segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Housekeeping Parte 5

Finalmente estou fazendo algo que possa ser chamado de housekeeping. Depois de preparar as lembrancinhas para o piquenique das crianças e festa de dia das bruxas, lavei a bomboniére e retirei uma latinha que usava para guardar doces. Mesmo os poucos doces que sobraram, devem durar apenas mais uns dias e então terei liberado bastante espaço do meu buffet. Ainda tenho algumas coisas para esvaziar lá, mas já percebo uma grande mudança.
Além dos doces, usei alguns materiais para festas e papelaria que estavam guardados no armário do escritório. Não deu para perceber a diferença, infelizmente, mas diminuí um pouco das coisas que eu tinha. Ainda quero organizar os papéis para tentar abrir espaço neste armário.
Gostaria de ter terminado com as pilhas de roupas, mas fiquei tão cansada que não tive disposição para costurar. E olha que agora falta super pouco. Então quero tentar terminar até o fim do mês.
Fotografei alguns objetos como lembranças para descartar e também levei para doação alguns bichos de pelúcia. Precisava ter separado mais coisa, mas quero ver o quanto consigo separar a mais quando puder voltar a guardar as coisas no quarto.
Nesta primeira semana, uma coisa muito boa que ocorreu foi a entrega dos móveis do quarto das crianças. Com o fim da reforma, pudemos descartar alguns materiais que sobraram e os eletrônicos.
Então precisei selecionar o que voltaria para o guarda roupa novo e o que colocaria para doação. Neste processo, completei mais uma sacola de roupas que não cabem mais e que está com data marcada para ser levada embora.
Esta etapa da roupa novamente demorou muito mais tempo do que eu gostaria. A única parte boa foi ter conseguido terminar de separar as roupas para marcar. Também faltaram cabides e como não tinha mais para vender, fiquei com as pilhas de roupa no guarda roupa.
Consegui esvaziar uma sacola de roupas que aguardavam a triagem. Mas a luta para organizar a casa está acirrada.
Agora, nesta segunda semana, estou fazendo o mesmo com alguns brinquedos. Tive que me dedicar para lavar todos os bichos de pelúcia e limpar todos os brinquedos para conseguir guardar de volta no quarto.
Também tentei acabar com a pilha de roupa que já estava separada para identificar. Durante a triagem também separei uma pilha de roupas que precisava de pequenos ajustes (tirar etiqueta ou refazer a costura) o que aumentou um pouco o meu trabalho. Ainda preciso terminar com as sacolas (faltam duas) e separar do armário as poucas roupas que sobraram sem nome. E terminando de marcar as roupas da mais velha, começo as da mais nova.
E finalmente, estou trabalhando na decoração e demais preparativos para o chá de bebê. Novamente aqui foi positivo ter usado muitos dos materiais que eu já tinha em casa. Foram 5 folhas de papel brilhante que eu tinha comprado para fazer dobraduras.
Não consigo fazer tudo o que quero. Não dá tempo. Então pouco avancei nesta terceira semana. Quer dizer, tudo o que eu vinha fazendo, ainda está em andamento. A única vantagem foi ter conseguido levar embora algumas sacolas de roupas e outros objetos para crianças. Mas também vieram mais outras sacolas para a mais nova.
Apesar de eu ser adepta da praticidade de lavar roupa de bebê na máquina, eu lavo separado com sabão e amaciante específico, com cheiro mais suave. Então providenciei a compra e estou começando a lavar antes de guardar no armário novo. E com isso, o meu escritório com cara de depósito de coisas. O quarto das crianças tem permanecido em ordem. E a sala também parece estar menos entulhada. Mas gostaria de já ter tirado os brinquedos da sala e levado para o quarto.
Ainda estou com muita coisa separada para ser levada embora. Consegui entregar um vestido de festa e as peças de uniforme que estão pequenos. Mas como parece que a casa ainda está entulhada.
O tempo passou super rápido e já foi mais um mês. Em nenhum momento consegui ver tamanho avanço como agora. De fato parece que estou conseguindo terminar coisas. Estou preparando a minha grande faxina de férias, mas já foi uma grande conquista o que já consegui fazer. Ainda tenho algumas sacolas de coisas para descartar, e como sempre, muitos projetos.
Finalmente estou acabando de organizar as roupas da mais velha. Ainda faltam as últimas sacolas. Estou batalhando para organizar os brinquedos, já tiramos muita coisa, inclusive para mandar para o lixo. Ainda faltam os livros, a penteadeira e os materiais de artes. Esse esforço deve durar algumas semanas, mas o trabalho de maior volume já foi concluído.
É incrível como abrimos espaço retirando coisas do maleiro para colocar em uso e que não devem mais voltar. Quero ter mais espaços vazios na minha casa, e os maleiros estão tendo algum avanço. Também aproveitamos este esvaziamento para passar o veneno de cupim.
Enfim ainda tenho um pequeno esforço com as roupas, mas agora é principalmente com as de bebê. Ainda preciso atacar a parte dos brinquedos que ficou faltando, mas principalmente preciso destinar os brinquedos para o local adequado, tirando-os de casa. E preciso me livrar de tantas outras coisas que separei para descarte e que não pretendo manter.
O escritório ainda está tomado pelas coisas de bebê. Pretendia fazer isso mais perto da data prevista para o parto, mas tive que adiantar. Agora preciso conter esta grande bagunça. Dei um jeito fácil para armazenar as fraldas no quarto, mas ainda tenho muita coisa pela frente.
Por conta dos projetos que realizei, precisei mexer novamente nos meus papéis e diminuí mais um pouco. Já os materiais de costura, ainda precisam ficar por cima que uso constantemente. Na verdade, ainda tenho muito para fazer neste sentido, mas não é minha prioridade.
Este último mês avancei bastante no Housekeeping. Fomos para a bagunça da reforma (um grande caos) e aos poucos estou colocando ordem na casa e até esvaziando alguns cantinhos. A partir de agora será determinante conseguir levar as coisas embora. Entregamos os eletrônicos e alguns móveis que sobraram, tirei alguns brinquedos e roupas para doação e até consegui enviar alguns livros, mas ainda temos muitos objetos a serem destinados para venda/troca/doação.

sábado, 18 de novembro de 2017

O Meu Problema com as Roupas

Há alguns meses atrás, eu resolvi assumir e declarar abertamente que estou tendo dificuldade em lidar com as roupas. Também admiti que não estava preparada para o desafio desgastante que seria cuidar do enxoval de um bebê/criança. Muito me criticaram pelo excesso, mas eu não tinha roupas em excesso, eu tinha acúmulo de roupas que não usava mais. Muitas vezes eu não sabia o que tinha e principalmente, estava guardando roupas com esperança de usar, mas nunca chegaram a ser usadas. Foram vários problemas e várias tentativas de solução. Algumas coisas me ajudaram a amenizar este problema.
Tudo começou a mudar quando, preocupada em ter outro filho, comecei a trabalhar para experimentar e retirar do guarda roupa as peças que não cabiam de tempos em tempos. Acho que nos últimos 4 meses, fizemos isso várias vezes. Comecei a separar sempre as roupas que estavam paradas no guarda roupa para usar e depois de lavadas e passadas, eu identificava e voltava para o guarda roupa com aquelas que vestiram bem. Nesse processo, bastante lento, consegui tirar muita coisa. Muitas vezes, metade do que foi lavado ia para a sacola de doação. Depois fiz outro filtro grande quando chegou o guarda roupa novo, troquei os cabides e reorganizei as roupas. Desta vez tirei bem pouca coisa e tudo coube no espaço que eu havia determinado. Com sobra.
Outra coisa que ajudou foi ter passado a receber bem menos roupa de outras crianças, então consigo comprar em quantidade suficiente, sem exageros. Era complicado ficar usando as roupas curtas e justas, depois resolver sair para comprar roupas e na semana seguinte receber sacolas com as roupas do tamanho que precisava. Eu sempre procurei esperar o máximo que eu aguentava para sair e comprar e comprar pouca coisa, mas quando eu me deparava com o dobro da quantidade de coisas que eu comprei, ficava difícil administrar. 
De tudo o que eu tirei, fixei uma quantidade bem pequena para reposição e estou sendo rígida com isso. Acho que vai dar certo.
Quando terminei de arrumar as roupas da mais velha, com os cabides e todos os itens do vestuário ainda ouvi: "Está tudo lá?" A minha resposta foi sim. Agora só falta organizar as coisas da mais nova. E está indo bem.
Acho que essa foi a minha sensação de vitória. Receber o reconhecimento que não parece mais um problema aos olhos dos outros é sinal que trabalhei de forma correta. Estes últimos meses com as roupas espalhadas, um pouco guardado em cada canto, não foi fácil. Mas o trabalho não está terminado.
Já tenho em casa algumas peças tamanho maior que posso pegar para uso antes de precisar procurar para comprar. Tenho anotado alguns tipos de roupas que penso em comprar quando mudar de estação. E estou tentando estabelecer a quantidade mínima por tipo de roupa para não exagerar na quantidade.
Também experimento e identifico as roupas logo que chegam em casa. Ainda falta fazer uma última limpa com tudo o que falta identificar, mas estou deixando para fazer isso quando acabar com as sacolas. Agora falta pouco.
Vou tentar fazer o mesmo com as roupas da mais nova. Espero que dê tempo de terminar antes de nascer para ficar mais fácil depois e ter tempo para fazer outras coisas. Não vejo a hora de poder arrumar a parte dela do guarda roupa para acabar com as pilhas de roupas que ainda estão pela casa. Para um bebê, a sensação é que eu tenho um monte de panos (Manta, fralda, fraldinha, cueiro, lençol, babador, toalha, toalha-fralda.... tem algum limite?). Mas roupas mesmo, tentei ser mais comedida.
As minhas roupas, ainda tenho alguns excessos, mas tenho comprado pouca coisa no último ano. Tenho usado exaustivamente as roupas que tenho, principalmente as que cabem em mim neste momento, que não são muitas. Pelo menos um sapato e várias peças íntimas irão para o lixo depois que o bebê nascer. Depois posso explicar melhor sobre isso. Não descarto a possibilidade de descartar ainda mais peças. E desta vez, sei que as roupas de grávida não serão guardadas para uma gravidez futura. Aos poucos, vou tentar descobrir o que veste em mim e o que eu não quero mais tentar usar. Talvez até procure algumas peças novas, mas espero que nem tanto. Considerando o espaço que as roupas ocupam no armário, sei que já diminuí bastante. Mas posso reduzir um pouco mais. Também estou limitando a quantidade de itens por tipo de roupa para não exagerar na hora de comprar. E tenho tentado me libertar dos meus presentes e a carga sentimental de um presente que não combina com você.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Material da Vez

