mostrar os próximos materiais escolhidos para o uso.
Esta caneta promocional branco com laranja também é de tinta preta. Está quase nova, embora não seja transparente e seja difícil de ver pelo tubo. Fiz uma marca antes de colocar para uso. Depois que esta acabar quero voltar a usar caneta azul para anotações em geral, mas isso ainda demora para acontecer. Eu tenho outras canetas em uso,também promocionais, mas esta é uma das mais antigas. Ano que vem posso pensar e procurar outra para deixar no estojo.
Este lápis é novo e sei que vou demorar muitos anos para terminar de usar. Confesso que já usei algumas vezes agora que está com a ponta, mas uso mais o outro que está menor. Nem sempre dá pra usar o lápis quando ele começa a ficar bem pequeno, então estava contando em descartá-lo quando ficasse difícil de usar e peguei o seguinte. Mas estou mudando de ideia. Já mostrei esse lápis por aqui quando comentei da coleção de lápis. Não tenho mexido na coleção, então não pensei em qual seria o próximo. Mas certamente esse ainda vai demorar bastante. Ele tem uma borracha de conjuntinho, mas não peguei para usar porque o lápis atual ainda demora para acabar e a borracha acaba mais rápido.
A borracha eu havia mostrado como enquete em anos anteriores. Apesar de não ter recebido resposta, escolhi porque sei que é uma das antigas e porque acho que não vai durar muito para terminar. Não deveria ter tanta pressa para escolher a seguinte já que estava com duas no estojo, mas as duas já estão difíceis de usar. Eu não lembro parzinho com o quê veio esta borracha. Talvez eu até já tenha usado o lápis. A parte branca com corações é de papel que eu devo descartar tão logo comece a usar. Ela eu não tenho deixado no estojo porque ainda tenho as outras duas em uso. Tenho muitas borrachas pequenas e algumas grandes. Depois preciso mostrar a coleção completa. Não tenho coragem de usar as grandes já que até as pequenas demoram muito para acabar.
Não separei uma caneta colorida para usar no lugar da vermelha. A verdade é que eu não achava que a vermelha estava perto de acabar. A minha vontade é usar uma das canetas gel que eu comprei alguns anos atrás, mas a maioria não está funcionando direito. Fui tonta de comprar e deixar guardado. É o tipo de produto que não funciona assim. Por isso vou deixar para resolver depois e, se for o caso, compro e coloco em uso. O que eu acho legal da caneta gel é que o consumo é bem visual; por outro lado, quer dizer que ela é bem mais cara. Eu fotografei junto esta caneta azul que está praticamente nova. É que muitas vezes, quando preciso de alguma cor, já que estou usando uma caneta preta, tenho a azul para contrastar.
Adiei bastante esta publicação mas acho que deu para ter uma noção de quanto que eu uso em um ano. Ainda tenho muitos materiais em casa. A minha maior preocupação é ter que jogar fora sem nem usar, então estou conseguindo não comprar mas ainda estou usando muito pouco. Como não ocupam muito espaço, acabo deixando. Vou tentar mexer de novo nestes materiais na minha faxina de férias e resolver o que fazer. Alguns eu venho mostrar em breve.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Quais São os Seus Sugadores de Tempo?

Eu não tenho dúvida que todos os temos. E que são mais ou menos os mesmos. A proposta não é não fazer nada, mas remover os sugadores que não são importantes para ter mais tempo com o que se gosta. Eu gosto de ler, mas sei que gasto mais tempo na internet assistindo vídeos do que lendo. 

Joguinho no celular/computador. É incrível como sem perceber acabamos acostumando a ficar muito tempo no computador/celular praticamente só passando o tempo. De tudo que eu faço, o mais inútil são os joguinhos. Acabei limitando a dois instalados para não ocupar memória demais no celular. Também tive que diminuir o tempo jogando por que toda hora descarrega e fico sem bateria. Foi quando percebi que tinha muito mais tempo para fazer outras coisas quando não fico preocupada em completar as missões e passar de fase. 