Assim como eu fiz uma atualização com os meus itens de beleza, resolvi fazer também com os materiais de meu estojo. Queria atualizar só depois que renovasse, mas eu uso pouco o suficiente para não trocar todo ano. Se eu continuar esperando renovar para atualizar, não vou publicar tão cedo. 
Então primeiro quero mostrar o avanço no consumo dos produtos. Eu tenho uma foto com o material no fim do ano passado e a outra foto é deste ano, quase um ano depois. Dá para perceber um pequeno progresso. Fotografei menos vezes em 2017, mas fiquei gratamente surpresa com o avanço da caneta preta. Não havia percebido que usei tanto e já estava contando em terminar em breve, mas deve durar mais alguns meses. Eu tenho outra caneta destas promocionais preta no estojo que logo devo começar a usar.
A caneta vermelha eu ainda não esperava terminar mesmo, mas estou preocupada que pare de funcionar, então quero tentar usar um pouco mais no ano que vem. A primeira foto agora percebo que está horrível, mas eu percebo uma redução no conteúdo do tubo. Ainda por cima, a vermelha é a última cor de uma caneta de 4 cores, então descartar ela é como descartar 4. Vou tentar fazer alguns tipos de anotações de vermelho para usar mais e finalmente poder trocar de caneta em 2018.
Em compensação, gostaria de ter usado mais o lápis e a borracha que também estão comigo por muito tempo. Uma das borrachas, a azul, está tão perto de acabar que já estou pensando em outras maneiras de apoiar para terminar. Esta azul era uma borracha em forma de batom. Ela era bem grande e já faz um tempinho que está acabando. Por isso deixei a rosa também no estojo. Tentei fotografar na mesma posição do ano passado para conseguir comparar. A borracha rosa não dá pra perceber diferença, mas eu sei que ela consome rápido. Ela era de coração e já está pela metade. Como a azul está mais perto de terminar, estou usando mais ela e a rosa praticamente não usei. Também tenho esperanças de terminar as duas e passar para a próxima borracha em 2018.
Já o lápis, não percebi diferença entre as fotos do ano passado e deste ano. Eu só sei dizer que apontei este lápis pelo menos duas vezes. E olha que eu usei não só para fazer anotações mas também em apoio aos meus projetos. Acho que demora mais alguns anos para terminar.
Não tenho certeza do que acaba primeiro: a borracha ou a caneta. Por isso ambas já estão na minha lista de metas mensais. Achei que a esta altura a borracha já teria acabado.
Como não tinha muita coisa para mostrar, e não substituí nenhum material, também aproveito para mostrar os próximos materiais escolhidos para o uso.
Esta caneta promocional branco com laranja também é de tinta preta. Está quase nova, embora não seja transparente e seja difícil de ver pelo tubo. Fiz uma marca antes de colocar para uso. Depois que esta acabar quero voltar a usar caneta azul para anotações em geral, mas isso ainda demora para acontecer. Eu tenho outras canetas em uso,também promocionais, mas esta é uma das mais antigas. Ano que vem posso pensar e procurar outra para deixar no estojo.
Este lápis é novo e sei que vou demorar muitos anos para terminar de usar. Confesso que já usei algumas vezes agora que está com a ponta, mas uso mais o outro que está menor. Nem sempre dá pra usar o lápis quando ele começa a ficar bem pequeno, então estava contando em descartá-lo quando ficasse difícil de usar e peguei o seguinte. Mas estou mudando de ideia. Já mostrei esse lápis por aqui quando comentei da coleção de lápis. Não tenho mexido na coleção, então não pensei em qual seria o próximo. Mas certamente esse ainda vai demorar bastante. Ele tem uma borracha de conjuntinho, mas não peguei para usar porque o lápis atual ainda demora para acabar e a borracha acaba mais rápido.
A borracha eu havia mostrado como enquete em anos anteriores. Apesar de não ter recebido resposta, escolhi porque sei que é uma das antigas e porque acho que não vai durar muito para terminar. Não deveria ter tanta pressa para escolher a seguinte já que estava com duas no estojo, mas as duas já estão difíceis de usar. Eu não lembro parzinho com o quê veio esta borracha. Talvez eu até já tenha usado o lápis. A parte branca com corações é de papel que eu devo descartar tão logo comece a usar. Ela eu não tenho deixado no estojo porque ainda tenho as outras duas em uso. Tenho muitas borrachas pequenas e algumas grandes. Depois preciso mostrar a coleção completa. Não tenho coragem de usar as grandes já que até as pequenas demoram muito para acabar.
Não separei uma caneta colorida para usar no lugar da vermelha. A verdade é que eu não achava que a vermelha estava perto de acabar. A minha vontade é usar uma das canetas gel que eu comprei alguns anos atrás, mas a maioria não está funcionando direito. Fui tonta de comprar e deixar guardado. É o tipo de produto que não funciona assim. Por isso vou deixar para resolver depois e, se for o caso, compro e coloco em uso. O que eu acho legal da caneta gel é que o consumo é bem visual; por outro lado, quer dizer que ela é bem mais cara. Eu fotografei junto esta caneta azul que está praticamente nova. É que muitas vezes, quando preciso de alguma cor, já que estou usando uma caneta preta, tenho a azul para contrastar.
Adiei bastante esta publicação mas acho que deu para ter uma noção de quanto que eu uso em um ano. Ainda tenho muitos materiais em casa. A minha maior preocupação é ter que jogar fora sem nem usar, então estou conseguindo não comprar mas ainda estou usando muito pouco. Como não ocupam muito espaço, acabo deixando. Vou tentar mexer de novo nestes materiais na minha faxina de férias e resolver o que fazer. Alguns eu venho mostrar em breve.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Quais São os Seus Sugadores de Tempo?

Eu não tenho dúvida que todos os temos. E que são mais ou menos os mesmos. A proposta não é não fazer nada, mas remover os sugadores que não são importantes para ter mais tempo com o que se gosta. Eu gosto de ler, mas sei que gasto mais tempo na internet assistindo vídeos do que lendo. 

Joguinho no celular/computador. É incrível como sem perceber acabamos acostumando a ficar muito tempo no computador/celular praticamente só passando o tempo. De tudo que eu faço, o mais inútil são os joguinhos. Acabei limitando a dois instalados para não ocupar memória demais no celular. Também tive que diminuir o tempo jogando por que toda hora descarrega e fico sem bateria. Foi quando percebi que tinha muito mais tempo para fazer outras coisas quando não fico preocupada em completar as missões e passar de fase. 

Redes Sociais. E também afins. E o pior é que quando queremos saber notícias sobre as pessoas, voltamos para procurar e não vemos nada. Então para quê acompanhar o feed de notícias com as atualizações dos amigos? Então eu me dei conta que eu sei mais sobre as pessoas que eu quase não vejo do que sobre as que estão por perto. Sem falar nas sugestões de anúncios que aparecem. A maior parte das indicações que experimentei fiquei com a sensação que os meus amigos curtem qualquer coisa na ânsia de tirar algo de graça. Não que fosse ruim, longe disso, mas também não era isso tudo. Para eu me dar ao trabalho de recomendar, deve ser quase extraordinário.

Vídeos no Computador/ DVD/Televisão. Também é impressionante como deixamos o tempo passar de uma forma boba. É só deitar no sofá, ligar a televisão e ficar trocando de canal. Se não achar nada que desperta o interesse, ainda tem as opções por streaming. No meu caso, ainda tenho DVDs. A ideia era descansar uma meia hora, mas passam duas, começa a escurecer e você ainda está por lá. Eu facilmente abriria mão do serviço de televisão a cabo se tivesse outra forma de assistir a Nascar. Recentemente, a Fox deixou de transmitir algumas provas e eu voltei a pensar nesta opção. Não minto que perco muito tempo nisso que poderia usar para outros fins, mas não estou sozinha nessa.

Arrumação da Casa. Como ainda não existe programa autolimpante para a casa, preciso de ajuda para realizar a limpeza e a arrumação. Mas eu não me incomodo de arrumar a casa, eu me incomodo do tempo que eu gasto só com a arrumação. Se eu não gastasse tanto tempo, poderia fazer a limpeza da casa sozinha, do meu jeito e ainda teria mais gosto em manter a casa arrumada. E foi por isso que eu comecei a tentar diminuir os objetos e as preocupações para ter mais tempo para fazer o que eu quero e o que eu gosto, para que a arrumação seja prazerosa e não fique sugando o meu tempo.

Fazer as Coisas pelos Outros. Veja que eu não chamo de ajudar aos outros. Eu sinto que às vezes eu fico muito perto de ser intrometida. E assim, na ânsia de ajudar, me comprometo a fazer coisas pelas pessoas que eu não faço nem para mim, nem para a minha família. Isso não é caridade e nem vai garantir o meu lugar no céu. É muito fácil ajudar um estranho, mas na maioria das vezes você acha que está ajudando e pode estar atrapalhando. Se eu estiver bem, com a cabeça boa, posso fazer muito mais por outras pessoas do jeito certo.

Concluir Coisas que eu Comecei. Eu me impus um monte de metas para terminar os produtos que eu tenho em casa, ler os livros que eu comprei ou que eu listei para ler, e ainda quero realizar determinadas coisas antes de me desfazer. Mas, isso requer muito tempo. Por que eu simplesmente não me desfaço de isso ou daquilo sem antes ter que ler, ou assistir, ou usar até o final? Para ter certeza que eu não vou me arrepender. Eu já reclamei aqui das minhas metas de leitura também, que eu acabava escolhendo as leituras para cumprir a meta e a leitura não rende e ainda por cima eu fico com a sensação que o momento de ler aquele livro passou. Felizmente eu estou melhorando, mas a maior parte do meu tempo livre eu ainda passo realizando atividades que não tem exatamente um motivo para eu fazer além de concluir o que eu comecei. 

Essa é mais ou menos a ordem com que eu posso viver sem estes sugadores de tempo. Estes são o exemplo de coisas que acaba me fazendo perder tempo sem perceber. Sugiro que avalie onde estão os seus sugadores e o que pode ser feito para amenizar o efeito deles na sua qualidade de vida. 

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

O enxoval do segundo filho

Aproveitar as roupas sempre foi um princípio valioso nas famílias numerosas. Mas porque não aproveitar entre primos ao invés de comprar já que não são tantos irmãos. 
Não tenho vergonha de dizer que aceito tudo o que me é oferecido para as crianças e que sei que podem usar. Eu tenho condições de comprar roupas novas, nesta fase, até uns 3 anos, a criança suja muita roupa que tem que trocar e lavar e cresce muito rápido. Ainda por cima, apesar de ser bem menor, a roupa custa o preço de roupa de adulto. Então pesa comprar em quantidade. Então será que eu preciso realmente acumular tanta coisa que eu posso pegar ali com alguém? Mesmo que não seja dado ou emprestado, comprar usado também é bem mais vantajoso do que sair comprando tudo novo. Prefiro comprar poucas coisas do que comprar um enxoval inteiro. 
Como já contei antes, para o primeiro filho, mesmo seguindo as dicas de outras pessoas que já passaram por isso, escolhemos alguns produtos que simplesmente não funcionam. E alguns não dá pra saber se vai funcionar. Cada criança é de um jeito. E estes foram os primeiros produtos que descartei, os que não funcionaram. Alguns foram para o lixo mesmo, outros foram para a escola e ainda montei três ou quatro sacolas de desapegos para pessoas do serviço que fizeram campanhas para mães que não tinham condições e pediram objetos mesmo que usados. A maioria estava ainda na embalagem.
Enfim, guardei pouca coisa em casa, mesmo dos itens que eu achei que funcionaram. Também porquê eu não tinha onde guardar a quantidade de coisas que recebi, usei e não tinha mais utilidade. Mas isso foi uma escolha que tive que tomar por esperar tanto tempo para ter outro filho.
Sinceramente, não estava disposta a comprar muita coisa nova. Pretendia na medida do possível aproveitar tudo o que conseguisse através da família. E também só aceitaria o que eu tenho a intenção de usar. 
Não recusei sacolas de roupas de grávida nem roupas e enxoval para recém-nascido. Carrinho e berço eu guardei, então dos produtos maiores só iria precisar da banheira. Mas felizmente consegui ela com um primo.
De mais, eu falei que não queria nenhum pano (pano de boca, lençol para carrinho, toalha para amamentação, manta de todos os tipo...).
E também não vou definir nenhum tema para o enxoval já que novamente vou usar de tudo um pouco. E isso talvez tenha sido a segunda informação mais valiosa: qual o tema do enxoval? Por que precisa disso se a decoração do quarto foi pensada para duas crianças e os itens de bebê vão ser usados por só dois anos e o quarto foi pensado para 5? E depois tive que ouvir que se eu sou a mãe, sou eu que escolho, não tenho que ouvir ninguém. Mas o quarto será de duas crianças, como que você faz uma criança dividir o quarto com um bebê e não deixa ela opinar nas mudanças? É como se estivesse expulsando a criança do seu próprio quarto. É comentário de quem não tem filhos, claro.
E esse é outro grande problema, todo mundo acha que sabe tudo sobre maternidade. Menos o que você pergunta.
Então teve coisas que eu me desfiz por falta de espaço para guardar, e coisas que eu me desfiz porque não pretendia voltar a usar. O que eu mais lamento são as roupas. Como não guardei quase nada, vou precisar comprar bastante coisa. E quando eu vejo fico lembrando do que eu usei na mais velha e não tenho mais. Não adianta lamentar. Eu dei sabendo que podia não voltar. Mas eu ainda estava contando com isso.

Do enxoval resolvi que compraria apenas o kit berço e eventualmente um ou outro objeto. O outro produto que precisava providenciar são as capas para o bebê-conforto. O kit berço na verdade eram só as almofadas para as grades, porque demais itens eu já tinha: mosquiteiro, trocador, lençol, edredom.
Conferi os lençóis e estes estão ok. O primeiro projeto que eu preparei foram as toalhas de banho. E junto recebi o primeiro presente do bebê. Não faço questão, mas fico feliz de receber.
Depois foi necessário pensar na decoração do quarto. E o único item de decoração que eu quis foi o móbile. Eu não tinha dúvidas em aproveitar o que já tinha em casa, então pensei no móbile de pássaros e aviões que eu havia planejado anteriormente. Acabei fazendo apenas passarinhos coloridos que foi um dos projetos de 2017.
Tem vezes que parece que o apartamento é pequeno demais para receber mais uma criança. Já não sei onde colocar as coisas que estão entrando apesar de tanto esforço para ter mais cantinhos vazios. Estou precisando abstrair e deixar para pensar nisso depois. Eu ainda não sei como lidar com as roupas de crianças. O trabalho foi muito maior do que eu esperava e eu demorei para dar conta. Espero me sair melhor desta vez, mas a chance de errar ainda é enorme.
E este é o pesadelo de montar o enxoval de um segundo filho se você não tiver guardado tudo do mais velho.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Beleza da Vez, 2017

Eu pretendia fazer estas listas de tempos em tempos. Quando eu fiz a primeira lista, percebi que havia deixado vários produtos de fora. Como eu não preciso listar só 5 produtos, prefiro separar em categorias e depois vir mostrar o que eu estou usando. Já era pra eu ter vindo contar há tempos do que mudou na minha bancada. Muitos produtos se foram e alguns poucos chegaram. Escrevi e reescrevi esta postagem tantas vezes ao longo de 2017 que vai ser mais um resumo de tudo o que eu usei no ano.

Ainda estou na minha luta para acabar com os produtos antigos e os produtos que tenho em excesso. Mas dos produtos que tenho em cima da bancada, felizmente estou conseguindo reduzir. Estes são basicamente produtos para o cabelo e produtos para a pele. 

Eu havia acabado com aquele creme enorme que fotografei na vez passada, depois usei os meus óleos de banho (que eu até gosto, mas prefiro os cremes) que apareceram por aqui nos terminados no mês e depois voltei para os meus cremes.  Usei um da Nativa SPA que também apareceu nos terminados no mês e, no começo de 2017 passei a usar um da Victoria Secret, Love Spell que ganhei. Também estou usando um óleo infantil para a pele que tem problemas maiores de hidratação, entenda-se: cicatrizes. Esta combinação durou quase que o ano todo. Como estou me mantendo na regra de só comprar um depois de terminar 3, neste ano não pude comprar nenhum, mas a parte boa é que logo não vou ter 3 para usar antes de comprar o substituto. Estou usando um da Natura de Flores Brancas e ainda tenho mais 3 da Victoria Secret's guardados. Tive muita dificuldade em usar estes produtos para o corpo. Já não aguentava o cheiro. Mas creio que não devo demorar um ano para usar um creme.
Outro creme que uso diariamente é o creme para o rosto. Creio que é o último da linha Renew que eu tinha. Cheguei a considerar comprar mais, mas não me adaptei ao uso. Prefiro usar apenas o protetor solar facial. Como também tenho alguns outros cremes faciais, escolhi usar este que é o mais velho. O que me fez perceber que eu não precisava comprar nada. Apesar de usado, havia muito produto, tanto que escolhi entre os 5 para terminar. E usei ao longo de todo o ano. Voltei a usar outro creme facial que já estava aberto só em outubro e também quero usar algumas amostras e miniaturas que tenho em casa. Além destes, tenho mais 2 guardados, além de protetor solar facial.
Para o cabelo tenho em cima da bancada dois cremes para pentear, um para o cabelo molhado e outro para o cabelo seco. Estou experimentando um óleo para hidratação da Frutis. Comparando com os outros produtos que usei, um spray da Seda e o leite para cabelos cacheados da Elséve que eu usava antes, não percebi muita diferença entre os dois últimos, mas não estou gostando do óleo. E esta categoria de produto eu estou bem mal resolvida, porque não encontro com facilidade o produto para usar e sempre que experimento outro, se dá certo, sai de linha. Mas o pior é que não consigo acabar com o óleo. O cheiro também começa a me incomodar e estou certa que tenho que partir para outro tipo de produto, ou fazer o meu preparado caseiro. Penso em procurar em casas especializadas numa última tentativa e então partir para os preparados. Este não tenho produto reserva. Mas aceito dicas para outros produtos do tipo.
Eu finalmente terminei o creme para pentear da Natura que estava no meu projeto de outono. Estou usando um da Vult que já estava por cima da bancada esperando. O que eu mais gosto nele é o cheiro. Agora sei que este tipo de produto tende a demorar muito para acabar, então nem penso em comprar substituto. Também não tenho mais nenhum produto do tipo guardado, mas sei que este demora para acabar. Então vou voltar a me preocupar com o substituto só em meados de 2018.
Terminei os desodorantes que estavam antigos na bancada e agora estou usando o último exemplar de desodorante em creme. Gosto muito deste da Natura que o cheiro é bem discreto. Melhor que um sem perfume. Por ser em creme também cumpre a função de hidratar a pele e dura bastante sem desperdiçar como qualquer outro em spray. Ainda reforço que caiu no gosto o uso dos spray do tipo aerosol que além de ser altamente poluente, costuma estourar em viagens. Por isso, apesar de ser difícil de achar para comprar, só utilizo os em creme. Muita gente acha nojento aplicar com os dedos, mas eu já me acostumei. Acabei comprando não só um, mas dois produtos reserva que devo começar a usar em 2018.
Por fim, ainda na bancada, mantive um pote de perfume para uso diário. Na verdade eram dois: o pote original e o frasco com borrifador. Eu gostaria de ter terminado e passado para o próximo já que estou usando faz muito tempo. Durante todo o ano de 2016 hesitei em abandonar e passar para o próximo, mas agora está acabando. Como não dura muito na pele, não tenho muita vontade de usar o perfume atual. Usei algumas miniaturas para me incentivar e ainda não acabei com todas. O frasco original até que consegui acabar, mas o com borrifador, que deveria ser mais fácil, o borrifador também quebrou e persistiu na bancada até esvaziar. Então sim, usei o ano inteiro este produto.