Redes Sociais. E também afins. E o pior é que quando queremos saber notícias sobre as pessoas, voltamos para procurar e não vemos nada. Então para quê acompanhar o feed de notícias com as atualizações dos amigos? Então eu me dei conta que eu sei mais sobre as pessoas que eu quase não vejo do que sobre as que estão por perto. Sem falar nas sugestões de anúncios que aparecem. A maior parte das indicações que experimentei fiquei com a sensação que os meus amigos curtem qualquer coisa na ânsia de tirar algo de graça. Não que fosse ruim, longe disso, mas também não era isso tudo. Para eu me dar ao trabalho de recomendar, deve ser quase extraordinário.

Vídeos no Computador/ DVD/Televisão. Também é impressionante como deixamos o tempo passar de uma forma boba. É só deitar no sofá, ligar a televisão e ficar trocando de canal. Se não achar nada que desperta o interesse, ainda tem as opções por streaming. No meu caso, ainda tenho DVDs. A ideia era descansar uma meia hora, mas passam duas, começa a escurecer e você ainda está por lá. Eu facilmente abriria mão do serviço de televisão a cabo se tivesse outra forma de assistir a Nascar. Recentemente, a Fox deixou de transmitir algumas provas e eu voltei a pensar nesta opção. Não minto que perco muito tempo nisso que poderia usar para outros fins, mas não estou sozinha nessa.

Arrumação da Casa. Como ainda não existe programa autolimpante para a casa, preciso de ajuda para realizar a limpeza e a arrumação. Mas eu não me incomodo de arrumar a casa, eu me incomodo do tempo que eu gasto só com a arrumação. Se eu não gastasse tanto tempo, poderia fazer a limpeza da casa sozinha, do meu jeito e ainda teria mais gosto em manter a casa arrumada. E foi por isso que eu comecei a tentar diminuir os objetos e as preocupações para ter mais tempo para fazer o que eu quero e o que eu gosto, para que a arrumação seja prazerosa e não fique sugando o meu tempo.

Fazer as Coisas pelos Outros. Veja que eu não chamo de ajudar aos outros. Eu sinto que às vezes eu fico muito perto de ser intrometida. E assim, na ânsia de ajudar, me comprometo a fazer coisas pelas pessoas que eu não faço nem para mim, nem para a minha família. Isso não é caridade e nem vai garantir o meu lugar no céu. É muito fácil ajudar um estranho, mas na maioria das vezes você acha que está ajudando e pode estar atrapalhando. Se eu estiver bem, com a cabeça boa, posso fazer muito mais por outras pessoas do jeito certo.

Concluir Coisas que eu Comecei. Eu me impus um monte de metas para terminar os produtos que eu tenho em casa, ler os livros que eu comprei ou que eu listei para ler, e ainda quero realizar determinadas coisas antes de me desfazer. Mas, isso requer muito tempo. Por que eu simplesmente não me desfaço de isso ou daquilo sem antes ter que ler, ou assistir, ou usar até o final? Para ter certeza que eu não vou me arrepender. Eu já reclamei aqui das minhas metas de leitura também, que eu acabava escolhendo as leituras para cumprir a meta e a leitura não rende e ainda por cima eu fico com a sensação que o momento de ler aquele livro passou. Felizmente eu estou melhorando, mas a maior parte do meu tempo livre eu ainda passo realizando atividades que não tem exatamente um motivo para eu fazer além de concluir o que eu comecei. 

Essa é mais ou menos a ordem com que eu posso viver sem estes sugadores de tempo. Estes são o exemplo de coisas que acaba me fazendo perder tempo sem perceber. Sugiro que avalie onde estão os seus sugadores e o que pode ser feito para amenizar o efeito deles na sua qualidade de vida. 