No box deixo os meus produtos para o banho. Além dos sabonete/shampoo/condicionador ainda tenho o creme de tratamento para o cabelo e eventualmente algum outro produto do tipo. 
Finalmente estou deixando de lado as miniaturas e voltando a usar produtos de minha escolha. Apesar de ainda ter algumas miniaturas (duas ou três), ainda estou focando em terminar outros produtos que também tenho em casa. Em 2017, foquei no sabonete líquido esfoliante que está em 5 para terminar e apareceu outras vezes por aqui. Sabonete esfoliante só tenho os que ganho de presente. Outro produto dispensável que não costumo comprar. Agora que felizmente acabou também estou usando um sabonete líquido junto com as miniaturas que pretendo terminar em 2018. Até o fim do ano quero acabar com o máximo de miniaturas que eu ainda tenho. E sabonetes, ainda faltam algumas.
Shampoo e condicionador, apesar de ter experimentado alguns também não encontrei um favorito. Por enquanto e por boa parte deste semestre, devo usar estes da Dove que dizem ser muito bons, mas como eu não costumo me adaptar aos produtos da Dove, estou preparada para desistir. Também porque comprei a embalagem de parzinho que é o frasco grande (400 ml) vai durar tipo, para sempre. Ainda tenho algumas amostras em envelopes, agora realmente poucas, menos de 10, que venho usando junto para não enjoar, por isso devem durar ainda mais. Finalmente estou ficando sem opção de miniaturas, o que é bom, mas ainda demora para eu poder escolher qual será o próximo que eu quero experimentar. Então tão cedo não vou procurar para comprar.
O creme de tratamento para o cabelo é o mesmo que mostrei da outra vez. Creio que ainda demora bastante para terminar. Tenho algumas amostras para usar e uma lista enorme de cremes que eu gostaria de experimentar mas ainda não comprei. Para não dizer que está igual, fui usar recentemente (deveria usar uma vez na semana) e está com aproximadamente 2/3 do pote. Achei que tinha usado ainda menos. É que estou precisando cortar o cabelo. Creme nenhum faz milagre nestas condições.

E a última parte dos meus produtos é uma prateleira próximo ao espelho que deixo a maquiagem de uso mais rotineiro, por enquanto, os produtos da vez são: um gloss, o lápis de olho e o pó.
Depois de finalmente acabar o batom que estava em 5 para terminar de 2016, recolhi vários produtos para boca que eu tinha espalhado pela casa, na bolsa e no trabalho para deixar nesta prateleira. No primeiro semestre me dediquei a este gloss da Avon que estava no meu projeto de outono. Ele é tão velho que a embalagem já mudou. Não dá pra deixar na bolsa que meleca um pouco. E eu uso pouco porque sinto que ele racha e fica feio. Mas já que estou usando tantos produtos antigos, este vai ser outro que vou tentar terminar. Apesar de usar só uma vez por dia, tenho percebido o avanço. Ainda tenho muitos outros gloss fechados e também alguns batons e lápis para a boca. Depois disso, prefiro usar batom do que gloss. Então foquei neste batom da colortrend (também da Avon) que está no meu projeto para terminar em 2017 em todo o segundo semestre. Infelizmente, parece que não vai ser possível, mas este foi a minha escolha. Em 2018 será o ano dos restinhos de produtos. Não estranhem a quantidade de produtos da linha colortrend da Avon. É que são todos da mesma época. Agora já estão acabando.
O lápis de olho que eu venho usando é este também da Avon Colortrend. Não tem nada demais, mas gostaria de acabar com ele e ainda com um outro que tenho. Voltei a ter dificuldade de pintar os olhos e por isso tenho tentado usar com mais frequência para o olho voltar a se acostumar. Não sei se usaria lápis de olho se eu não tivesse. Se meus olhos não se acostumarem será outro produto que não pretendo mais ter. Tentei acelerar o uso em um dos projetos que fiz, mas acabou voltando a ficar encostado. Creio que nada vai mudar até o próximo inventário, mas ano que vem vou tentar experimentar outros dos produtos que tenho guardado e, quem sabe, consigo usar mais este lápis. 
Por fim, como ainda não terminei os produtos que tinha, deixo aqui por cima o corretivo, base e o pó compacto. Este pó da Contém 1g eu realmente gosto e voltaria a comprar. Já o corretivo, finalmente acabei este da Contém 1g. Eu diria que não pretendo voltar a comprar este produto, mas agora tenho as minhas dúvidas. Meu maior dilema ainda é a cor certa.
Acabei colocando mais um item nesta prateleira que é o esmalte que estou trabalhando para terminar. Com a gravidez precisei parar de usar e ele fica lá apenas tomando pó e me fazendo lembrar que tenho muitos produtos em casa. Esta base está bem perto do fim e eu deveria ter terminado faz muito tempo, já está um pouco grosso e não sei se eu ainda vou conseguir usar este finzinho. Deve ter o suficiente para uns 2 usos no máximo. Passados uns meses depois do bebê nascer, quero voltar a usar. Também ganhamos muitos frascos durante o ano, mas sem usar, só ficou acumulando. Umas poucas vezes pintei as unhas das meninas com os esmaltes coloridos, mas dedinhos de criança são tão miúdos que nem dá pra percebe qualquer avanço.

Por fim, é isto. Foram estes os produtos que povoaram a minha visão no banheiro, já que eu não tenho uma penteadeira (e não sinto tanta falta...). Tentei usar fotos novas, mas confesso que quase a metade é republicação. Vou tentar não demorar tanto para fazer o de 2018, mas realmente gostaria de não repetir produtos de um ano para outro. Em várias opções, sei que repetiria, por isso fiquei esperando acabar para fazer a atualização. Acho que funciona melhor se eu só fizer um por ano e se for o caso, mostro mais de um produto que estive usando no período, que é o que vai acontecer em algumas categorias mas não em todas ao mesmo tempo. 

domingo, 5 de novembro de 2017

Balanço Mensal - Outubro

Leituras de Outubro


Não tem jeito. Não tem sido um bom momento para eu tentar ler. Até tive alguns avanços, mas não está rendendo. O total até que está bom, consegui tirar algumas leituras da lista mas até as da Agatha Christie que faltam poucos eu demorei muito para ler. No momento, o esforço é por continuar lendo alguma coisa e terminar.

Andamento das Metas

1) Ler 120 livros faltam 18
2) Ler todos os livros comprados até 2012 faltam 19 + 40
3) Manter uma Lista de Espera < 250 livros está em 332
4) Terminar 5 séries (IAN, Mundo de Tinta, Cemitério dos Livros Esquecidos, O'Hurley, Asas) faltam 12
5) Tenho e não lido < 200 faltam 141
6) Terminar a pasta Anteriores e IX faltam 1 + 17 + 13 + 5 + 21
7) Vou ler e não tenho < 100 está em 164
8) Terminar todos do Sidney Sheldon faltam 5
9) Alcançar 1400 livros lidos faltam 24

Continuo avançando lentamente. Sinceramente, espero melhorar em 2018, mas até agora nada digno de nota. Tirei 3 de vou ler mas não tenho e estou prestes a terminar mais 3 que estão na lista de espera. O mês que vem será o divisor.

Lista de Novembro

Consegui diminuir pouca coisa, mas ainda está enorme. Pelo menos sei que não tem mais nada para acrescentar, agora é só diminuir. Estou certa que ainda vou carregar muita coisa para 2018, inclusive livros que já carreguei de 2016. Por enquanto estou com esse pacotão e vamos ver como ficamos no fim de novembro.

1. Constituições Federais 3/8
2. Problemas Interessantes de Matemática e Lógica
3. Tecnologia Mecânica v. 03
4. Ensaios Mecânicos Metálicos
5. Cem Anos de Solidão
6. Gossip Girl - Carlyles
7.  Amante Libertada
8. A Ilha Perdida
9. A Grande Rainha
10. Noite e Dia 70%
11. A Hospedeira
12. A Senhora da Magia
13. Cai o Pano 17%
14. Um Crime Adormecido
15. Os Últimos Casos de Miss Marple
16. O Mistério do Cinco Estrelas
17. O Prisioneiro da Árvore
18. Poirot e o Mistério da Arca Espanhola
19. Enquanto Houver Luz
20. Poirot Sempre Espera
21. A Bússola de Ouro
22. A Teia da Aranha
23. Autobiografia
24. Os Diários Secretos de Agatha Christie
25. Crime e Castigo

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Terminados em Outubro

Novamente um mês que fui bem depois de ter ficado quase sem terminar nada em meses anteriores.