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

O enxoval do segundo filho

Aproveitar as roupas sempre foi um princípio valioso nas famílias numerosas. Mas porque não aproveitar entre primos ao invés de comprar já que não são tantos irmãos. 
Não tenho vergonha de dizer que aceito tudo o que me é oferecido para as crianças e que sei que podem usar. Eu tenho condições de comprar roupas novas, nesta fase, até uns 3 anos, a criança suja muita roupa que tem que trocar e lavar e cresce muito rápido. Ainda por cima, apesar de ser bem menor, a roupa custa o preço de roupa de adulto. Então pesa comprar em quantidade. Então será que eu preciso realmente acumular tanta coisa que eu posso pegar ali com alguém? Mesmo que não seja dado ou emprestado, comprar usado também é bem mais vantajoso do que sair comprando tudo novo. Prefiro comprar poucas coisas do que comprar um enxoval inteiro. 
Como já contei antes, para o primeiro filho, mesmo seguindo as dicas de outras pessoas que já passaram por isso, escolhemos alguns produtos que simplesmente não funcionam. E alguns não dá pra saber se vai funcionar. Cada criança é de um jeito. E estes foram os primeiros produtos que descartei, os que não funcionaram. Alguns foram para o lixo mesmo, outros foram para a escola e ainda montei três ou quatro sacolas de desapegos para pessoas do serviço que fizeram campanhas para mães que não tinham condições e pediram objetos mesmo que usados. A maioria estava ainda na embalagem.
Enfim, guardei pouca coisa em casa, mesmo dos itens que eu achei que funcionaram. Também porquê eu não tinha onde guardar a quantidade de coisas que recebi, usei e não tinha mais utilidade. Mas isso foi uma escolha que tive que tomar por esperar tanto tempo para ter outro filho.
Sinceramente, não estava disposta a comprar muita coisa nova. Pretendia na medida do possível aproveitar tudo o que conseguisse através da família. E também só aceitaria o que eu tenho a intenção de usar. 
Não recusei sacolas de roupas de grávida nem roupas e enxoval para recém-nascido. Carrinho e berço eu guardei, então dos produtos maiores só iria precisar da banheira. Mas felizmente consegui ela com um primo.
De mais, eu falei que não queria nenhum pano (pano de boca, lençol para carrinho, toalha para amamentação, manta de todos os tipo...).
E também não vou definir nenhum tema para o enxoval já que novamente vou usar de tudo um pouco. E isso talvez tenha sido a segunda informação mais valiosa: qual o tema do enxoval? Por que precisa disso se a decoração do quarto foi pensada para duas crianças e os itens de bebê vão ser usados por só dois anos e o quarto foi pensado para 5? E depois tive que ouvir que se eu sou a mãe, sou eu que escolho, não tenho que ouvir ninguém. Mas o quarto será de duas crianças, como que você faz uma criança dividir o quarto com um bebê e não deixa ela opinar nas mudanças? É como se estivesse expulsando a criança do seu próprio quarto. É comentário de quem não tem filhos, claro.
E esse é outro grande problema, todo mundo acha que sabe tudo sobre maternidade. Menos o que você pergunta.
Então teve coisas que eu me desfiz por falta de espaço para guardar, e coisas que eu me desfiz porque não pretendia voltar a usar. O que eu mais lamento são as roupas. Como não guardei quase nada, vou precisar comprar bastante coisa. E quando eu vejo fico lembrando do que eu usei na mais velha e não tenho mais. Não adianta lamentar. Eu dei sabendo que podia não voltar. Mas eu ainda estava contando com isso.

Do enxoval resolvi que compraria apenas o kit berço e eventualmente um ou outro objeto. O outro produto que precisava providenciar são as capas para o bebê-conforto. O kit berço na verdade eram só as almofadas para as grades, porque demais itens eu já tinha: mosquiteiro, trocador, lençol, edredom.
Conferi os lençóis e estes estão ok. O primeiro projeto que eu preparei foram as toalhas de banho. E junto recebi o primeiro presente do bebê. Não faço questão, mas fico feliz de receber.
Depois foi necessário pensar na decoração do quarto. E o único item de decoração que eu quis foi o móbile. Eu não tinha dúvidas em aproveitar o que já tinha em casa, então pensei no móbile de pássaros e aviões que eu havia planejado anteriormente. Acabei fazendo apenas passarinhos coloridos que foi um dos projetos de 2017.
Tem vezes que parece que o apartamento é pequeno demais para receber mais uma criança. Já não sei onde colocar as coisas que estão entrando apesar de tanto esforço para ter mais cantinhos vazios. Estou precisando abstrair e deixar para pensar nisso depois. Eu ainda não sei como lidar com as roupas de crianças. O trabalho foi muito maior do que eu esperava e eu demorei para dar conta. Espero me sair melhor desta vez, mas a chance de errar ainda é enorme.
E este é o pesadelo de montar o enxoval de um segundo filho se você não tiver guardado tudo do mais velho.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Beleza da Vez, 2017

Eu pretendia fazer estas listas de tempos em tempos. Quando eu fiz a primeira lista, percebi que havia deixado vários produtos de fora. Como eu não preciso listar só 5 produtos, prefiro separar em categorias e depois vir mostrar o que eu estou usando. Já era pra eu ter vindo contar há tempos do que mudou na minha bancada. Muitos produtos se foram e alguns poucos chegaram. Escrevi e reescrevi esta postagem tantas vezes ao longo de 2017 que vai ser mais um resumo de tudo o que eu usei no ano.

Ainda estou na minha luta para acabar com os produtos antigos e os produtos que tenho em excesso. Mas dos produtos que tenho em cima da bancada, felizmente estou conseguindo reduzir. Estes são basicamente produtos para o cabelo e produtos para a pele. 

Eu havia acabado com aquele creme enorme que fotografei na vez passada, depois usei os meus óleos de banho (que eu até gosto, mas prefiro os cremes) que apareceram por aqui nos terminados no mês e depois voltei para os meus cremes.  Usei um da Nativa SPA que também apareceu nos terminados no mês e, no começo de 2017 passei a usar um da Victoria Secret, Love Spell que ganhei. Também estou usando um óleo infantil para a pele que tem problemas maiores de hidratação, entenda-se: cicatrizes. Esta combinação durou quase que o ano todo. Como estou me mantendo na regra de só comprar um depois de terminar 3, neste ano não pude comprar nenhum, mas a parte boa é que logo não vou ter 3 para usar antes de comprar o substituto. Estou usando um da Natura de Flores Brancas e ainda tenho mais 3 da Victoria Secret's guardados. Tive muita dificuldade em usar estes produtos para o corpo. Já não aguentava o cheiro. Mas creio que não devo demorar um ano para usar um creme.
Outro creme que uso diariamente é o creme para o rosto. Creio que é o último da linha Renew que eu tinha. Cheguei a considerar comprar mais, mas não me adaptei ao uso. Prefiro usar apenas o protetor solar facial. Como também tenho alguns outros cremes faciais, escolhi usar este que é o mais velho. O que me fez perceber que eu não precisava comprar nada. Apesar de usado, havia muito produto, tanto que escolhi entre os 5 para terminar. E usei ao longo de todo o ano. Voltei a usar outro creme facial que já estava aberto só em outubro e também quero usar algumas amostras e miniaturas que tenho em casa. Além destes, tenho mais 2 guardados, além de protetor solar facial.
Para o cabelo tenho em cima da bancada dois cremes para pentear, um para o cabelo molhado e outro para o cabelo seco. Estou experimentando um óleo para hidratação da Frutis. Comparando com os outros produtos que usei, um spray da Seda e o leite para cabelos cacheados da Elséve que eu usava antes, não percebi muita diferença entre os dois últimos, mas não estou gostando do óleo. E esta categoria de produto eu estou bem mal resolvida, porque não encontro com facilidade o produto para usar e sempre que experimento outro, se dá certo, sai de linha. Mas o pior é que não consigo acabar com o óleo. O cheiro também começa a me incomodar e estou certa que tenho que partir para outro tipo de produto, ou fazer o meu preparado caseiro. Penso em procurar em casas especializadas numa última tentativa e então partir para os preparados. Este não tenho produto reserva. Mas aceito dicas para outros produtos do tipo.
Eu finalmente terminei o creme para pentear da Natura que estava no meu projeto de outono. Estou usando um da Vult que já estava por cima da bancada esperando. O que eu mais gosto nele é o cheiro. Agora sei que este tipo de produto tende a demorar muito para acabar, então nem penso em comprar substituto. Também não tenho mais nenhum produto do tipo guardado, mas sei que este demora para acabar. Então vou voltar a me preocupar com o substituto só em meados de 2018.
Terminei os desodorantes que estavam antigos na bancada e agora estou usando o último exemplar de desodorante em creme. Gosto muito deste da Natura que o cheiro é bem discreto. Melhor que um sem perfume. Por ser em creme também cumpre a função de hidratar a pele e dura bastante sem desperdiçar como qualquer outro em spray. Ainda reforço que caiu no gosto o uso dos spray do tipo aerosol que além de ser altamente poluente, costuma estourar em viagens. Por isso, apesar de ser difícil de achar para comprar, só utilizo os em creme. Muita gente acha nojento aplicar com os dedos, mas eu já me acostumei. Acabei comprando não só um, mas dois produtos reserva que devo começar a usar em 2018.
Por fim, ainda na bancada, mantive um pote de perfume para uso diário. Na verdade eram dois: o pote original e o frasco com borrifador. Eu gostaria de ter terminado e passado para o próximo já que estou usando faz muito tempo. Durante todo o ano de 2016 hesitei em abandonar e passar para o próximo, mas agora está acabando. Como não dura muito na pele, não tenho muita vontade de usar o perfume atual. Usei algumas miniaturas para me incentivar e ainda não acabei com todas. O frasco original até que consegui acabar, mas o com borrifador, que deveria ser mais fácil, o borrifador também quebrou e persistiu na bancada até esvaziar. Então sim, usei o ano inteiro este produto.