O sabonete esfoliante já estava no fim. Oficialmente é o primeiro item que terminei da lista de 5 para terminar em 2017. Não via a hora de passar para outro produto e terminar com os esfoliantes. 
Ainda terminei mais uma miniatura de sabonete em barra, mas como eu já estava cansada da rotina, peguei outra miniatura que é esta outra embalagem e também um sabonete líquido que eu ia deixar para usar só no ano que vem. Como é o mesmo perfume que o hidratante que estou usando, inverti a ordem e peguei logo esse que vai demorar para terminar.
Outro produto que quase terminei em setembro e acabou quase junto com o esfoliante foi o hidratante facial. Também já estava cansada dele. É um produto bem antigo e que estava listado em 5 para terminar. 
Também terminamos mais um condicionador infantil que estava aberto. Ainda tenho o shampoo desta linha em uso com um condicionador grande. Não fotografei o pote porque estou aproveitando-o para transportar nos dias da natação.
E este último frasco da foto é um que usei para transportar em quantidade menor shampoo e demorei para esvaziar quando voltei para casa. A maioria destes potes de viagem não duram muito, mas até que já tenho este faz alguns anos. Do conjunto, tive que descartar dois.

Agora estou com muitos produtos no início de uso e que demoram para acabar. Dentre os que estão mais gastos, tenho um óleo para os cabelos que não tenho conseguido usar com frequência mas que já passei da metade.
Outro produto que está bem gasto e que continuo usando é o batom. Como uso pouco, não devo terminar nos próximos meses. Agora quero ser rigorosa para tentar terminar todos os restinhos de produtos que tenho aqui. Não vejo a hora de poder voltar para o gloss, mas melhor mesmo será quando eu puder revirar os produtos guardados para escolher o próximo.
E mais um produto que tenho usado bastante é o perfume que estava no frasco borrifador para bolsa. Como o borrifador quebrou, desgaste de uso, quero descartar estes frasco quando acabar. Já consumi a metade, mas mesmo usando 3 a 4 vezes na semana ainda tem bastante e demoro para acabar.
E o creme para o rosto, que já estava em uso, já diminuiu um pouco. Não sei se consigo terminar ainda este ano, provável que não, mas vou tentar. Ainda tenho mais um refil guardado.
Maquiagem continua não sendo meu forte. Ainda tenho muitos produtos guardados. Usei muito pouco, mesmo a base e o lápis que deixei separado para uso.
Com o calor tivemos que voltar a usar repelente quase que diariamente. Com isso, os 3 potes que eu tenho abertos continuam em uso. Não consegui terminar nenhum.
Também os protetores solares. Mesmo voltando a usar, como tenho vários, ainda estou longe de terminar, mas usei bastante.

Como já havia comprado muita coisa, estou novamente motivada a não comprar. Fiquei somente nos itens de reposição, pasta de dente, papel higiênico e lenços de papel.
Recebi um envelope de shampoo e condicionador da revista. Depois recebi mais um creme e foi só isso. Mas estou comprometida a controlar as aquisições para atingir as minhas metas. Comecei a organizar os produtos para fazer o inventário e percebi que deveria ter menos coisas. Vamos ver o que eu consigo gastar mais rápido nos próximos meses para terminar o ano bem.


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

As Metas de Outubro

Por mais focada que eu seja, ainda estou aprendendo a fazer estas metas mensais. 

Em outubro consegui concluir 5/28. É pouco, mas sei que muita coisa está em andamento e quase terminei em outubro.

Organização: Acho que fiz muitas organizações erradas. Não avancei em nada que está listado, mal terminei uma sacola de roupas. Mas em parte foi culpa do calor. Espero que novembro seja o último mês que eu tenha sacolas de roupas separadas.

Leituras: As leituras também não andaram muito bem. Consegui ler as revistas e um pouco da Agatha Christie, mas nem cheguei perto dos do Sidney Sheldon e mal li os livros do kindle. Também avancei na leitura de "Noite e Dia" que estou lendo há meses e esperava terminar para iniciar "O Quarto de Jacob" mas vai ficar também para novembro.

Produtos: Consegui terminar pouca coisa: só o creme facial, e coisas que não estavam listadas. Mas cheguei perto nas jujubas e no carretel preto. Os dois também ficam para novembro.

Receitas: Consegui fazer uma das receitas listadas depois de muitos meses sem tentar fazer nada. A outra receita listada, nem os ingredientes eu cheguei a providenciar. Mas também não escolhi nenhuma outra receita para novembro. Vou tentar ainda mais um outro bolo.

Outras atividades: Como eu tinha data marcada para entregar, consegui fazer os dois projetos para o Piquenique de Dia das Crianças e Dia das Bruxas. Já iniciei outros projetos mas não consegui avançar tanto no móbile como nos enfeites de natal dos minions. Depois de meses tentando, consegui assistir ao menos um filme, mas estou longe de organizar a minha lista de filmes, ou os DVDs para doação. Por algum motivo estamos trabalhando mais nos livros de caligrafia e no livro da Fada dos Biscoitos que é enorme, então apesar de não ter terminado nenhum livro de atividades, estamos fazendo toda semana um pouco.

A lista de novembro já está disponível. Não quero mais deixar passar de 20 itens, sabendo que eu vou concluir perto de 10. Não sei como vou arrumar tempo, mas tenho conseguido fazer bastante coisa durante a semana. Vou tentar focar para terminar mais coisas em novembro.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Dicas para Balancear o Orçamento Doméstico

Eu não gosto de colocar desta forma, como se eu soubesse o que eu estou fazendo, mas por outro lado quero muito divulgas as minhas iniciativas que deram certo. Mas vamos lá, sei que algumas coisas que funcionaram podem ajudar outras pessoas que passam por problemas parecidos.

Inventário e estoque mínimo. Não adianta, alguns produtos sempre temos que ter em casa que não dá pra sair pra comprar só quando acabar, como por exemplo o papel higiênico. É o caso também do leite e o pão para quem toma café da manhã em casa, ou a água mineral para quem não utiliza um filtro. A dica é fazer duas coisas: identifique os produtos que você prefere ter sempre em casa, que utiliza quase que diariamente e a quantidade mínima de cada item para que dure até a próxima compra. Faça da ida ao mercado um compromisso periódico ao invés de deixar para ir quando precisar. Isso ajuda a calcular a quantidade mínima. Eu escolhi fazer compras semanalmente e aos domingos de manhã para comer comida sempre fresquinha no domingo e ter frutas e verduras frescos a semana inteira. Os produtos secos, de limpeza e todos os demais industrializados, evito comprar em quantidade maior do que um para não ter estoque, quase que apenas as embalagens abertas. Já falei sobre isso por aqui. Assim sempre tenho os alimentos mais frescos e não perco produtos pela validade. Caso encontre uma super promoção de algum produto e não queira perder, verifique quanto tempo terá para consumir antes de sair comprando determinada quantidade maior que o estoque mínimo. Com isso eu consegui reduzir a minha despensa a pouco mais do que uma prateleira de produtos fechados (tipo estoque mesmo) e mais uma prateleira com os mantimentos (que eu mostrei aqui quando resolvi trocar todos os potes de armazenamento). Minha geladeira e meu freezer não são muito grandes, então não estou trocando o estoque de lugar, realmente tenho pouca coisa em casa e faço 3 refeições por dia para 3 pessoas com estes alimentos.

Listas. Tenha listas de compras para todos os tipos de produtos e não apenas para os itens de supermercado. Assim você evita comprar coisas que não precisa e sair muitas vezes para procurar um produto e acabar comprando outro. Itens para a casa, utensílios, objetos de decoração e presentes, liste até meses antes para definir exatamente o que quer e evitar comprar errado ou comprometer o orçamento antes de ter um imprevisto. Eu dificilmente saio de casa para comprar apenas uma coisa e volto com duas. Geralmente tenho a lista dos produtos, a especificação de modelos e marcas que quero e o valor que estou disposta a gastar para cada um deles. Se eu preciso de um item de papelaria, já listo todo tipo de produto que tem naquela loja que eu posso precisar nos próximos meses. Eu coloquei uma página aqui com a lista de desejos que é bem isso. Quando eu ainda não sei exatamente o que eu quero, pesquiso imagens de produtos na internet e visito algumas lojas só para ver o que tem antes de decidir o que eu quero comprar. 

Imprevistos. O chuveiro queimar, a máquina de lavar parar de funcionar ou você perder os seus óculos não são coisas que você possa prever e acrescentar no orçamento. Nem sempre é possível ter um valor guardado para a pior situação (sei lá, o valor de uma geladeira ?), mas eu sugiro sempre pensar num plano B antes de comprar algo para substituir. Eu tenho uma resistência de chuveiro remendada para usar nestes casos, posso levar a roupa para lavar na casa da vizinha e lavar algumas peças na mão por algumas semanas, e tenho um óculos reserva que a lente está só um pouco menor do que a atual para usar até que tenha tempo e dinheiro para levar para trocar as lentes. Muitas vezes com isso consigo esperar mais umas semanas, pegar um adiantamento, pesquisar o menor preço e taxa de entrega, comprar usado que geralmente pede pagamento à vista e até mesmo negociar melhor o valor e as parcelas da compra sem precisar recorrer a um empréstimo do banco. Neste caso, a dica não é nem para não gastar, mas para não ter que gastar a mais. Mas a dica é não entre em desespero e analise quais as possibilidades de fazer uso antes de comprar os itens de substituição. De preferência, tente mais de uma coisa.

Planejamento. Nunca gostei de fazer planejamento, sempre achei que estava sendo bitolada demais. Até as listas me soavam como excesso de planejamento. Mas conforme fui ficando mais experiente, percebi que nunca tinha tempo para fazer as coisas com calma e acabava aproveitando pouco o evento por conta da tensão de terminar, fazer tudo o que queria, chegar na hora ou acertar na expectativa das outras pessoas. Então reconheci que um pouco de planejamento não faz mal a ninguém. Antes de assumir um compromisso penso o que eu vou poder assumir, o que eu vou ter tempo para fazer e o que eu vou precisar comprar antes de dizer sim. Eu sempre mostro aqui alguns projetos que eu faço e a minha lista de metas. Mas para não pesar no orçamento, eu escolho o que eu vou assumir e o que não dentro do tempo que eu tenho disponível. E eu escolho ter noites que eu não faço nada, que eu durmo cedo, e também escolho ter fins de semana que eu passo fora de casa e deixo as tarefas do fim de semana para fazer durante semana. Claramente não posso fazer isso sempre, eu me planejo para ter dias de rotina e dias sem rotina sem sobrecarregar.