No box deixo os meus produtos para o banho. Além dos sabonete/shampoo/condicionador ainda tenho o creme de tratamento para o cabelo e eventualmente algum outro produto do tipo. 
Finalmente estou deixando de lado as miniaturas e voltando a usar produtos de minha escolha. Apesar de ainda ter algumas miniaturas (duas ou três), ainda estou focando em terminar outros produtos que também tenho em casa. Em 2017, foquei no sabonete líquido esfoliante que está em 5 para terminar e apareceu outras vezes por aqui. Sabonete esfoliante só tenho os que ganho de presente. Outro produto dispensável que não costumo comprar. Agora que felizmente acabou também estou usando um sabonete líquido junto com as miniaturas que pretendo terminar em 2018. Até o fim do ano quero acabar com o máximo de miniaturas que eu ainda tenho. E sabonetes, ainda faltam algumas.
Shampoo e condicionador, apesar de ter experimentado alguns também não encontrei um favorito. Por enquanto e por boa parte deste semestre, devo usar estes da Dove que dizem ser muito bons, mas como eu não costumo me adaptar aos produtos da Dove, estou preparada para desistir. Também porque comprei a embalagem de parzinho que é o frasco grande (400 ml) vai durar tipo, para sempre. Ainda tenho algumas amostras em envelopes, agora realmente poucas, menos de 10, que venho usando junto para não enjoar, por isso devem durar ainda mais. Finalmente estou ficando sem opção de miniaturas, o que é bom, mas ainda demora para eu poder escolher qual será o próximo que eu quero experimentar. Então tão cedo não vou procurar para comprar.
O creme de tratamento para o cabelo é o mesmo que mostrei da outra vez. Creio que ainda demora bastante para terminar. Tenho algumas amostras para usar e uma lista enorme de cremes que eu gostaria de experimentar mas ainda não comprei. Para não dizer que está igual, fui usar recentemente (deveria usar uma vez na semana) e está com aproximadamente 2/3 do pote. Achei que tinha usado ainda menos. É que estou precisando cortar o cabelo. Creme nenhum faz milagre nestas condições.