Despesas. Avalie pelo menos uma vez ao ano o que pode ser feito para reduzir cada uma das despesas mensais, seja o gasto com combustível, com supermercado, com plano de saúde, com celular, escola e cursos, hobbies... tudo. Eu consegui renegociar um desconto maior de pontualidade ao pagar a mensalidade da escola, um desconto à vista para pagamento em uma parcela do seguro de vida, fiz uma contraproposta na renovação do aluguel já que seria um novo contrato, troquei o plano de celular, troquei algumas marcas de produtos da lista de compras e substituí alguns produtos dando preferência para os produtos da estação, me desfiz de uma geladeira por outra mais nova e mais econômica. Claro que não de uma vez e nem sempre muita coisa em um mesmo ano. Geralmente os ganhos são pequenos, mas 5% de desconto, em 12 meses acaba sendo mais do que o rendimento que teria para o mesmo valor em uma aplicação. Aqui a ideia não é ver isso como um investimento e ficar rico (a maioria ficaria satisfeito de poder se aposentar), mas não ter um aumento maior do que o da inflação, que é quando você perde o seu poder de compra e diminuir o seu padrão de vida.

Fim de Ano. Seria bom se você pudesse aproveitar o seu 13º e as férias sem se sentir sabotado. Nem sempre dá pra negociar as férias para outra data e evitar viajar no fim de ano, mas veja um destino menos procurado, a casa de parentes que possam te receber, compre com antecedência, diminua a quantidade de diárias viajando um pouco antes e voltando antes ou indo no meio e voltando um pouco depois. Se viajar já estiver fora de cogitação, tenha algumas opções de confraternização mais em conta para não pesar para ninguém, aproveite para ajudar alguém que você conhece que pode prestar um serviço de fazer uma ceia, mesmo que pouco convencional, bole algumas brincadeiras que permitam a interação dos familiares e amigos sem necessariamente ter que comprar presentes, ou ainda aproveite para um momento de introspecção. Nesta época também estamos com a preocupação de pagar o 13º, presentear os colaboradores, pagar tributos (IPVA, IPTU), matrícula de escola e material escolar.... Veja o que pode ser feito para espaçar estes gastos. Muitos são inegociáveis, mas outros podem ser dados outras medidas.  Depois venho comentar algumas ideias que podem ser usadas.

Senso de justiça. As pessoas sempre que falam de dinheiro caem em dois estereótipos, ou se colocam como espertos que sabem gastar dinheiro ou se colocam como coitados por que nunca tem dinheiro e tudo está sempre pior. Eu não quero discutir distribuição de renda ou se a remuneração é justa ou se um ou outro estão fazendo o uso correto do dinheiro. Mas veja, independente de se você ganha bem ou mal, você tem que viver dentro do seu orçamento. Se você entende que deveria ganhar mais, tem que ver o que pode ser feito para isso. Mas não é você que vai mudar o mundo (não sozinho e não porque você quer), mas se adaptar. Viva o momento presente, com o orçamento atual e procure não comprometer o valor total de sua renda. Não é porque você tem aquele dinheiro e pode gastar com um novo smartphone que você vai trocar o telefone que já te serve. É difícil encontrar esta justiça. O que sempre me incomodou foi a impressão que eu deveria ter alguma coisa. Eu tinha walkman quando era mais nova, mas nunca senti a necessidade de ter um mp3 player, um Ipod, um Itouch. Mas não é por que eu não podia comprar este ou aquele, eu realmente não ligo para ouvir música. Nem tenho aplicativo de música no celular ou arquivo de música na memória. Desta forma eu fui deixando de consumir várias coisas que para outras pessoas são importantes. O equilíbrio está em relacionar o custo com o benefício. E ter uma folga no orçamento é um benefício que pode ter um custo (no sentido de sacrifício) menor ou maior. Então não é que a pessoa deva ter uma vida frugal, mas adaptar o estilo de vida ao orçamento.

Eu pretendia escrever de forma rápida mas percebi que alguns assuntos já foram tratados enquanto que outros eu poderia falar muito mais. Também percebi que deixei de retomar vários assuntos e que posso contar mais. Se houver interesse, posso contar mais.

domingo, 29 de outubro de 2017

Sacolas de Lembrança do Dia das Crianças

Já que eu não tenho fotos para mostrar o andamento dos meus outros projetos, vou mostrar um pouco deste que está perto de terminar.
Criamos uma tradição de fazer um piquenique com as crianças no dia das crianças. Como é um feriado e a maioria dos pais não trabalha mas também não pode viajar fizemos um no ano passado e já estava certo de fazer outro este ano. 
É essencialmente um piquenique, com lanches de piquenique. Ano passado fizemos em um parque. Apesar de ter uma boa infra-estrutura e termos chegado cedo, acabou ficando muito público e as outras crianças que estavam passeando queriam participar da gincana, mas não tinha para todo mundo. Por conta disso, este ano foi proposto fazer num sítio. Claro que a ideia foi todos participarem, e nisso os pais são super organizados. Fiz uma lista com opções de comidinhas e os pais foram se comprometendo com alguns dos itens.
Felizmente não estou com a mão tão ruim para cozinhar como na outra gravidez que não conseguia dar ponto em nada. Então poderei contribuir com alguma guloseima. Aproveitei para experimentar a receita do bolo de cenoura com brigadeiros. Não deu muito certo para o meu gosto, mas dava para comer. Ainda vou repetir algumas vezes até acertar melhor a receita.
No fim, a data do piquenique mudou e tivemos que juntar com o dia das bruxas. Em parte fiquei com menos coisas para fazer, mas por outro lado tive que rever as minhas ideias. Preferia ter feito com antecedência, mas até nisso tive sorte para não perder os materiais quando mudou-se os planos. A ideia inicial que propus foi montar uns enfeites de mesa com balões coloridos (bexigas). Achei que tinha fotos do enfeite pronto, mas por esta foto dá para ter uma ideia. Aproveitei um cachepot de outra festa que pintei de preto com tinta guache. As varetas de bexigas reaproveitei de algumas que ganhou no shopping ou em alguma festa que vinha guardando, só prendi as varetas com um elástico. Por cima, coloquei balas de festa do mesmo tipo que sobraram das sacolinhas. Como os balões também são coloridos, de sobras de outras festas, fiz uma brincadeira de desenhar caretas nas bexigas, como se fossem monstrinhos.
Depois apliquei um fantasminha de papel colorset branco. Deixei para montar com as bexigas na hora e por isso só tenho a foto dos desenhos que fiz de teste. Deu para perceber que ao me distrair eles viraram brinquedos em outras mãos? Eu escolhi o desenho que me pareceu melhor e apliquei nas laterais do cachepot. Como fiz 2, foram 8 fantasmas. Eu pretendia fazer vazado o rosto, mas acabei desenhando também com caneta marcador permanente os olhos e a boca. Também tenho esta foto com as bexigas desenhadas junto com as sacolinhas. É que o cachepot ficava tombando com o vento. Em outra ocasião, usei sacos de areia para fazer peso nos cachepot, mas isto é uma coisa que eu vou ter que acertar da próxima vez, uma forma de corrigir a estabilidade colocando mais peso na base e travando melhor as bexigas para não voar.
E as sacolinhas foram a outra parte do projeto e que me ocupou bem mais tempo. Eu havia me comprometido a fazer as sacolinhas da gincana e, para isso, eu já tinha comprado umas sacolas de papel craft para montar com uns brinquedinhos destes de festa que tinha em casa e ficava ocupando espaço junto com algumas guloseimas.
Se fosse só o piquenique, pretendia fazer uma decoração de bexigas também nas sacolinhas, com os materiais de papelaria que tinha em casa (papéis de presente coloridos, cartolinas e etc) e finalizar com fitilhos. Mas com a mudança de planos que juntou com o dia das bruxas, tive que improvisar com uma teia de aranha que fiz com papel sulfite de rascunho e desenhei algumas aranhas em papel cartão. Para dar um toque mais assustador, fizemos uns olhos vermelhos (ideia da minha filha!). Aproveitei o pouco que tinha do papel colorset preto que deu certinho 20 aranhas e fiz os olhos com furador no colorset vermelho. Como não tinha certeza da quantidade de crianças, usei todas as 20 sacolas de craft que havia em casa. E com chance de sobrar, mas depois penso nisso. Acabou ficando pouco tempo para fazer, então tive que correr para terminar. Uma das mães me ajudou a comprar as guloseimas então foram sacolinhas bem recheadas.
Toda a colagem foi feita com cola branca. Como não tinha o fitilho preto, usei o branco perolado mesmo. Comprei os docinhos no atacado e usei para finalizar na véspera. Dentro das sacolinhas coloquei língua de sogra, apito, pulseira, pião, anel, tartaruguinhas e outros brinquedinhos do tipo com bala, pirulito, biscoitos, chiclete e chocolates.
Não consegui empolgar as outras mães, mas sei que elas gostaram. Eu queria ter feito mais coisa, mas não tive muito tempo. É uma pena, porque quanto mais eu mexo, mais vontade dá de iniciar novos projetos. Foi bom para treinar o uso dos materiais e desenvolver ideias para a festa de aniversário do ano que vem. Acho que o tamanho da sacola também funcionou e a quantidade de itens idem.
Ainda contava em fazer estas pernas de bruxas que fiz em anos anteriores, mas não estava em condições de inventar mais coisas. Para o dia das bruxas também pensava fazer apliques para as forminhas de docinhos, mas sequer tinha certeza se haveriam docinhos, então desisti de fazer por falta de tempo e material.
O próximo projeto que quero terminar é o móbile de origami para o chá de bebê. Este também já iniciei. E tenho ainda outros itens de decoração para o chá de bebê em projeto.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Alimentação na Gravidez

Existem muitos livros e artigos que tentam aconselhar sobre a alimentação na gravidez. Recomendo sempre dar uma olhada e ver o que pode aproveitar.
Uma coisa que me desgastava muito na alimentação é a culpa. Por que fazemos muitos exames que entregam como estão as suas taxas de glicemia, colesterol e etc. Também tem enjoos e azia que te fazem evitar alguns alimentos. E a verdade é que o paladar fica completamente alterado praticamente nos 9 meses. Também vale lembrar que as pessoas sempre querem que você coma por 2 e vivem reforçando o mito de que grávida tem que ter desejo. E se você não engordar muito vão falar que a criança vai nascer doente (e você vai se culpar por isso) ou se engordar muito além da bronca do médico você vai sentir ainda mais dores nas costas e nas pernas. Deu para entender por que não é fácil se alimentar?
Quanto mais normal for a sua alimentação, mais normal vai ser a sua gestação. Quer dizer, não se force a nada. Passar fome ou vontade te faz tão mal quanto comer demais ou só comer porcaria. 
As minhas dicas são completamente empíricas, não têm qualquer base científica (a não ser a tentativa e erro), mas não custa nada experimentar se já não sabe o que fazer. 

Fibras. Na primeira gravidez tive dificuldade em consumir fibras. Tanto as folhas cruas como os alimentos integrais me enchiam a boca de água e ficava com ânsia de vômito. Desta vez escolhi outra forma de ingestão de fibras, os cereais integrais matinal que tomo com leite (eu sei que é horrível, mas é o que está funcionando) e as frutas. Tenho consumido 3 a 4 porções de frutas por dia, às vezes mais. Algumas vezes troco um lanche ou uma refeição por uma grande salada de frutas e estou me sentindo bem.

Alimentos frios, por algum motivo caem melhor ao paladar. A maioria das grávidas comenta sobre a vontade e a satisfação de comer uva ou tomate. E sim, realmente são os que saciam mais e recomendo ter na geladeira durante toda a gravidez. Mas ao invés do sorvete, optei pela gelatina. Nos primeiros meses, me ajudou bastante a conter o enjoo. Fazia porções pequenas e ia comendo ao longo do dia. Uma caixinha preparada durava até uma semana.

Bebidas cafeinadas. Espero que felizmente não tenha o costume de fazer uso regular de bebidas cafeinadas. Eu sempre fui adepta do cafezinho pela manhã. Cheguei a trocar pelo chá, mas geralmente opto pelos chás preto ou o chá verde que são também ricos em cafeína e outros estimulantes. Consegui cortar completamente na primeira gravidez tomando suco de laranja ou de goiaba, mas desta vez não funcionou e tive muitas dores de cabeça. Indico tentar o café descafeinado da marca Melita. É leve, mas tem o sabor acentuado do café. Outra opção é trocar por um chá mate gelado. Energético ou refrigerante ricos em cafeína sugiro trocar pelo o chá gelado ou um refrigerante levemente gaseificado. Aqui também a grande dica é a moderação. Ao invés de banir, limitar a uma porção tão pequena quanto possível mesmo que esteja usando um substituto.

Carboidratos. São ótimos para conter a azia e diminuir os enjoo. Também são uma fonte de energia rápida para os momentos em que dá aquela fome fora de proporção. Novamente a minha dica é consumir porções pequenas e comer bem devagar. Não espere a fome diminuir para parar de comer senão vai comer um prato cheio de arroz ou um pacote inteiro de bolacha de água e sal. Então coma o carboidrato, mas devagar e espere um pouco o seu corpo reagir antes de voltar a comer.

3 horas parece muito para alguns mas pouco para outros. Tente manter um intervalo regular para a alimentação e evite que aquela fome avassaladora chegue. E tenha rotina para este horário mesmo aos fins de semana. Seu relógio biológico sabe contar o tempo.

Carne. Têm dias que parece impossível comer alguma porção de proteína, tem dias que dá vontade de comer carne crua e tem dias que você só quer comer ovo. Eu não conseguia comer carne vermelha e passava mal só com o cheiro. Ir para a cozinha preparar também era muito custoso. Tente focar mais no consumo de frango ou carne de porco se for o caso, e coma peixe bem cozido pelo menos uma vez na semana. Varie o cardápio e tente pratos novos para estimular o paladar. O bebê precisa muito de ferro mesmo que você já esteja tomando complexo vitamínico.

Se possível, busque auxílio de um nutricionista, experimente os alimentos e os tipos de refeição para ver o que funciona e ouça bem o que o seu corpo pede. Não deixe para resolver o que vai comer quando chegar lá e tenha sempre algum alimento "aprovado" a mão, esteja onde estiver.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Coleções: Figurinhas

Esta coleção não é exatamente minha, mas começou como uma sugestão para auxiliar no processo de desfralde. Para nós funcionou muito bem, era o momento certo, e o adesivo surgiu como um incentivo para os resultados positivos. Mesmo depois do completo domínio das funções, ainda buscávamos as figurinhas para completar os álbuns. Resolvi vir contar porque finalmente começamos a descartar as figurinhas repetidas que sobraram em casa e os álbuns incompletos que sobraram em casa. Daqui a uns dois anos, terei que mudar a estratégia com duas crianças, mas acho que vai dar certo.
Desde sempre, eu guardei as cartelas de adesivos que eventualmente ganha, vem de brinde na compra de um produto e coisas assim. Então procurei para comprar um caderno de sticker (ou adesivo). Geralmente o nome está em inglês mesmo. Eu acho que um caderno dá pra muita coisa, mas se quiser, pode usar um caderno comum ou colar na porta do guarda roupa que dá na mesma. A dica é só deixar guardado para usar nos momentos oportunos. É o tipo da recompensa que não faz falta (se não completar) e ainda não pesa no bolso. Tem que ser algo barato, e de preferência, aproveitar o que já tem sem comprar. Essa dica eu sempre passo para outras pessoas que precisam encarar o desfralde porque realmente ajuda (ou não custa quase nada tentar) e não é traumático.
Além do caderno de sticker que está com os adesivos, tenho um outro caderno pautado pequeno que colamos alguns recortes interessantes. Apesar de não ter um propósito, quando dá vontade de fazer alguma coisinha e não quer jogar fora alguma lembrança, colamos neste caderno. É outra forma de descartar algumas coisas, mas guardar outras.
Com o tempo, percebi que realmente gostava de colar adesivos, então comecei a comprar também o álbum. É uma pena que nesta idade de uns 2 a 4 anos, não são muitas crianças que têm álbum de figurinhas, então tivemos dificuldades para trocar. De alguns álbuns acumulamos muitas repetidas. O que eu tentava fazer era assim que possível, comprar da editora os números faltantes. Mas sempre tem como opção conversar com o jornaleiro se estão combinando de encontrar em algum lugar para trocar, muitas vezes na própria banca. Em algumas cidades é possível achar encontros de trocas de figurinhas em praças e parques. E também dá para trocar pela internet com envio pelos correios, mas neste caso só compensa se puder trocar uma quantidade grande com uma mesma pessoa, o que é relativamente raro.
O álbum que descartamos foi o do Frozen. Este foi o primeiro que usamos no processo de desfralde e eu não podia ceder. Comprei os pacotes de figurinhas mas precisava guardar para o momento oportuno. Então, mesmo indo bem, em algum momento se desinteressou e passou o prazo para pedir na editora. Mesmo depois de 3 anos a criança ainda pede para comprar as figurinhas daquele álbum. Por isso achei importante descartar para não trazer a falsa expectativa de que vamos completar. Expliquei mais de 10 vezes, mas ainda sinto a expectativa quando converso sobre comprar figurinhas.
Também temos mais um álbum que veio de brinde num evento, mas a editora já não estava mais distribuindo os adesivos, por isso nem chegamos a comprar figurinhas para colar. Tínhamos o álbum vazio. Era uma coleção das princesas. Mas como tenho uma criança muito criativa em casa, ela usou o desenho do fundo de página para dar um toque especial e foi completando com o que faltava para dar lugar aos adesivos. Deve ter sido bem divertido fazer e nós gostamos do resultado. Guardei algumas páginas e fotografei outra mas descartamos o resto. Este, em momento algum trouxe a preocupação de comprar as figurinhas, funcionou mesmo como um livro de desenhos ou atividades.
Depois separamos as repetidas deste álbum do Frozen, também do álbum d'A Patrulha Canina para levar para a escola. Os professores também usam estas figurinhas como recompensa para as crianças (embora todos ganhem) e as agendas e mochilas estão cheias de adesivos.
Ainda temos estes outros álbuns completos guardados: Cinderela, Frozen: Febre Congelante, A Patrulha Canina e A Bela e a Fera. Recentemente também começamos o do dilme de My Little Pony. Pretendíamos comprar o da Moana, mas já foi recolhido pela editora. Então escolhemos este outro que está no início. Praticamente fizemos um álbum por ano, então, até que não é muito.
Conforme fomos separando as repetidas para dar, deu um pouco de saudades das coleções então ainda separamos algumas para o Caderno de Sticker. Achei mais algumas cartelas de adesivos em casa e também já colamos no caderno. Acho importante reforçar tudo isso e fazer aproveitar o que tem para acostumar a dar valor às coisas. A organização desta coleção foi concluída com o descarte de todas as figurinhas repetidas. Depois daquelas duas etapas que começamos a fazer em setembro, ainda usamos os meses seguintes para terminar de separar e descartar. Revemos grandes lembranças, relemos as histórias dos álbuns e então descartamos.
Felizmente em 2017 conseguimos organizar algumas coleções. Gostaria de ter feito muito mais, mas sei que não foi falta de vontade, mas de tempo mesmo. Espero conseguir realizar muitos projetos em 2018 também.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Sobre o dia que eu cansei das minhas metas de leitura

O primeiro sinal de que as coisas não iam bem foi que simplesmente parei de publicar os resumos semanais.
O segundo sinal foi quanto sistematicamente passei a atrasar a publicação dos balanços mensais.
E o terceiro sinal, que me convenceu que eu estava fazendo alguma coisa errada foi quando diminuí a quantidade de leituras em um mês.
Então eu tinha certeza que eu precisava mudar a minha atitude.