E a última parte dos meus produtos é uma prateleira próximo ao espelho que deixo a maquiagem de uso mais rotineiro, por enquanto, os produtos da vez são: um gloss, o lápis de olho e o pó.
Depois de finalmente acabar o batom que estava em 5 para terminar de 2016, recolhi vários produtos para boca que eu tinha espalhado pela casa, na bolsa e no trabalho para deixar nesta prateleira. No primeiro semestre me dediquei a este gloss da Avon que estava no meu projeto de outono. Ele é tão velho que a embalagem já mudou. Não dá pra deixar na bolsa que meleca um pouco. E eu uso pouco porque sinto que ele racha e fica feio. Mas já que estou usando tantos produtos antigos, este vai ser outro que vou tentar terminar. Apesar de usar só uma vez por dia, tenho percebido o avanço. Ainda tenho muitos outros gloss fechados e também alguns batons e lápis para a boca. Depois disso, prefiro usar batom do que gloss. Então foquei neste batom da colortrend (também da Avon) que está no meu projeto para terminar em 2017 em todo o segundo semestre. Infelizmente, parece que não vai ser possível, mas este foi a minha escolha. Em 2018 será o ano dos restinhos de produtos. Não estranhem a quantidade de produtos da linha colortrend da Avon. É que são todos da mesma época. Agora já estão acabando.
O lápis de olho que eu venho usando é este também da Avon Colortrend. Não tem nada demais, mas gostaria de acabar com ele e ainda com um outro que tenho. Voltei a ter dificuldade de pintar os olhos e por isso tenho tentado usar com mais frequência para o olho voltar a se acostumar. Não sei se usaria lápis de olho se eu não tivesse. Se meus olhos não se acostumarem será outro produto que não pretendo mais ter. Tentei acelerar o uso em um dos projetos que fiz, mas acabou voltando a ficar encostado. Creio que nada vai mudar até o próximo inventário, mas ano que vem vou tentar experimentar outros dos produtos que tenho guardado e, quem sabe, consigo usar mais este lápis. 
Por fim, como ainda não terminei os produtos que tinha, deixo aqui por cima o corretivo, base e o pó compacto. Este pó da Contém 1g eu realmente gosto e voltaria a comprar. Já o corretivo, finalmente acabei este da Contém 1g. Eu diria que não pretendo voltar a comprar este produto, mas agora tenho as minhas dúvidas. Meu maior dilema ainda é a cor certa.
Acabei colocando mais um item nesta prateleira que é o esmalte que estou trabalhando para terminar. Com a gravidez precisei parar de usar e ele fica lá apenas tomando pó e me fazendo lembrar que tenho muitos produtos em casa. Esta base está bem perto do fim e eu deveria ter terminado faz muito tempo, já está um pouco grosso e não sei se eu ainda vou conseguir usar este finzinho. Deve ter o suficiente para uns 2 usos no máximo. Passados uns meses depois do bebê nascer, quero voltar a usar. Também ganhamos muitos frascos durante o ano, mas sem usar, só ficou acumulando. Umas poucas vezes pintei as unhas das meninas com os esmaltes coloridos, mas dedinhos de criança são tão miúdos que nem dá pra percebe qualquer avanço.

Por fim, é isto. Foram estes os produtos que povoaram a minha visão no banheiro, já que eu não tenho uma penteadeira (e não sinto tanta falta...). Tentei usar fotos novas, mas confesso que quase a metade é republicação. Vou tentar não demorar tanto para fazer o de 2018, mas realmente gostaria de não repetir produtos de um ano para outro. Em várias opções, sei que repetiria, por isso fiquei esperando acabar para fazer a atualização. Acho que funciona melhor se eu só fizer um por ano e se for o caso, mostro mais de um produto que estive usando no período, que é o que vai acontecer em algumas categorias mas não em todas ao mesmo tempo.