Não, não foi exatamente uma ressaca literária. Esta costumo ter uma vez por ano. Mas eu passei a ter dificuldades em me comprometer com as leituras.
Primeiro larguei algumas metas que eu considerava menos interessantes. Depois fui deixando de lado a lista de leitura...
E tiveram semanas que mal toquei em um livro e todos os arquivos pdf que tentei ler, abandonei em poucas páginas. Simplesmente não estava funcionando.

Então resolvi esgotar todas as possibilidades de leitura que estavam ao meu alcance até que uma me prendesse. E assim faria com a leitura seguinte e a seguinte.
Em setembro, foi o que me ajudou a aumentar o volume de leitura. Mas então senti que até isso já não estava funcionando.

A partir de agora, continuo fazendo as minhas leituras diárias, mas de forma diferente. Talvez eu não termine aquele livro que eu peguei para ler no celular, talvez eu fique mais 6 meses com a mesma leitura na cabeceira da cama (que eu já passei da metade e poderia terminar num fim de semana mas olho para ele e prefiro deitar na sala). E talvez eu não leia mais nada no computador além dos livros da Agatha Christie. Talvez eu compra um livro e vá lendo para casa e talvez eu pegue um livro para troca que eu só vou guardar na estante quando terminar de ler. 

Vou funcionar assim enquanto eu sentir que não estou pronta a lidar com as regras. Vou lidar com a bagunça da minha estante enquanto esta não for a minha maior irritação. E talvez eu aprenda que eu sou mesmo muito bagunceira e não sirvo para fazer metas.

Na verdade, com ou sem sucesso algum, continuo atualizando as minhas listas e fazendo o meu balanço mensal. Continuo atualizando as metas mensais e estipulando novas. Continuo pensando no que eu poderia usar de metas para 2018 e o que eu quero fazer da minha vida.

Mas estou de férias das minhas metas de leitura por tempo indeterminado.

E apesar disso tudo, estou me sentindo bem. Não me sinto um fracasso como sentia na maior parte do tempo.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Housekeeping Parte 4

A partir de agora, meu trabalho com a organização da casa deve diminuir. O último mês foi bastante intenso e ainda tinha muita coisa para colocar em ordem. Algumas tarefas necessárias mas muito longas estão se encerrando. 
Na primeira semana consegui diminuir mais um pouco a pilha de roupas. A ideia é conseguir guardar tudo quando o guarda roupas novo chegar.
Ainda tinha muita roupa para lavar que sobrou da organização do quarto. Conseguimos lavar e guardar boa parte, mas ainda precisamos separar o que não pretendemos manter.
E o outro item grande que estamos trabalhando e ocupou a maior parte do tempo livre foi a reforma do quarto infantil. Depois de desmontar o guarda roupas antigo e recuperar o piso, trabalhamos no acerto das paredes para a pintura. Ainda faltam algumas etapas mas que em breve devem ser concluídas.
Agora que me acostumei com os novos lugares das coisas, não me parece que tenha tanta bagunça, mas ainda preciso me esforçar para terminar as tarefas iniciadas. Ainda tenho duas pilhas pequenas e duas sacolas de roupas. Pretendo ao menos esvaziar as pilhas para depois trabalhar nas sacolas que faltam.
Na segunda semana só consegui tocar um pouco nas roupas. Agora tenho uma pilha pequena e ainda as duas sacolas. Consegui experimentar e separar mais algumas roupas. Só tive que lavar a roupa da casa, mas já não tenho espaço para guardar roupas.
Agora quero começar os meus projetos e com ele organizar os materiais do escritório. Tinha guardado dois papertoys que montamos e adesivamos. Aproveitei para mexer nos adesivos que estavam guardados e separamos para levar para a escola. Junto com isso, separamos um álbum de figurinhas incompleto para descartar.
Também comecei os preparativos para o bebê e comprei algumas roupinhas e meinhas. Preciso começar a preparar o móbile.
Finalmente terminei de ler a segunda revista e também avancei nas outras leituras que vinha fazendo. Ainda tenho muita dificuldade de acessar a estante, achar alguma coisa e colocar alguma ordem. Pretendo aproveitar os espaços dos livros que saíram e reorganizar uma parte da estante, e também montar uma pilha dos livros que pretendia ler até o final do ano (estão na meta) para me incentivar a ir pegando, lendo e guardando.
Nesta terceira semana não consegui me programar para a organização da casa. Já estou lendo outro volume da revista e continuo me esforçando para terminar as leituras em andamento.
Consegui marcar um pouco das roupas da pilha pequena e felizmente consegui experimentar e separar umas poucas mudas de roupa. Ainda não tenho espaço para todas as roupas, mas preciso do guarda roupa novo que está previsto para novembro.
Os brinquedos voltaram a ser um problema e por isso tive que mudar o foco. De novo. E isso é o que mais me atrasa nestes projetos de organização. Enfim, estamos longe de ter uma casa limpa e organizada, mas estou tentando melhorar.
Para terminar este mês de grandes revoluções, ainda estou com a casa entulhada de coisas, ainda estou com um quarto em reforma.
Por conta do feriado, também precisei me concentrar em fazer os preparativos para o piquenique. Mas sobre esses eu venho falar em outro momento. Só adianto que além das sacolas de craft que comprei para este fim, usei umas 20 folhas de rascunho e todo o papel colorset preto que eu tinha em casa. E termos de volume, não fez muita diferença, mas fico tranquila que estou usando o que eu tenho. E novamente tirei o foco das outras organizações que eu gostaria de ter avançado.
Ainda estou conseguindo ler um pouco e por isso poderei em breve focar um pouco mais na estante que é algo que me preocupa.
Uma coisa muito positiva que conseguimos fazer, e o mérito não é meu é descartar alguns eletrônicos que estavam em casa mas já não funcionavam mais. É muito importante tentar fazer o descarte correto.
Compramos os cabides para o quarto das crianças. Pretendo descartar todos os que estão sendo usados de forma adaptada para melhorar a organização. Caso funcione, depois compro mais. Ainda não consegui terminar as pilhas de roupas e nem consegui levar as roupas que estão separadas.
A próxima publicação do Housekeeping vai trazer a situação após a entrega do guarda roupa e pretendo terminar toda a parte das roupas. Não vejo a hora de voltar a encarar os maleiros.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

O que Eu Jogo: Monster World

Você gosta de jogos que rodam na web? Eu peguei gosto porque não precisa baixar, não precisa pagar o download e ainda é possível jogar por anos sempre tendo novidade e sempre conseguindo avançar. Claro que tem uma hora que cansa e acabo deixando de lado. Mas vou contar sobre alguns dos que eu gastei (ou perdi) muito tempo. Este jogo não está mais disponível, foi descontinuado. Mas desde que larguei o Facebook eu já não vinha mais jogando.

O conceito é uma horta, com produtos inusitados, tipo: pé de refrigerante, ou bengala doce. Você planta e colhe. Cada produto tem o seu tempo para a colheita. Você precisa regar e pode contratar um ajudante. Se não colher quando ficar pronto e não alimentar o ajudante, ele come tudo. Você precisa completar missões e efetuar compras para adquirir moedas e pontos de experiência. As decorações compradas na loja e posicionadas no seu jardim também contam pontos de experiência. Existem missões a serem concluídas num prazo determinado e outras que ficam lá até serem cumpridas. E depois desbloqueiam outras. É a fórmula mais simples destes jogos de plataforma. Conforme vai acumulando pontos de experiência vai aumentando o nível e desbloqueando funções e produtos.
Uma função que pode ser desbloqueada são as máquinas para confeccionar produtos com a sua matéria prima. Estes são mais valorizados, mas também é possível manter em estoque e negociar com os compradores. Mas você precisa de uma matéria especial (WooGoo) para produzir que só consegue adquirir como prêmio das missões. Também é importante ter amigos com hortas porque isso te ajuda a cumprir missões. E você também pode visitar e ajudar na horta dos amigos. Esta imagem que eu achei no site do desenvolvedor representa bem o avanço das etapas ao longo do tempo.
Em um determinado momento, aparece um novo ambiente. No fundo do mar. E a contagem dos níveis é diferente em cada ambiente, embora siga a mesma fórmula. Você pode vender e comprar produtos na feira ou pode negociar com o comprador. Ele está sempre com uma oferta mais vantajosa que na feira, mas é por tempo limitado. Se você não tiver no estoque nem sempre dá tempo de plantar e colher. Mas em geral, ter estoque neste caso é bom.
Ainda estão disponíveis as páginas sobre este jogo na internet. Infelizmente demorei muito para escrever sobre isso. O jogo foi desativado há cerca de um ano pelo que me lembro.
Tenho uma amiga que dizia que o segredo é ter um objetivo e cumprir as missões. Mas eu sempre fui muito displicente. Em alguns momentos me desinteresso e largo o jogo. E então tenho vontade de começar de novo, mas nunca volto.
Como a memória do celular é limitada, optei por apagar os outros jogos e deixar apenas um. Mas mesmo esse um, às vezes me canso e largo. Se eu tivesse o Monster World no celular, certamente teria jogado muito mais e teria zerado muitas missões. Mas para qualquer jogo, o maior desafio são as missões que pedem acesso às redes sociais. Só vale a pena jogar se os seus amigos estiverem jogando os mesmo jogos.

Tenho mais alguns jogos que posso comentar, mas não seria capaz de fazer um tutorial porque não sou muito dedicada. Só espero conseguir escrever antes do jogo ser desativado.